Checos querem chegar a Londres

Ondřej Mazuch afirmou que "nunca esteva tão zangado" como depois da derrota dos checos na meia-final, pelo que espera que a discussão entre todos ajude a melhorar o desempenho no "play-off".

Ondřej Mazuch quer que os checos mostrem o seu verdadeiro potencial
Ondřej Mazuch quer que os checos mostrem o seu verdadeiro potencial ©Action Images

Ondřej Mazuch espera que a conversa aberta tida no seio da equipa da República Checa, após a derrota na meia-final, resulte numa melhor exibição no "play-off" olímpico de sábado, ante a Bielorrússia, em Aalborg.

O defesa do RSC Anderlecht saiu do relvado em Herning furioso pela incapacidade até agora demonstrada pela sua equipa em mostrar o seu verdadeiro potencial na competição. No entanto, Mazuch acredita que a franqueza mostrada no balneário, logo após a derrota por 1-0, ante a Suíça, vai provocar melhorias na equipa.

"Falei no balneário da meia-final porque achei que era necessário. Não podemos sorrir e fazer de conta que nada se passou e dizer que o próximo jogo será melhor," disse o poderoso defesa-central, um dos elementos mais experientes, somando 25 presenças pelos Sub-21. "Nunca tinha estado tão zangado como depois do jogo de quarta-feira. Este foi o nosso quarto encontro na prova e, até agora, nunca jogámos bem. Isto é um aviso. Disse o que tinha que dizer e os restantes colegas apoiaram-me. Isso foi positivo. Mostrámos que ninguém está satisfeito com aquilo que foi o nosso desempenho. Espero que isto nos ajude no jogo com a Bielorrússia."

A derrota por 1-0 ante os suíços foi a gota de água no decepcionante desempenho dos comandados de Jakub Dovalil na fase de grupos. A pouco convincente reviravolta consumada ante a Ucrânia, no primeiro jogo, foi seguida pela derrota por 1-0 ante a Espanha, com os checos a salvarem-se e a rumarem às meias-finais graças a dois golos perto do fim frente à Inglaterra.

"Tivemos sorte em passarmos a fase de grupos. Fizemos uma boa parte ante a Inglaterra e 20 minutos com a Ucrânia. É melhor não falarmos no jogo com a Espanha", disse Mazuch, cuja selecção chegou à Dinamarca na condição de favorita dado que ali chegou vinda de uma fase de apuramento sem derrotas. "Vencemos a Alemanha [na qualificação] e tivemos muitas oportunidades de golo ante a Holanda e França [nos jogos particulares antes do Europeu]. Não perdíamos há dois anos, mas tivemos momentos aqui onde nada resultou."

Topo