Final - 30-06-2015 - 20:45CET (20:45 Hora local) - Eden Stadium - Praga
0-0
Suécia vence 4-3 nos penalties 

Suécia - Portugal 0-0 - 30-06-2015 - Página do jogo - Europeu Sub-21 2015

SSI Err
O "site" oficial do futebol europeu

Suécia garante título de Sub-21 nos penalties

Publicado: Terça-feira, 30 de Junho de 2015, 22.50CET
Suécia 0-0 Portugal (ap, 4-3 nos penalties)
A Suécia esteve irrepreensível a defender e decidiu a final na "lotaria" das grandes penalidades.
por Nuno Tavares
de Estádio Eden

rate galleryrate photo
1/0
counter
  • loading...

Estatísticas dos jogos

SuéciaPortugal

Golos marcados0
 
0
Total de tentativas12
 
22
Remates à baliza3
 
4
Remates para fora8
 
11
Remates defendidos1
 
7
nos postes0
1
Cantos2
 
9
Foras-de-jogo0
6
Cartões amarelos2
 
0
Cartões Vermelhos0
 
0
Faltas cometidas16
 
9
Faltas sofridas9
 
16

Classificação

Publicado: Terça-feira, 30 de Junho de 2015, 22.50CET

Suécia garante título de Sub-21 nos penalties

Suécia 0-0 Portugal (ap, 4-3 nos penalties)
A Suécia esteve irrepreensível a defender e decidiu a final na "lotaria" das grandes penalidades.

Suécia ganha a Portugal 4-3 nos penalties e conquista troféu pela primeira vez
O guarda-redes da Suécia, Patrik Carlgren, defende terceiro penalty de Portugal, de Ricardo Esgaio, e o quinto, de William Carvalho
Jogo termina sem golos após prolongamento, apesar de Sérgio Oliveira ter estado perto de marcar
Ambas as equipas haviam perdido com a Itália no início dos anos 90, nas únicas finais de Sub-21 que haviam alcançado
Primeiro desempate por penalties numa final dos Sub-21 desde que a República Checa bateu a França em 2002

A Suécia conquistou pela primeira vez o Campeonato da Europa de Sub-21 da UEFA, ao vencer na final frente a Portugal por 4-3 nas grandes penalidades, após um nulo no final do tempo regulamentar e do prolongamento.

Portugal quase entrou a ganhar no Eden Stadium, com Ricardo a ficar muito perto do 1-0 logo aos dois minutos, rematando ligeiramente ao lado após um passe atrasado de Raphael Guerreiro. A equipa de Rui Jorge tomou rapidamente controlo do jogo e ameaçou ainda mais seriamente ganhar vantagem cinco minutos volvidos, quando Sérgio Oliveira acertou com estrondo na barra, na conversão de um livre directo.

A equipa portuguesa esmagava na percentagem de posse de bola e quase toda a acção do encontro decorria no meio-campo sueco, mas a verdade é que o conjunto escandinavo começou a acertar melhor nas marcações individuais e conseguiu, pelo menos, travar o assalto do adversário. E o assomo da Suécia permitiu-lhe mesmo obrigar José Sá à sua primeira intervenção digna desse nome, com Simon Tibbling a querer repetir a façanha do jogo da fase de grupos entre as duas equipas, quando assinou o tento do empate.

O equilíbrio de forças era agora maior, mas Portugal voltou a criar dois lances de perigo no espaço de três minutos e já na recta final da primeira parte. João Mário, em posição privilegiada, viu o seu remate na passada embater num adversário, antes de Raphael Guerreiro disparar forte de fora da área, mas ligeiramente por cima.

Ao contrário da etapa inicial, foi a Suécia a dispor da primeira oportunidade no regresso dos balneários, com John Guidetti, até esse momento discreto, a rematar de forma acrobática e com muito perigo. Quase logo de seguida, Rui Jorge mexeu na equipa e lançou Tozé para o lugar de Sérgio Oliveira. A selecção portuguesa ressentiu-se um pouco da ausência do seu capitão, mas foi curiosamente o seu substituto que devolveu emoção ao encontro, com Patrik Carlgren a ter dificuldades para travar o remate do médio do Estoril.

Iuri Medeiros, em campo há apenas dois minutos, ficou a milímetros do 1-0 num disparo de pé esquerdo ao poste mais afastado. Já com Gonçalo Paciência em campo, Portugal continuava a ser a equipa que mais procurava a baliza contrária, mas a verdade é que as forças já iam escasseando dos dois lados. Porém, aos 86 minutos, Guidetti teve nos pés a melhor ocasião de todo o encontro, numa jogada confusa que acabou com o avançado na cara de José Sá, mas o guardião voltou a estar gigante na baliza.

O prolongamento chegou e com ele uma excelente ocasião de Abdullah Khalili, aos 95 minutos, numa altura em que o jogo estava partido e a Suécia mostrava mais frescura física nas transições. Mas não dava para mais, pelo que tudo se decidiu nas grandes penalidades. E aí, Ricardo Esgaio falhou a terceira tentativa lusa, Khalili a quarta dos nórdicos e William Carvalho a quinta portuguesa. A Suécia levou a Taça para casa.

Última actualização: 29-11-16 11.53CET

http://pt.uefa.com/under21/season=2015/matches/round=2000411/match=2015383/postmatch/report/index.html#suecia+campea+sub