Islacker, Šašić e Verónica sobre triunfo do Frankfurt

O UEFA.com falou com Célia Šašić e Mandy Islacker, autoras dos golos do Frankfurt, após o triunfo emotivo das germânicas e que foi especial para Verónica Boquete.

Mandy Islacker e Célia Šašic, autoras dos golos do Frankfurt
Mandy Islacker e Célia Šašic, autoras dos golos do Frankfurt ©Sportsfile

UEFA.com fala com as autoras dos golos do Frankfurt, Célia Šašić e Mandy Islacker, após a vitória por 2-1 na final
Suplente Islacker marca tento decisivo perto do fim e mal pode acreditar
Šašić, após fazer o 14º golo da temporada, diz que o Frankfurt dominou
Verónica Boquete empolgada depois de ter perdido a final há um ano, ao serviço do Tyresö FF

Mandy Islacker, autora de golo do Frankfurt
Significa muito, pois ainda não tinha conquistado qualquer troféu na minha carreira, por isso estou muito feliz por ter corrido bem. Ainda mal posso acreditar [por ter marcado o golo da vitória]. Vou interiorizar tudo mais tarde, ou daqui a uns dias. Ainda não acredito.

Para começar, foi difícil entrar no jogo [saindo do banco de suplentes], mas no golo nem olhei e estou muito feliz por ter entrado.

Célia Šašić, autora de golo do Frankfurt
Estes são o tipo de jogos de que gostamos, em especial se vencermos no fim. Conseguimos ganhar e é óptimo, pois saímos por cima e não perdemos nos derradeiros minutos como tinha acontecido no passado. Desta vez somos as vencedoras e penso que com justiça.

Dominámos o encontro, em especial na primeira parte, e o golo que sofremos foi totalmente desnecessário, pois fomos claramente a melhor equipa e elas não criaram perigo. Marcar no último minuto foi fantástico.

Verónica com o troféu
Verónica com o troféu©Sportsfile

Verónica Boquete, atacante do Frankfurt
Significa muito. Há bastante tempo que lutava por conquistar este troféu e, depois da final do ano passado, que terminou em lágrimas, este triunfo foi ainda mais especial.

Penso que a equipa sentiu-se forte e vimos durante a partida que elas não eram melhores do que nós. Em certos momentos sentimos que podíamos causar danos. Assim, esperámos pelo momento certo e, felizmente, o golo surgiu no derradeiro minuto.

Topo