Embaixadores: Steffi Jones e Patrik Andersson

Steffi Jones e Patrik Andersson são os embaixadores do UEFA Women's EURO 2013.

Os embaixadores Steffi Jones (à esquerda) e Patrick Andersson durante o sorteio em Gotemburgo
©Sportsfile

Steffi Jones

Clubes: SG Praunheim (três vezes), FSV Frankfurt (duas vezes), TuS Neiderkirchen, SC 07 Bad Neuenahr, Washington Freedom, 1. FFC Frankfurt

Palmarés nas provas da UEFA
Campeonato da Europa Feminino:
vencedora em 1996, 2001 e 2005
Taça UEFA Feminina: vencedora em 2002 e 2006

• Filha de uma alemã e de um soldado norte-americano, Jones ganhou fama mundial como defesa-central e como embaixatriz do futebol feminino.

• Estreou-se pela Alemanha em 1993 e ajudou o país a conquistar três títulos europeus, as medalhas de bronze nos Jogos Olímpicos de 2000 e 2004 e o primeiro título alemão no Campeonato do Mundo Feminino de 2003 (apesar de ter estado lesionada durante a fase final). Participou ainda na qualificação para o Mundial de 2007, mas terminou a carreira antes da fase final, com 111 internacionalizações, devido a lesão.

• Jones sagrou-se pela primeira vez campeã da Alemanha em 1998, ao serviço do FSV Frankfurt. A partir de 2000, passou a jogar no Verão nos Estados Unidos, no Washington Freedom, e no Inverno regressava à Alemanha para alinhar pelo 1. FFC Frankfurt, pelo qual fez a “dobradinha” nas três primeiras épocas, entre 2000/01 e 2002/03. Ajudou o clube germânico a vencer a primeira edição da Taça UEFA Feminina, em 2001/02. Apontou um golo no triunfo por 2-0 na final sobre o Umeå IK e  tornou-se na melhor marcadora da prova com nove golos.

• Sagrou-se duas vezes campeã dos Estados Unidos em Washington, em 2002 e 2003, antes do fim do campeonato feminino e conquistou mais um título alemão pelo Frankfurt em 2004/05 e a segunda Taça UEFA Feminina na época seguinte.

• Depois de terminar a carreira de atleta em 2007, Jones assumiu a presidência do comité organizador do Campeonato do Mundo Feminino de 2011 e promoveu a prova em todo o mundo, contribuindo para o sucesso do evento que teve mais de 800 mil espectadores. Treinadora encartada, assumiu o cargo de directora da Federação Alemã de Futebol (DFB) responsável pelo futebol feminino. Escreveu também uma autobiografia com o título "Der Kick des Lebens (O Pontapé da Vida)".

• Nomeada embaixadora do programa de desenvolvimento de futebol feminino da UEFA em Outubro de 2011, desempenhou posteriormente o cargo na final da UEFA Women's Champions League de 2012, realizada em Munique, e no UEFA Women's EURO 2013, na Suécia.

Patrik Andersson

Clubes: Malmö FF, Blackburn Rovers FC, VfL Borussia Mönchengladbach, FC Bayern München, FC Barcelona, Malmö FF

Palmarés na UEFA
UEFA Champions League: vencedor em 2001
Equipa do Ano dos Utilizadores do UEFA.com: 2001

• Filho do defesa internacional sueco Roy Andersson, Patrik começou a dar nas vistas no Malmö, onde passou quatro temporadas, tendo também chegado à selecção principal da Suécia, pela qual brilhou na caminhada até às meias-finais do EURO '92, disputado no seu país natal.

• Transferiu-se para o Blackburn em Dezembro de 1992, a meio da edição inaugural da Premier League, mas não conseguiu adaptar-se e rumou à Alemanha para alinhar pelo Borussia Mönchengladbach, clube no qual permaneceu até 1999 e conquistou a Taça da Alemanha em 1995.

• Pelo meio, ajudou a Suécia a terminar no terceiro lugar do Campeonato do Mundo de 1994 e despediu-se da selecção com 96 internacionalizações no Campeonato do Mundo de 2002, prova na qual nem ele nem o irmão Daniel alinharam, embora ambos tenham feito parte dos convocados; ainda assim, Patrik alinhou dois anos antes no UEFA EURO 2000.

• Deixou Mönchengladbach para se mudar para Munique e representar o Bayern, clube pelo qual ganhou a Bundesliga por duas vezes, tendo marcado ao cair do pano, frente Hamburger SV, o golo decisivo que selou a segunda dessas vitórias. Foi também fulcral na conquista da UEFA Champions League em 2000/01 (apesar de ter falhado a sua conversão no desempate por grande penalidades na final frente ao Valencia CF).

• Seguiram-se três temporadas no Barcelona marcadas por uma "praga" de lesões, antes de regressar ao Malmö, em 2004, para capitanear a equipa rumo à conquista da Liga sueca; lesionado, retirou-se na temporada seguinte aos 34 anos.

• Envolveu-se depois no futebol feminino e entre outras funções, desempenhou as de director do campeão sueco WFC Malmö e de embaixador da boa vontade do Campeonato do Mundo Feminino de 2011.

Topo