Inglaterra derrota Suécia com golo de Lingard

Suécia 0-1 Inglaterra
Um tento de Jesse Lingard, aos 85 minutos, terminou com a longa espera inglesa e relançou-a no caminho das meias-finais.

Highlights: Sweden 0 England 1
Highlights: Sweden 0 England 1

Jesse Lingard, extremo do Manchester United, dá a vitória da  Inglaterra sobre a Suécia
Formação de Gareth Southgate tem agora os mesmos três pontos que o adversário no Grupo B
Primeira vitória da Inglaterra na fase final de um EURO Sub-21 desde o triunfo sobre a Suécia nas meias-finais de 2009
Lingard coloca um ponto final numa série de cinco jogos da Inglaterra sem marcar em lances de bola corrida na fase final de um EURO Sub-21
Próximos jogos: Inglaterra - Itália, Portugal - Suécia (quarta-feira)

Quando parecia já uma equipa sem ideias em Olomouc, a Inglaterra relançou-se na corrida pelo apuramento para as meias-finais do Campeonato da Europa de Sub-21 da UEFA.

Gareth Southgate sempre desejou ver a sua equipa "jogar com um determinado estilo", mas até a sua paciência foi testada ao limite no Estádio Ader. A Inglaterra circulou a bola, atacou, continuou a atacar, mas a Suécia resistia. Os ingleses mostravam-se demasiado cerimoniosos e cautelosos durante grande parte do processo de construção. Tudo demasiado planeado, provavelmente. Depois apareceu Lingard.

Que o golo do extremo entretanto entrado em campo tenha vindo de um canto nem surpreendeu, atento ao facto de a Inglaterra se ter revelado mais perigosa quando optou por improvisar algo, ao contrário do desejo de Southgate. Nathan Redmond, Carl Jenkinson e Harry Kane – as três principais ameaças salientadas por Håkan Ericson no sábado – combinaram bem no minuto 27, mas o avançado do Tottenham não conseguiu cabecear com a melhor direcção. Will Hughes parecia ter mais espaço quando foi lançado por Alex Pritchard, mas viu Filip Helander bloquear-lhe o remate quando já nada o fazia prever.

Meias-ocasiões por parte de Simon Tibbling, John Guidetti e Isaac Kiese Thelin foram o melhor que os suecos conseguiram fazer nos primeiros 45 minutos. No entanto, a sua persistência em jogar com dois atacantes fazia com que a Inglaterra não se pudesse lançar no ataque como mais gostaria.

Southgate optou por apostar num semelhante 4-4-2 ao colocar Danny Ings ao intervalo. O novo jogador do Liverpool mexeu com o jogo, mas era o No9 da Inglaterra que se mantinha como referência no ataque, com Jenkinson a quase beneficiar desta alteração, por volta da hora de jogo, quando surgiu para receber um centro atrasado de Kane, mas o seu remate foi à malha lateral.

Mesmo apesar de ter em campo uma dupla atacante que marcou um total de 32 golos na última edição da Premier League, o facto é que o golo não chegava. A espera da Inglaterra por um tento num lance de bola corrida, desde que Danny Welbeck marcou na derrota por 2-1 frente à República Checa, a 19 de Junho de 2011, parecia continuar, só que Lingaard, na sequência de um canto, controlou a com o peito e disparou a contar à entrada da área. A espera de 459 minutos chegava ao fim.