Gutor quer imitar feito grego

Inspirado pelo surpreendente feito da Grécia no UEFA EURO 2004, Aleksandr Gutor lembra que "nada é impossível" e mostra-se confiante no triunfo da Bielorrússia sobre a Espanha, nas meias-finais.

Aleksandr Gutor já travou a anfitriã Dinamarca - conseguirá também travar a forte selecção espanhola?
Aleksandr Gutor já travou a anfitriã Dinamarca - conseguirá também travar a forte selecção espanhola? ©Getty Images

A Bielorrússia parte para o seu embate das meias-finais com a Espanha consciente de que o favoritismo estará do lado do adversário, mas Aleksandr Gutor confidenciou ao UEFA.com que, para o jogo desta quarta-feira, em Viborg, ele e os seus colegas vão procurar inspiração no surpreendente feito da Grécia no UEFA EURO 2004.

A selecção grega, orientada por Otto Rehhagel, chocou o mundo ao alcançar em Portugal uma das maiores surpresas da história do futebol com a conquista do troféu Henri Delaunay. Depois de ter visto a Bielorrússia passar às meias-finais à custa da Islândia e da anfitriã Dinamarca, Gutor poderá imitar os gregos e derrubar uma ultra-talentosa Espanha.

"Não sentimos qualquer pressão do nosso lado. Também ninguém acreditava na Grécia em 2004 e ela acabou por se sagrar campeã da Europa em Portugal. Nada é impossível", salientou o guarda-redes do FC BATE Borisov. "A Espanha é favorita e toda a gente pensa que será ela a conquistar esta competição. Talvez lhes possamos oferecer uma surpresa".

Com a Espanha a impressionar e a ter vencido sem grandes dificuldades o Grupo B, a tarefa dos pupilos de Georgi Kondratyev no Viborg Stadion parece extremamente complicada. Gutor, contudo, afirma que com a oportunidade de chegar à final de sábado, em Aarhus, ao seu alcance, a selecção bielorrussa tudo fará para a agarrar com as duas mãos.

"Todos estamos determinados em dar tudo o que temos, pois temos boas hipóteses de chegar à final. Trata-se de uma oportunidade única", destacou o guardião de 22 anos, que foi uma das principais figuras da sua selecção durante a fase de grupos. "Todos sabemos que a Espanha é muito forte, mas não há equipas invencíveis. Só pensamos em obter um resultado positivo".

A Bielorrússia poderá encontrar motivação no facto de ter empatado 1-1 num encontro amigável frente à selecção espanhola, disputado em Março último. Ainda assim, em caso de derrota, os bielorrussos terão a consolação de poderem continuar a lutar por um lugar nos Jogos Olímpicos de Londres 2012. Gutor, porém, salienta que a equipa está apenas concentrada no presente e no próximo jogo, e não pensa para já num possível "play-off" de apuramento para os Jogos Olímpicos, sábado, em Aalborg.

"Não pensamos no jogo de atribuição do terceiro lugar e da última vaga nos Jogos Olímpicos. Estamos totalmente concentrados em chegar à final", frisou. "Todos os jogadores espanhóis têm uma excelente capacidade técnica individual e combinam muito bem entre si. Têm uma interacção fantástica dentro de campo - forma uma equipa de enorme classe. Naturalmente, vimos os seus jogos mas não posso revelar os nossos segredos para os travarmos. Terão oportunidade de os ver durante o jogo".

Topo