O UEFA.com funciona melhor noutros browsers
Para a melhor experiência possível recomendamos a utilização do Chrome, Firefox ou Microsoft Edge.

EURO Sub-21: Antevisão dos quartos-de-final

Os quartos-de-final disputam-se esta segunda-feira, com Portugal a defrontar a Itália no recomeço da competição na Hungria e na Eslovénia.

Portugal treina no palco do jogo com a Itália, em Ljubljana, na véspera do arranque dos quartos-de-final
Portugal treina no palco do jogo com a Itália, em Ljubljana, na véspera do arranque dos quartos-de-final UEFA via Getty Images

Dois meses após terem garantido a continuidade ao ultrapassarem a fase de grupos do Campeonato da Europa de Sub-21, os oito participantes nos quartos-de-final regressam à Hungria e à Eslovénia para o início da fase a eliminar.

Todos os embates são na segunda-feira e começam com a Espanha, detentora do título, a defrontar a Croácia e os Países Baixos a medirem forças com a França, antes de Portugal enfrentar a Itália e da Dinamarca fazer o mesmo contra a Alemanha. Fazemos a antevisão de todos os encontros.

Venda de bilhetes

Fase a eliminar

Segunda-feira, 31 de Maio: Quartos-de-final
Espanha- Croácia (Maribor, 17h00 de Portugal Continental)
Países Baixos - França (Budapeste, 17h00)
Portugal - Itália (Ljubljana, 20h00)
Dinamarca - Alemanha (Székesfehérvár, 20h00)

Quinta-feira, 3 de Junho: Meias-finais
MF1: Países Baixos/França - Dinamarca/Alemanha (Székesfehérvár, 20h00)
MF2: Espanha/Croácia - Portugal/Itália (Maribor, 17h00)

Domingo, 8 de Junho: Final
Vencedor MF1 - Vencedor MF2 (Ljubljana, 20h00)

Como terminaram os grupos


Espanha - Croácia
(Maribor, 17h00)

Todos os golos da Espanha até agora

A campeã Espanha sofreu apenas um golo na qualificação esteve três jogos na mesma condição em Março, o que a deixou como uma das duas selecções invictas na competição até agora, ao lado da Dinamarca. E tem uma reputação para manter: a Espanha nunca perdeu qualquer jogo a eliminar no EURO Sub-21 antes da final desde que o formato do torneio foi introduzido em 1998.

A Croácia, pelo contrário, passou da fase de grupos pela primeira vez quando o espectacular golo de Domagoj Bradarić, apontado nos descontos frente à Inglaterra, reduziu o resultado para 2-1 – o que significou a ultrapassagem ao adversário e à Suíça no desempate a três jogos devido aos golos marcados. Bradarić, tal como Luka Ivanušec e Joško Gvardiol, foram incluídos na convocatória de Zlatko Dalić para o UEFA EURO 2020, mas o treinador dos séniores deu a Igor Bišćan autorização para utilizar o trio no jogo com a Espanha. De qualquer forma, mesmo que a Croácia vença deverão todos deixar o estágio dos Sub-21 após os quartos-de-final.

Veja o golo tardio que apurou a Croácia

Luis de la Fuente, seleccionador da Esoanha: "[A Croácia] é uma equipa muito dura, difícil de ultrapassar porque é uma muito boa. Também tem alguns jogadores importantes, que competem ao mais alto nível. Vão obrigar-nos a mostrar a nossa melhor versão para termos alguma hipótese de superá-los."

Igor Bišćan, seleccionador da Croácia: "[A Espanha] tem dominado nos Sub-21 nos últimos dez anos e a geração mais recente mostrou que está a seguir o caminho das anteriores. Vai ser uma jogo difícil para nós. Eles são claramente favoritos, mas – por causa de tudo o que passamos, tanto no torneio como na qualificação – surgiu um sentimento de coesão e união entre a equipa e o 'staff'. Isso dá-nos esperança de que, se nos prepararmos bem e mantivermos uma atitude positiva, podemos surpreender a Espanha."

Veja todos os convocados

Países Baixos - França (Budapeste, 17h00)

Todos os golos dos Países Baixos até agora

Após empatarem 1-1 com a Roménia e a Alemanha, em Budapeste, os Países Baixos voltaram aos grandes resultados ao golearem a co-anfitriã Hungria por 6-1, com Cody Gakpo em destaque ao marcar dois golos e a oferecer outros tantos. No entanto, Gakpo está nos convocados provisórios para o UEFA EURO 2020, mas com uma equipa onde figuram Justin Kluivert, Dani de Wit, Myron Boadu e Brian Brobbey, entre outros, talento é coisa que não falta no ataque.

A França recuperou da derrota inicial contra a Dinamarca ao vencer a Rússia e a Islândia por 2-0 (de ambas as vezes com dois golos apontados na primeira parte). Dayot Upamecano e Moussa Diaby, dupla que actua na Bundesliga, é uma importante mais-valia na selecção gaulesa. Contudi, o guarda-redes titular Alban Lafont está de fora devido ao envolvimento do Nantes no "play-off" de descida de divisão da Ligue 1. Etienne Green foi convocado para se juntar a Illan Meslier e Dimitry Bertaud, o único dos três com jogos pelos Sub-21.

Todos os golos da França até agora

Erwin van de Looi, seleccionador dos Países Baixos: "Vencemos o nosso grupo e não esperávamos defrontar a França, mas eles acabaram por ficar em segundo lugar. Acho que a França teve uma experiência semelhante à nossa: teve azar e perdeu o primeiro jogo contra a Dinamarca e depois mostrou-se sólida nas restantes partidas. É uma equipa muito forte, com bons jogadores a nível individual, que jogam ao mais alto nível numa liga francesa forte. Alguns actuam no estrangeiro; também são muito fortes fisicamente e têm um estilo de jogo particular. Vai ser um enorme desafio para nós e certamente não vai ser fácil."

Sylvain Ripoli, seleccionador da França: "O que impressiona nos holandeses é a sua maturidade técnica como equipa. São muito inteligentes e maduros em termos de controlo, da sua capacidade de sair rapidamente a jogar e em sintonia. Obviamente, os Países Baixos são uma grande equipa com muita individualidade e talento em todas as áreas. Foram inteligentes na abordagem à qualificação; empataram duas vezes e venceram a última partida. Mas fizeram jogos muito bons, mostraram consistência e, mais uma vez, a nível técnico, a equipa esteve muito forte."

Onde ver os jogos na TV


Portugal - Itália
(Ljubljana, 20h00)

Todos os golos de Portugal até agora

Portugal ultrapassou a fase de grupos com distinção ao vencer a Croácia, a Inglaterra e a Suíça sem sofrer golos e os dois últimos jogos foram disputados no Stadion Stožice, onde agora regressa. As boas exibições aumentaram a reputação com que vinham os comandados de Rui Jorge, principalmente com a criatividade de Fábio Vieira e de Vitinha, antes desta fase do torneio.

A Itália terminou os dois empates iniciais, com a República Checa e a Espanha, reduzida a nove jogadores, mas o triunfo por 4-0 sobre a co-anfitriã Eslovénia, numa partida em que Patrick Cutrone marcou por duas vezes, trouxe o país recordista em conjunto com cinco vitórias no torneio, de volta ao caminho certo. O avançado Riccardo Sottil está de regresso à selecção italiana após debelar a lesão muscular numa coxa que o manteve fora da fase de grupos.

Veja todos os golos da Itália até agora

Rui Jorge, seleccionador de Portugal: "A Itália é normalmente uma equipa muito decidida e madura, e esta não é excepção. Eles são muito consistentes, têm jogadores bastante experientes e são muito agressivos, com individualidades que podem mudar um jogo num instante. Têm dois avançados fantásticos e são muito consistentes e maduros. No geral, são muito perigosos."

Paolo Nicolato, seleccionador da Itália: “Conhecemos muito bem Portugal, porque tem tido um crescimento semelhante ao nosso desde EURO Sub-19 [de 2018], quando nos venceu no prolongamento. Sabemos que a sua equipa de Sub-17 conquistou a medalha de ouro [em 2016], os Sub-19 ganharam uma de prata [em 2017] e uma de ouro [em 2018], por isso estamos a falar da elite. É uma grande motivação e respeitamos muito as suas qualidades.”

Dinamarca - Alemanha (Székesfehérvár, 20h00)

Veja a vitória que apurou a Dinamarca

A Dinamarca deixou França, Islândia e Rússia para trás com três vitórias e seis golos sem resposta na fase de grupos, aliás, exactamente como Portugal. Os entusiasmantes extremos Jacob Bruun Larsen e Gustav Isaksen foram apenas um dos aspectos das impressionantes exibições produzidas pela equipa de Albert Capellas, que até esteve privada de vários jogadores importantes devido a terem sido convocados para a selecção principal.

A primeira vitória da Alemanha por 3-0, inspirada por Ridle Baku, sobre a co-anfitriã Hungria, em Székesfehérvár, garantiu que podiam empatar com os vizinhos Países Baixos e a Roménia e, mesmo assim, seguirem em frente num desempate a três. Stefan Kuntz apresenta a sua equipa na Hungria depois de uma semana de estágio nos Alpes, tal como fez antes da fase final de 2019, quando bateu a Dinamarca a abrir, por 3-1, antes de terminar em segundo lugar. Niklas Dorsch está suspenso para os quartos-de-final.

Todos os golos da Alemanha até agora

Albert Capellas, seleccionador da Dinamarca: “[A Alemanha] tem formas diferentes de jogar, o que os torna menos menos previsíveis. São muito bons no contra-ataque; é preciso ter cuidado quando ficam lá atrás porque deixam sempre um ou dois jogadores livres no ataque. Têm jogadores muito rápidos e, se conseguirem entrar na área, irão causar perigo."

Stefan Kuntz, seleccionador da Alemanha: "Vimos os jogos [da Dinamarca] e defrontámo-los em torneios anteriores. Foram sempre partidas difíceis e muito equilibradas com pouco a distinguir quando vencia ou perdia. É claro que vamos precisar novamente de estabilidade defensiva [como na fase de grupos], mas a consistência e a concentração irão desempenhar um papel importante. Não podemos dar ao luxo de cometer muitos erros frente à Dinamarca."