Potsdam apura-se facilmente

A detentora do ceptro europeu feminino, Postdam, apurou-se facilmente para os quartos-de-final, enquanto o Juvisy Essonne somente no prolongamento logrou a qualificação. O UEFA.com faz uma ronda pelos encontros.

Fatmire Bajramaj (à direita) e Yuki Nagasato marcaram cinco dos nove golos do Potsdam frente ao Neulengbach
Fatmire Bajramaj (à direita) e Yuki Nagasato marcaram cinco dos nove golos do Potsdam frente ao Neulengbach ©1. FFC Turbine Potsdam

As detentoras do ceptro europeu feminino, 1. FFC Turbine Postdam, mais Olympique Lyonnais, FCR 2001 Duisburg, Zvezda-2005, Linköpings FC e FCF Juvisy Essonne qualificaram-se para os quartos-de-final, após terem, na quarta-feira, somado vitórias nos oitavos-de-final.

As duas vagas que ainda estão disponíveis para o sorteio de 19 de Novembro ficarão preenchidas na quinta-feira, quando as Arsenal Ladies FC tentarem dar a volta a uma derrota por 2-0 na recepção ao Rayo Vallecano de Madrid e o Everton defender a vantagem de 4-1 frente ao visitante Brøndby IF.

Fortuna Hjørring 0-3 FCR 2001 Duisburg (total: 2-7)
O Fortuna tinha esperanças de apurar-se após um bom desempenho na primeira mão na Alemanha, mas viu-se em desvantagem quando Stefanie Weichert se estreou a marcar nas competições europeias, desviando um livre de Femke Maes, quando estavam decorridos 32 minutos. Weichelt bisou dois minutos após o reatamento após ter recebido um passe em profundidade e, apesar de o Fortuna ter pressionado, a suplente Mandy Islacker acrescentou, a um momento do final, um tento ao conseguido na primeira mão.

SV Neulengbach 0-9 1. FFC Turbine Potsdam (total: 0-16)
Seis jogadoras encontraram o fundo das redes na goleada das detentoras do troféu sobre o Neulengbach pela segunda vez numa semana. Yuki Nagasato destacou-se na segunda parte ao apontar um "hat-trick", depois de Fatmire Bajramaj ter marcado por duas vezes em três minutos a meio da primeira parte, com o segundo a resultar de um canto directo. Inka Wesely, Jennifer Zietz e as suplentes Anja Mittag e Marie-Louise Bagehorn também marcaram.

Olympique Lyonnais 5-0 FC Rossiyanka (total: 11-1)
As finalistas da época passada continuam na corrida pelo triunfo final após um segundo triunfo confortável sobre as campeãs russas. Uma grande penalidade transformada por Eugénie Le Sommer aos 22 minutos reforçou a vitória por 6-1 da semana passada e, na segunda parte, a um autogolo de Anna Kozhnikova seguiram-se tentos de Sonia Bompastor e Lara Dickenmann. Sandrine Brétigny fecharia a contagem.

Zvezda-2005 4-0 Røa IL (total: 5-1)
O Zvezda vingou a sua derrota com o Røa em igual fase da prova na época passada com um trinfo fácil em Perm. Após um empate 1-1 na primeira mão, Dyatel abriu a contagem aos 24 minutos através de um forte remate, a passe de Daria Apanaschenko. Maria Ruiz aumentou a vantagem a 20 minutos do final, antes de fazer uma assistência para Apanaschenko concluir de cabeça, sem defesa para Caroline Knutsen. Maria Dyachkova sentenciou o resultado já em período de descontos.

AC Sparta Praha 0-1 Linköpings FC (total: 0-3)
O Linköping continua na demanda para emular o Umeå IK e levar o título europeu para a Suécia após uma vitória tangencial na segunda mão. Kosovare Asllani, Maria Karlsson e Louise Fors semearam o pânico no Sparta e na sua guarda-redes de apenas 15 anos, Barbora Majerová, que recebeu autorização para jogar da própria UEFA face às ausências de outras quatro guarda-redes, todas por lesão.  Lucia Ondrušová, Lucie Heroldová e Iva Mocová ameaçaram todas na outra área, mas, aos 63 minutos, Asllani desviou um livre de Fors, após ter sido derrubada por Petra Vyštejnová.

FCF Juvisy Essonne 2-2 Torres (total: 4-3, a.p.)
Liderando a eliminatória por 2-1, as anfitriãs pareciam caminhar facilmente para os quartos-de-final quando Laëtitia Tonazzi abriu o activo nos instantes iniciais. Golos na segunda parte de Sandy Iannella e Silvia Fuselli, o último dos quais a dez minutos do final, levou a eliminatória para o prolongamento, período no qual Tonazzi voltaria a marcar, qualificando o Juvisy.

Repórteres: Rasmus Munch, Ernst Schneider, Xavier Cerf, Igor Sturov, Evgeniy Anisimov e Aurélien Sagnier.

Topo