O UEFA.com funciona melhor noutros browsers
Para a melhor experiência possível recomendamos a utilização do Chrome, Firefox ou Microsoft Edge.

O ano incrível de Kulig

Kim Kulig fez a sua estreia pela Alemanha em Fevereiro, mas a jovem de apenas 19 anos tem sido presença regular no meio-campo germânico, num ano inesquecível para a centrocampista.

Kim Kulig mostra o seu alívio depois da vitória na meia-final
Kim Kulig mostra o seu alívio depois da vitória na meia-final ©Getty Images

Quando Kim Kulig foi para o balneário, ao intervalo do jogo da meia-final do UEFA WOMEN'S EURO 2009™ frente à Noruega, teve um indesejável sentimento de "déjà vu".

Sem repetição
A Alemanha estava a perder por 1-0 e a centrocampista temeu uma repetição dos eventos em Tours, há um ano. Nessa altura, fazia parte da equipa alemã, também ela campeã em título, derrotada pela Noruega nas grandes penalidades, nas meias-finais do Campeonato Europeu Feminino de Sub-19. No entanto, a sua preocupação foi rapidamente aliviada, já que a Alemanha completou a reviravolta no Estádio de Futebol de Helsínquia, vencendo por 3-1 e garantindo a final no vizinho Estádio Olímpico de Helsínquia, frente à Inglaterra, esta quinta-feira.

Alívio
"Admito que pensei nesse cenário e que não queria perder novamente frente à Noruega", revelou Kulig ao uefa.com. "Estou realmente satisfeita pelo facto de termos sido capazes de dar a volta aos acontecimentos. Exibimo-nos a um bom nível na segunda parte e merecemos vencer".

Inglaterra talentosa
No entanto, não houve tempo para grandes festejos, já que 24 horas antes a Inglaterra já tinha reservado o seu lugar na final, e Kulig sabe que vai ter muito trabalho pela frente. "A Inglaterra é um adversário muito interessante", disse a jogadora do Hamburger SV, de 19 anos. "Têm estado bem ao longo do torneio e espero uma final muito boa. Possui uma equipa robusta, é forte nos desarmes, e também tem algumas jogadoras dotadas tecnicamente, o que as torna imprevisíveis. Também têm opções válidas no banco de suplentes, por isso espero um jogo difícil. Sem dúvida que a Kelly Smith é a estrela da equipa, mas há também a capitã [Faye White] e a [Karen] Carney é muito boa em termos técnicos e muito enérgica, corre bastante e aparece em várias zonas do campo".

Ascensão meteórica
Kulig registou a sua primeira internacionalização sénior em Fevereiro, num jogo amigável frente à China, e rapidamente se tornou numa presença regular na equipa. Como curiosidade, tinha apenas quatro anos quando a actual capitã, Birgit Prinz - na altura com 17 anos - marcou na final da edição de 1995. "Os últimos seis meses têm sido incríveis", disse Kulig. "Às vezes penso na rapidez com que tudo isto aconteceu, mas neste momento estou satisfeita por fazer parte da equipa".

Ritual
Antes da final, vai seguir um ritual habitual, ela que pretende fazer parte da conquista do quinto título europeu consecutivo da Alemanha, o sétimo no geral. "Ouço sempre a mesma música R&B e house antes do jogo, para me motivar; vou usar novamente a minha bandolete vermelha e entro sempre no relvado com o pé direito".