Espanha de olhos postos no "tri"

Apesar de ter estado a perder até aos 89 minutos da meia-final frente à Bielorrússia, a Espanha deu a volta ao resultado e ficou a 90 minutos de conquistar o seu terceiro Europeu Sub-21.

Admir Mehmedi comemora o golo apontado à República Checa
Admir Mehmedi comemora o golo apontado à República Checa ©Getty Images

Pode ter estado a um passo de ser eliminada na meia-final desta quarta-feira, mas a reviravolta de Espanha frente à Bielorrússia deixou-a a 90 minutos de conquistar o seu terceiro Campeonato da Europa Sub-21.

A equipa de Luis Milla tem sido impressionante na Dinamarca, vencendo dois dos três jogos na fase de grupos, dominando no empate frente à Inglaterra e sobrevivendo a um grande susto frente aos bielorrussos, acabando por levar a melhor no prolongamento.

Os comandados de Georgi Kondratyev lideraram até aos 89 minutos do jogo das meias-finais, antes de sucumbirem ao empate tardio de Adrián López e aos golos no prolongamento do próprio Adrián e de Jeffren Suárez. Mas se a emocionante reviravolta surgiu nos instantes finais em Viborg, ainda assim teve o mérito de colocar a Espanha à beira do seu terceiro troféu no torneio Sub-21.

Impulsionada rumo à final pelo avançado Adrián, de 23 anos, cujos golos o colocaram na liderança da lista de melhores marcadores, a Espanha pode tornar-se apenas na segunda selecção a somar três troféus na categoria Sub-21 se vencer a Suíça em Aarhus, no sábado. Triunfos em 1986 e 1998 deixaram-na em igualdade com URSS, Holanda e Inglaterra. Apenas a Itália tem mais, com os "azzurrini" a sagrarem-se campeões em 1992, 1994, 1996, 2000 e 2004.

Naturalmente, a Suíça não tem intenção de deixar a Espanha terminar o jejum de 13 anos sem troféus. Apesar de tentar vencer a primeira final em que marca presença, a equipa de Pierluigi Tami tem motivos para estar confiante. Ao contrário do seu adversário, a Suíça venceu os quatro jogos realizados até ao momento na Jutlândia, e o mais impressionante é que o conseguiu sem sofrer golos.

Topo