Petersen garante empate à Dinamarca

Suécia 1-1 Dinamarca
Dois penalties defendidos por Stina Petersen negaram a vitória às anfitriãs no jogo inaugural, cujos golos foram marcados por colegas de equipa.

Petersen garante empate à Dinamarca
Petersen garante empate à Dinamarca ©Sportsfile

A anfitriã Suécia empatou com a Dinamarca, num emocionante jogo do Grupo A do UEFA Women's EURO 2013 que ficou marcado pelos dois penalties defendidos por Stina Petersen.

O Linköpings FC forneceu três titulares no conjunto da casa, mas foi uma das suas duas jogadoras dinamarquesas, Mariann Gajhede Knudsen, que inaugurou o marcador, a meio da primeira parte, mas a colega de clube, Nilla Fischer, fez de cabeça o empate, pouco tempo depois. Mais tarde, a Dinamarca ficou a dever o empate à sua guarda-redes, Petersen, que defendeu um penalty de Lotta Schelin, aos 67 minutos, e, a cinco minutos do fim, fez o mesmo no confronto com Kosovare Asllani.

Inspirada talvez pela colorida cerimónia de abertura, a Suécia pressionou no ataque, com Schelin a encontrar Asllani, companheira de sector, que rematou por cima. Pouco tempo depois, Asllani assistiu Caroline Seger, que também falhou o alvo.

A habitual formação em 4-3-3 da Dinamarca rapidamente lhe conferiu largura no terreno, graças a Katrine Veje e Johanna Rasmussen, duas das cinco jogadoras do seu onze inicial que alinham na Suécia. E aos 25 minutos, outra das atletas desse quinteto apontou o primeiro golo da fase final, com Knudsen a roubar a bola a Seger, no meio-campo, progredindo no terreno e, à entrada da área, a rematar em arco para o fundo das redes.

Esse tento impulsionou os 1000 adeptos dinamarqueses presentes num estádio lotado, com 16.128 espectadores, e imediatamente pediram o segundo à sua equipa. Mas aos 35 minutos, com que do nada, a Suécia empatou, com o livre de Sara Thunebro, desde o meio-campo, a ser cabeceado pela alta defesa Fischer. Um impulso de energia percorreu o estádio, e a Suécia podia ter partido em vantagem para o intervalo, mas o cabeceamento de Asllani foi afastado em cima da linha-de-golo, obrigando a uma defesa de Petersen na recarga.

Kenneth Heiner-Møller, no seu último torneio como treinador da Dinamarca, respondeu com a entrada de Nadia Nadim ao intervalo, mas a Suécia começou melhor a etapa complementar. Ørntoft efectuou um desarme crucial sobre Asllani, enquanto no outro extremo do campo o cabeceamento de Nadim não incomodou Kristin Hammarström, titular ao lado de Marie, sua irmã gémea e companheira de equipa no Göteborg FC.

Depois seguiu-se um período frenético na partida, com Kristin Hammarström a fazer uma brilhante dupla-defesa, a remates de Nadim e Rasmussen, para de seguida, na resposta sueca, Christina Ørntoft cometer falta sobre Asllani na área. Schelin, cabeça de cartaz do torneio, aprestou-se a cobrar o castigo máximo, que Petersen mergulhou para defender.

Nos últimos 20 minutos, disputados de forma aberta, qualquer uma das equipas podia ter chegado à vitória, e esta parecia inclinar-se para a Suécia, após mão de Theresa Nielsen na área. Desta feita a responsabilidade coube a Asllani, mas Petersen voltou a estar à altura dos acontecimentos. No sábado, a Suécia defronta a Finlândia, neste mesmo estádio, enquanto a Dinamarca joga com a Itália, em Halmstad, num grupo em que todas as equipas têm um ponto.