Arsenal e Brøndby entre os apurados

Arsenal e Brøndby seguiram em frente naqueles que pareciam ser os oitavos-de-final mais disputados, com o campeão Lyon a continuar em prova, tal como o Frankfurt e o Rossiyanka.

©'Foto Gianfranco Carta

O Arsenal LFC e o Brøndby IF seguiram em frente, apesar das dificuldades sentidas na segunda mão dos oitavos-de-final da UEFA Women's Champions League, juntamente com as campeãs da Europa do Olympique Lyonnais, as tri-campeãs do 1. FFC Frankfurt e o FC Rossiyanka.

As restantes eliminatórias terminam esta quinta-feira, com o Göteborg FC a receber em casa o Fortuna Hjørring com 1-0 de vantagem, o FC Malmö a deslocar-se ao SV Neulengbach depois da vitória por 3-1 na primeira mão, enquanto as bi-campeãs do 1. FFC Turbine Potsdam vão à Escócia para defrontar o Glasgow City LFC com uns tranquilos 10-0 na bagagem. O sorteio dos quartos-de-final será a 17 de Novembro, com os encontros agendados para 14/15 e 21/22 Março.

Arsenal LFC 5–1 Rayo Vallecano de Madrid (total: 6-2)
O Arsenal tornou-se a primeira equipa a atingir os quartos-de-final da competição pela décima vez, depois de eliminar o Rayo nesta fase da prova pela segunda vez consecutiva. As "gunners" abriram o activo no minuto 16, quando Katie Chapman desmarcou Ellen White na direita, que cruzou para Jayne Ludlow. Dez minutos depois do intervalo, Kim Little fez o 2-0, com assistência de Ludlow.

Rachel Yankey fechou praticamente a eliminatória para as campeãs de 2007 dois minutos depois, quando captou um pontapé da guardiã Emma Byrne e passou a bola por cima de Alicia. A extrema inglesa veria um quarto golo seu ser anulado por fora-de-jogo, mas pouco depois voltaria a destacar-se ao fazer a jogada para Jordan Nobbs finalizar. Natalia fez o tento de honra para as espanholas com um remate de longe, com um lance individual de Danielle Carter a restabelecer a vantagem para as londrinas, que ainda viram as visitantes acertar na barra em duas ocasiões, já nos descontos.

ASD Torres CF 1-3 Brøndby IF (total: 2-5)
Esta parecia ser a eliminatória mais disputada, depois da escassa vitória em casa do Brøndby, por 2-1, na semana passada, e tal viria a confirmar-se aos 20 minutos, quando Silvia Fuselli colocou o Torres na frente da partida e destes oitavos-de-final com um tento marcado após um centro de Sandy Iannella. No entanto, sete minutos depois, Julie Rydahl Bukh colocou as duas vezes semifinalistas na frente da contenda, num lance em que foi isolada por Nanna Christiansen, cabendo-lhe, depois, contornar a guardiã Arianna Criscione e marcar já de ângulo reduzido. A meio da segunda parte, Lise Munk disparou em arco ao canto e, a 11 minutos do final, Aivi Luik resolveu a eliinatória para o Brøndby, colocando, ao mesmo tempo, um ponto final em duas eliminações seguidas nos oitavos-de-final ao atingir, pela sexta vez, os quartos-de-final da prova.

Paris Saint-Germain FC 2-1 1. FFC Frankfurt (total: 2-4)
As ténues esperanças do PSG em dar a volta aos 0-3 da primeira mão na Alemanha terminaram logo no segundo minuto, quando Fatmire Bajramaj isolou Ana Maria Crnogorčević, que, já na área, finalizou de pé esquerdo, obrigando as francesas a ter de marcar cinco golos para dar a volta à eliminatória. No entanto, com o andar do relógio, o PSG equilibrou a partida e, antes do intervalo, um centro de Kenza Dali foi amortecido de cabeça por Ella Masar, com a americana Alexandra Long a atirar a contar. A 16 minutos do final, outro cabeceamento de Long valeu o triunfo ao PSG, dando assim um moralizador triunfo na estreia da equipa francesa na competição.

FC Rossiyanka 3-3 FC Energiya Voronezh (total: 7-3)
O Energiya fez uma exibição mais convicente nesta eliminatória entre emblemas russos, depois da derrota caseira por 4-0 na primeira mão, altura em que ficou certo que ainda não é desta que iria atingir, ao fim de quatro anos, os quartos-de-final da prova. Cristiane e Elena Morozova, logo nos primeiros dez minutos, aumentaram ainda mais a vantagem das líderes do campeonato, com a brasileira a marcar de novo antes do intervalo, já depois de Emueje Ogbiagbevha ter reduzido. No entanto, as antigas jogadoras do Rossiyanka, Elena Terekhova e Elena Danilova, marcaram à sua antiga equipa e a guardiã Elvira Todua teve de se aplicar a fundo para negar o golo da vitória a Danilova e Verónica Boquete, mantendo assim o moralizador empate do Voronezh.

Olympique Lyonnais 6-0 AC Sparta Praha (total: 12-0)
O Lyon chegou, no mínimo, às meias-finais nas últimas quatro temporadas e as campeãs em título continuam a evidenciar a sua consistência e continuam firmes no propósito de atingir a terceira final consecutiva, depois de mais um triunfo nesta eliminatória. Lara Dickenmann marcou logo aos três minutos no Stade de Gerland com um grande "chapéu" à guardiã Lenka Gazdíková. A entrada de Lotta Schelin ao intervalo ajudou o Lyon a melhorar o seu jogo e, em cinco minutos, estaria envolvida nos lances que deram os dois golos de Camille Abily, havendo ainda espaço para ela própria marcar. Louisa Necib e Laura Georges marcaram os restantes golos das francesas.

Topo