Duisburgo em frente, Zvezda afastado

O Duisburgo, detentor do título, foi uma das equipas a garantir a passagem aos quartos-de-final da UEFA Champions League Feminina, ao contrário do vice-campeão Zvezda.

O Røa afastou o Zvezda e garantiu pela primeira vez a passagem aos quartos-de-final
O Røa afastou o Zvezda e garantiu pela primeira vez a passagem aos quartos-de-final ©Anthony Greenwood/Kipax

O FCR 2001 Duisburg carimbou, na quarta-feira, a passagem aos quartos-de-final da UEFA Champions League Feminina, mas a equipa batida pela formação germânica em Maio passado na final da última edição da Taça UEFA Feminina, o Zvezda-2005, foi uma das sete a ficar pelo caminho nos oitavos-de-final. A ronda ficará concluída esta quinta-feira com a segunda mão do embate entre Olympique Lyonnais e Fortuna Hjørring, na qual a turma gaulesa parte em vantagem, depois da vitória por 1-0 na Dinamarca. O sorteio dos quartos-de-final, agendados para 10 e 17 de Março de 2010, terá lugar a 20 de Novembro (sexta-feira), a partir das 11h00 (hora de Portugal Continental).

Linköpings FC 0-2 FCR 2001 Duisburg (total: 1-3)
O Duisburgo viajou à Suécia depois de apenas ter evitado a derrota no encontro da primeira mão com um golo ao cair do pano. A necessitar de marcar para fugir à eliminação devido à regra dos golos fora, a formação alemã ganhou vantagem por intermédio de Alexandra Popp aos 58 minutos e viu Inka Grings confirmar o apuramento no período de descontos, colocando assim um ponto final na campanha de estreia do Linköping na Europa, onde a equipa sueca vai regressar em 2010/2011, após ter garantido esta época a conquista do seu primeiro título de campeã nacional.

Zvezda-2005 1-1 Røa IL total: 1-1, Røa apurado pelos golos fora)
O Røa passou, pela primeira vez, aos quartos-de-final de uma competição europeia ao levar a melhor sobre o finalista vencido da última edição da Taça UEFA Feminina. Um golo de Guro Knutsen Mienna, logo aos dois minutos, acabou por se revelar decisivo, apesar da pressão final das anfitriãs, após terem chegado à igualdade no marcador por intermédio de Natalia Barbashina, aos 61 minutos. Ainda assim, a formação russa tem garantido o regresso à prova na próxima temporada, depois de se ter sagrado campeã do seu país em 2009. "Penso que as pessoas não têm verdadeiramente noção do que isto significa", referiu a ponta-de-lança Elise Thorsnes. "Foi uma batalha dura, mas conseguimos um golo muito cedo que se revelou muito importante para nós".

Brøndby IF 0-4 1. FFC Turbine Potsdam (total: 0-5)
O Potsdam vingou a eliminação às mãos do Brøndby nos quartos-de-final em 2006/07 ao bater, em grande estilo, a formação dinamarquesa. Já com uma vantagem de 1-0 trazida da partida da primeira mão, na Alemanha, o campeão europeu de 2004/05 inaugurou o marcador aos seis minutos, por Nadine Kessler. Jessica Wich e Anja Mittag marcaram praticamente de seguida a meio da segunda parte, antes de Kessler bisar na partida e selar a goleada a dois minutos do apito final.

FC Bayern München 0-1 Montpellier Hérault SC (total: 0-1, a.p.)
Tal como havia acontecido há uma semana, em França, as duas equipas demonstraram enorme equilíbrio entre si e não conseguiram desfazer o nulo durante os 90 minutos. Tudo mudou no final da primeira parte do prolongamento, quando Élodie Ramos conduziu um rápido contra-ataque, finalizado da melhor forma por Hoda Lattaf. O Bayern necessitava, então, de dois golos para dar a volta à eliminatória nesta sua campanha de estreia nas provas europeias, mas não conseguiu sequer chegar à igualdade. A formação francesa continua na luta por, pelo menos, repetir o feito de 2005/06, temporada em que chegou às meias-finais.

Umeå IK 1-1 WFC Rossiyanka (total: 2-1)
Duas vezes vencedor da Taça UEFA Feminina e a única equipa a ter chegado a cinco finais, o Umeå, ficou a dever a passagem aos quartos-de-final à suada vitória por 1-0 na Rússia , depois de uma partida da segunda mão muito complicada na Suécia. Sofia Jakobsson ampliou a vantagem do Umeå na eliminatória, estavam decorridos apenas dois minutos de jogo, mas Anna Kozhnikova marcou para a turma russa perto do final do primeiro tempo e o Rossiyanka esteve, por várias ocasiões, perto de marcar novo golo fora de casa, que garantiria a passagem das russas à ronda seguinte. Tal como o Zvezda, contudo, também o Rossiyanka tem confirmado o regresso à UEFA Champions League Feminina na próxima temporada.

Arsenal LFC 2-0 AC Sparta Praha (total: 5-0)
O Arsenal soma agora 23 golos marcados e nenhum sofrido nos quatro jogos disputados na Europa na presente temporada. A formação inglesa começou por ser feliz aos 31 minutos do encontro da segunda mão, quando a capitã do Sparta, Kim Little, desviou a bola de cabeça para o fundo da sua própria baliza, na sequência de um pontapé de canto cobrado por Kim Little. Aos 11 minutos da segunda parte, a passe de Helen Lander, Little ampliou a vantagem do Arsenal, ao apontar o seu nono golo na presente edição da competição, 20º da temporada no conjunto de todas as competições. "Havia no ar a sensação de que a eliminatória já estava ganha, mas o Sparta tem uma boa equipa, muito bem organizada e bastante forte fisicamente", afirmou o treinador da equipa londrina, Tony Gervaise. "Tivemos algumas dificuldades no primeiro tempo, mas melhorámos na segunda parte e a nossa qualidade de jogo acabou por aparecer".

ASD Torres Calcio 4-1 SV Neulengbach (total: 8-2)
Vice-campeão italiano na temporada passada, o Torres repetiu o resultado da primeira mão frente às austríacas do Neulengbach. Ao intervalo, o resultado estava ainda em branco, mas logo nos primeiros segundos após o reatamento Raffaella Manieri inaugurou o marcador e, apesar de Nina Burger ainda ter restabelecido a igualdade, Elisabetta Tona, Daniela Stracchi e Silvia Fuselli marcaram nos últimos 16 minutos da partida e ofereceram uma vitória  confortável ao Torres.

Topo