O "site" oficial do futebol europeu

Como o UEFA Women's EURO 2021 ajudará a desenvolver o futebol feminino

Publicado: domingo, 23 de Fevereiro de 2020, 1.02CET
Quando faltam 500 dias para o UEFA Women's EURO 2021 em Inglaterra, explicamos como se enquadra a prova na estratégia da UEFA para fortalecer o futebol feminino.
Como o UEFA Women's EURO 2021 ajudará a desenvolver o futebol feminino
A UEFA pretende incentivar a participação no futebol feminino em todas as faixas etárias ©FA
Publicado: domingo, 23 de Fevereiro de 2020, 1.02CET

Como o UEFA Women's EURO 2021 ajudará a desenvolver o futebol feminino

Quando faltam 500 dias para o UEFA Women's EURO 2021 em Inglaterra, explicamos como se enquadra a prova na estratégia da UEFA para fortalecer o futebol feminino.

O UEFA Women's EURO 2021 começa daqui a exactamente 500 dias em Inglaterra, com um recorde de 700.000 bilhetes disponíveis no país anfitrião.

Haverá também uma vasta cobertura de todos os jogos na televisão em sinal aberto, na rádio e na Internet, garantindo que qualquer pessoa se possa sintonizar no torneio, no qual outras 15 nações se irão juntar à Inglaterra na disputa do troféu. Com a final marcada para 1 de Agosto de 2021, no Wembley Stadium, a arena nacional de Inglaterra prepara-se para ser o palco das finais masculinas e femininas do UEFA EURO, em 2020 e 2021, respectivamente.

Como é que o UEFA Women's EURO 2021 se apoiará na popularidade do futebol feminino? Nós explicamos.

©FA

A fase final arranca em Old Trafford

Como se encaixa o UEFA Women's EURO 2021 na abordagem geral da UEFA para fortalecer o futebol feminino?

Em 2019, a UEFA lançou a sua primeira estratégia do futebol feminino, estabelecendo um plano claro de cinco anos para desenvolver da modalidade e aumentar a participação na Europa. Um dos principais objectivos da estratégia é duplicar o alcance e o valor das competições do UEFA Women's EURO e da UEFA Women's Champions League.

A decisão da UEFA de maximizar a exposição do EURO Feminino 2021 através da cobertura media em sinal aberto é uma das várias medidas projectadas para atingir esse objetivo geral. Outra é o novo formato da UEFA Women's Champions League, anunciado pela UEFA no final de 2019. A partir da temporada de 2021/22, a competição contará com uma fase de grupos de 16 equipas e terá cobertura centralizada de TV e marketing.

A mudança levará a um aumento de 20% no número de jogos da UEFA Women's Champions League. Mudar para um formato de fase de grupos (a competição é a eliminar a partir dos 16 avos-de-final) também irá incentivar a que haja desafios mais competitivos e maior visibilidade para o futebol de clubes de elite feminino.

O que está a UEFA a fazer fora dos seus torneios de elite para fortalecer o futebol feminino de "raízes"?

A campanha Together #WePlayStrong, da UEFA, foi lançada em 2017 para impulsionar outro componente-chave da nossa estratégia de futebol feminino: duplicar a participação feminina em toda a Europa para 2,5 milhões de jogadoras e, ao fazê-lo, transformar os padrões e a percepção do futebol feminino. A campanha atraiu com sucesso adolescentes ao futebol ao destacar os benefícios físicos, pessoais e sociais de praticar o desporto e de pertencer a uma equipa.

A nossa nova parceria com a Disney ter como base essa abordagem através do Playmakers – um programa inovador de futebol que usa as reconhecidas capacidades da Disney para contar histórias de modo a incentivar que mais raparigas façam exercício regularmente, esperando dar assim início a um amor pelo futebol ao longo da vida.

Como é que contar histórias pode atrair mais raparigas a jogar futebol?

©Getty Images

O Playmakers baseia-se em sondagens académicas financiadas pela UEFA que comprovam o papel positivo das narrativas em ajudar as crianças a praticar desporto. Diferentemente dos programas tradicionais de futebol, cada uma das dez sessões iniciais de treino do Playmakers segue a narrativa do filme Incredibles 2, o sucesso mundial de bilheteira de milhões de dólares da Disney e da Pixar. Equipados com bolas de futebol, coletes e cones, treinadores credenciados incentivam os participantes a desempenhar o papel de personagens populares como Elastigirl, Violet, Mr Incredible e Dash, dando vida às cenas de acção do filme por meio de movimento, trabalho de equipa e imaginação.

Tendo como alvo raparigas dos cinco aos oito anos que não jogam futebol, sete federações da UEFA – Áustria, Bélgica, Noruega, Polónia, Roménia, Escócia e Sérvia – irão distribuir Playmakers por escolas, clubes e comunidades locais. Espera-se que mais federações introduzam o programa mais para o final do ano. Actualmente, apenas 16% das raparigas se enquadram nos padrões mínimos de actividade física da Organização Mundial de Saúde (ver relatório da OMS). Esperamos que o Playmakers possam mudar esse número.

Como é que a UEFA vai incentivar as suas 55 federações-membro a apoiarem a sua estratégia investindo mais no futebol feminino?

A UEFA aumentou o financiamento para o desenvolvimento do futebol feminino em 50%. A partir de 2020, cada uma das suas 55 federações-membro receberá um incentivo anual de €150.000 destinado ao futebol feminino.

Última actualização: 23-02-20 10.30CET

https://pt.uefa.com/women/news/newsid=2639239.html#como+uefa+womens+euro+2021+ajudara+desenvolver+futebol+feminino