Seleccionadores avaliam "play-off"

Ignacio Quereda está "optimista", Anna Signeul considera a Espanha talentosa e a Áustria pensa que defrontar a Rússia é já um "bónus". O UEFA.com resume as reacções.

Seleccionadores avaliam "play-off"
©uefa.com 1998-2012. All rights reserved.

As últimas três vagas no Campeonato da Europa Feminino de 2013, que vai decorrer na Suécia, vão ficar definidas no “play-off”. O sorteio decorreu esta sexta-feira em Nyon e o UEFA.com resume as reacções.

Sorteio completo do “play-off”: jogos a 20/21 e 24/25 de Outubro
Escócia - Espanha
Ucrânia - Islândia
Áustria - Rússia

Escócia - Espanha:
Anna Signeul, seleccionadora da Escócia 
Este vai ser um desafio novo e muito interessante para nós. Tenho de reconhecer que este era o adversário que conhecíamos pior. O que sabemos é que é uma equipa com boa técnica. Já sabemos que terão muita posse de bola e que seremos obrigadas a estar ao nosso melhor nível para seguir em frente.

Ignacio Quereda, seleccionador de Espanha
À primeira vista parece que temos a vantagem de jogar a segunda mão em casa, mas tudo depende de como corre o encontro da primeira mão. Estou muito optimista. A equipa está muito determinada, muito motivada e muito concentrada. Confio plenamente nas jogadoras, porque mostram uma grande vontade e estão num bom momento, tanto física como mentalmente

Áustria - Rússia:
Dominik Thalhammer, seleccionador da Áustria 
A Rússia é um adversário difícil, mas a Espanha e a Islândia também seriam complicadas. As russas já participaram nas fases finais de três Europeus, enquanto que para nós seria a primeira vez. O facto de já estarmos presentes no sorteio em Nyon já é um grande triunfo. Vamos lutar com uma equipa favorita, tudo o que conseguirmos será um bónus.

Svetlana Zhuravleva, responsável pelo futebol feminino da Federação Russa de Futebol (RFS) 
Vamos estudar a selecção da Áustria, não a conhecemos bem, mas consideramos que os estreantes que garantiram esta qualificação são equipas ambiciosas e de bom nível. Por isso têm de ser tratadas com respeito e a Áustria pode ser um adversário complicado.

Ucrânia - Islândia:
Siggi Eyjólfsson, seleccionador da Islândia 
Sabíamos que teríamos de defrontar uma boa equipa, qualquer que fosse ela, e agora temos de nos preparar para dois jogos difíceis frente à forte selecção da Ucrânia. Precisamos saber mais coisas sobre as nossas adversárias, provavelmente através da Finlândia, que perdeu com a Ucrânia.

Topo