O UEFA.com funciona melhor noutros browsers
Para a melhor experiência possível recomendamos a utilização do Chrome, Firefox ou Microsoft Edge.

Schelin avisa para perigo inglês

Lotta Schelin alertou as colegas da selecção da Suécia acerca da possibilidade de a Inglaterra poder produzir a melhor exibição no Europeu Feminino e colocar em causa o apuramento nórdico.

Lotta Schelin bateu Anna Maria Picarelli e colocou a Suécia a vencer a Itália
Lotta Schelin bateu Anna Maria Picarelli e colocou a Suécia a vencer a Itália ©Getty Images

Lotta Schelin avisou as companheiras da selecção da Suécia acerca da possibilidade de a Inglaterra poder produzir a sua melhor exibição no UEFA WOMEN'S EURO 2009™. Se assim for, as hipóteses de as suecas se juntarem à Alemanha nos quartos-de-final poderão estar em perigo.

Empate chega
A Suécia está perto de carimbar a passagem no Grupo C, mas precisa de um empate para ter a certeza que vai defrontar um terceiro classificado nos quartos-de-final, enquanto o segundo classificado defrontará a Alemanha. "Queremos sempre vencer e não nos preocupamos com mais nada", afirmou Schelin. "E nem pensamos em evitar a Alemanha, pois é este jogo que conta agora".

Jogos complicados
Enquanto a Suécia bateu a Rússia (3-0) e a Itália (2-0), a Inglaterra perdeu por 2-1 com os transalpinos e foi obrigada a recuperar uma desvantagem de 2-0 ante os pupilos de Shalimov, tendo vencido por 3-2. "Sempre pensámos que a Inglaterra pudesse ser a principal oponente do grupo e nada mudou", lembrou Schelin. "Deixámos bons sinais após os dois primeiros jogos, mas nunca se sabe como corre com a Inglaterra. Elas podem ter demorado a carrilar, mas vão apresentar-se na máxima força frente a nós".

Oportunidades e golos
Schelin mostrou-se satisfeita por ter aberto a sua conta pessoal ante a Itália e marcado aos oito minutos, depois de logo no minuto inicial ter desperdiçado uma excelente oportunidade. "A primeira ocasião surgiu tão cedo que até me apanhou de surpresa. Mas pensei que ia ser o meu dia e foi isso mesmo que sucedeu", afirmou. "Podemos elevar o nosso nível e essa é a melhor parte. Do mesmo modo, sabíamos que, diante da Rússia e da Itália, a vantagem de dois golos iria ser suficiente para segurar a vantagem pois somos fortes nos finais dos jogos".

Sem sofrer
Nem mais. As estatísticas mostram que um golo basta para que as suecas possam ganhar, uma vez que a equipa comandada por Thomas Dennerby não costuma sofrer golos. Nem nos oito jogos da fase de qualificação, nem agora na Finlândia.

Desejo de Landström
A defesa-central Sara Larsson está lesionada na virilha mas a atacante Jessica Landström parece ter recuperado de uma lesão no ombro e deverá alinhar. "Fisicamente, estou pronta", afirmou Landström. "Já fiz corrida, ainda que não tenha integrado o trabalho táctico e espero defrontar a Inglaterra".