Frankfurt bate Paris e atinge marco histórico

1. FFC Frankfurt 2-1 Paris Saint-Germain
A suplente Mandy Islacker marcou nos descontos e deu um inédito quarto título europeu ao Frankfurt.

Watch highlights of the 2015 UEFA Women’s Champions League as 1. FFC Frankfurt beat Paris Saint-Germain to win the competition for the fourth time.

Frankfurt conquista quarto título europeu frente ao estreante Paris
Célia Šašić abre o marcador e iguala recorde de 14 golos numa época
Marie-Laure Delie empata ainda na primeira parte, contra a corrente do jogo
Suplente Mandy Islacker marca golo da vitória nos descontos

O 1. FFC Frankfurt tornou-se na primeira equipa a conquistar quatro títulos da UEFA Women´s Champions League ao bater na final de Berlim o Paris Saint-Germain, por 2-1, graças a um golo de Mandy Islacker já nos descontos.

Numa final em que as alemãs procuravam entrar para a história, tornando-se na primeira equipa a somar quatro triunfos na competição, o facto de terem ficando em terceiro lugar na liga alemã – fora da próxima edição da UEFA Women's Champions League – era um forte incentivo, enquanto as francesas, estreantes em finais tinham essa participação assegurada, após o segundo lugar em França.

Contudo, a partida só animou depois de Célia Šašić (32) aproveitar um ressalto de um remate para, de cabeça, marcar e igualar o máximo de 14 golos numa época. Até então retraído, a resposta do Paris foi a melhor possível, e depois de Marie-Laure Delie (35) e Shirley Cruz Traña (39) terem posto à prova Desirée Schumann, a primeira aproveitou uma desatenção defensiva (40) para de cabeça repor a igualdade, resultado com que se chegou ao intervalo.

Com ambas as equipas a procurar repetir o feito do FCR 2001 Duisburg, em 2008/09, quando foi campeão europeu no ano em que não o foi a nível nacional, o Frankfurt entrou muito forte e Katarzyna Kiedrzynek teve de aplicar-se para negar golos a Šašić (49) e Peggy Kuznik (52). Pelo meio, Annike Krahn substituiu a sua colega, aliviando o remate de Verónica Boquete (50).

Campeão em 2002, 2006 e 2008, o Frankfurt aguentou depois a reacção – mais esforçada que bem-sucedida - do Paris, surgindo então Simone Laudehr (82) e a suplente Mandy Islacker (87) a atirar de fora da área sobre o travessão. No entanto, esta última não desistiu e, já nos descontos, deu a vitória à sua equipa.

Topo