O UEFA.com funciona melhor noutros browsers
A partir de 25 de Janeiro, o UEFA.com já não vai suportar o Internet Explorer.
Para obter a melhor experiência possível, recomendamos que use Chrome, Firefox ou Microsoft Edge.

Caminho do Wolfsburgo até à vitória

O Wolfsburgo venceu a segunda final em duas presenças e o treinador Ralf Kellermann falou sobre o percurso da equipa até à reconquista do troféu em Lisboa.

O Wolfsburgo nunca perdeu uma eliminatória europeia
O Wolfsburgo nunca perdeu uma eliminatória europeia ©UEFA.com

16 avos-de-final: Pärnu JK 14-0 (f), 13-0 (c), total: 27-0
Destacaria o facto de esta temporada terem olhado para nós com outros olhos desde o início da prova e enfrentámos adversários fortes, mas na primeira eliminatória ficou 27-0, pelo que não foi, obviamente, de um nível da Champions League.

Oitavos-de-final: FCR Malmö 2-1 (c), 3-1 (f), total: 5-2
Frente ao Malmö pareceu já uma autêntica meia-final. Tivemos um jogo em que vencemos por dois golos, mas que facilmente poderíamos ter sido nós a perder por dois. Foi um encontro verdadeiramente espectacular por parte do Malmö. Para nós, esses dois embates – sobretudo o jogo fora, que vencemos – foram muito importantes para mostrar que, quando era necessário, frente às grandes equipas presentes na competição, podíamos confiar no nosso valor.

Quartos-de-final: FC Barcelona 3-0 (c), 2-0 (f), total: 5-0
Na primeira mão atacámos desde o primeiro minuto e não deixámos que elas colocassem em prática o seu tradicional "tiki-taka".

Meias-finais: 1. FFC Turbine Potsdam 0-0 (f), 4-2 (c), total: 4-2
A emotividade e a velocidade desses dois jogos das meias-finais foram uma excelente propaganda para o futebol feminino. Isso viu-se no facto de o segundo jogo ter sido disputado na Arena onde joga a equipa masculina, que foi colocada à nossa disposição e à qual atraímos mais de 10 mil espectadores. O futebol praticado pelas duas equipas constituiu uma muito boa publicidade para o futebol feminino. Esteve, sem dúvida, à altura do que se espera de umas meias-finais da Champions League.

Final: Tyresö FF 4-3 (Lisboa)
Na primeira parte não conseguimos exibir aquilo de que somos capazes e o Tyresö mostrou grande qualidade, sobretudo a nível individual. Se olharmos para o golo que Marta marcou, é um grande golo em qualquer parte do Mundo. No primeiro tento perdemos a bola em zona perigosa, o que não pode acontecer. Um minuto mais tarde surgiu um três contra dois e não se podem sofrer golos assim. No primeiro tempo não jogámos como pretendíamos, mas o que importa é o resultado final.

Avaliação global
No ano passado este clube viveu uma série de novas experiências. Não para todas as jogadoras, porque algumas já tinham vivido grandes êxitos nesta competição, ainda que noutros clubes. Mas mostrou que, com dedicação, era possível. A experiência de defrontar o favorito Olympique Lyonnais e vencer, erguer o troféu bem alto no ar, isso fez com que as jogadoras quisessem sentir tudo isso uma vez mais. O que disse a todas as minhas jogadoras e à equipa técnica é que todos trabalhámos muito para isto, ao longo de muito tempo, e não consigo expressar toda a gratidão que sinto.

Ralf Kellermann esteve à conversa com Markus Juchem