Alemanha elimina Suécia e disputa sexta final consecutiva

Suécia 0-1 Alemanha
Dzsenifer Marozsán marcou o golo que dá a sexta final europeia consecutiva às alemãs frente a uma selecção sueca que não materializou o domínio na segunda parte.

Alemanha elimina Suécia e disputa sexta final consecutiva
Alemanha elimina Suécia e disputa sexta final consecutiva ©UEFA.com

A Alemanha segurou novamente um lugar na final mercê de uma vitória tão apertada quanto sofrida diante da anfitriã Suécia. Numa final antecipada do UEFA Women’s EURO 2013, o golo de Dzsenifer Marozsán fez a diferença para as alemãs, que esperam agora pela outra meia-final para saber quem vão defrontar domingo, em Solna.

A Alemanha fez jus ao estatuto de melhor selecção na Europa protagonizando uma primeira parte de grande categoria e em que o golo marcado pecou por defeito, tantas foram as ocasiões criadas, com o “tiro ao alvo” a iniciar-se aos 10 minutos, quando Dzsenifer Marozsán cabeceou ao lado da baliza e terminou no minuto 41 numa grande defesa de Kristin Hammarström a uma cabeçada de Jennifer Cramer.

Pelo meio, as suecas viram-se superiorizadas em todos os momentos da partida e apenas em duas ocasiões alvejaram, para fora, a baliza de Nadine Angerer: Lotta Schelin (16’) e Josefine Öqvist (22’). No resto do tempo, a disponibilidade física de Anja Mittag e de Lena Lotzen acentuaram a superioridade alemã e empurraram as suecas para longe da sua área.

Depois de Simone Laudehr (33’) ter falhado o alvo, isolada, surgiu Marozsán, assistida por Mittag, a desviar de Hammarström para fazer o golo inaugural. Pouco depois, num lance em que a raça das alemãs ficou bem evidente, MIttag (36’) ganhou à possante Nilla Fischer e só não foi perfeita porque o chapéu à guarda-redes falhou o alvo.

A Suécia acordou após o intervalo e, aumentando a velocidade, começou a incomodar Angerer procurando as germânicas explorar os espaços que iam surgindo na zona intermédia para lançar contra-ataques. Num desses lances, Mittag surgiu na cara da guarda-redes sueca a atirar com defesa para canto.

Depois de a Suécia ter lamentado um golo invalidado a Lotta Schelin por falta sobre Annike Krahn, Öqvist (69’) atirou ao poste num lance em que a defesa alemã hesitou no que havia de fazer. Na recarga, Kosovare Asllani permitiu a defesa a Angerer. Três minutos depois, nem Schelin nem Asllani conseguiram rematar na pequena área.

Nos minutos finais acentuou-se a pressão e ansiedade das suecas e Caroline Seger (85’) pagou isso mesmo pois, com o empate nos pés, desperdiçou-o, atirando para fora.

Melhor em campo: Saskia Bartusiak (Alemanha)