Capel revela satisfação depois do apuramento sofrido

Os suplentes foram decisivos na salvação da Espanha, na meia-final ante a Bielorrússia, com Diego Capel a falar no alívio que se sente depois do apuramento para a final, quando a equipa esteve a minutos da eliminação.

Os suplentes da Espanha invadiram o campo depois do apito final do jogo ante a Bielorrússia
©Getty Images

A calma caminhada que a Espanha tinha tido no Campeonato da Europa de Sub-21, passou por uma forte tempestade na meia-final, mas depois de quase eliminada, os seus jogadores já pensam na final com a Suíça.

Depois de ter visto Andrei Voronkov chegar ao golo, no final da primeira parte, a Espanha chegaria ao empate apenas no minuto 89. Depois, com a Bielorrússia incapaz de reagir, os comandados de Luis Milla resolveram a contenda no prologamento, com Adrián López a marcar o segundo da partida, cabendo ao recém-entrado Jeffren Suárez fazer o resultado final.

Os suplentes da Espanha revelaram-se decisivos na reviravolta. Um deles, Diego Capel, construiu o lance que Adrián concluiu de cabeça no minuto 105 e reconheceu que a sua equipa travou uma grande batalha em Viborg. "A verdade é que este foi um jogo muito difícil", afirmou. "A equipa fez um bom trabalho. Depois do empate, dominámos e isso matou o adversário do ponto de vista psicológico."

Milla, sem surpresa, apostara no mesmo "onze" que começara os últimos dois jogos, que terminaram com cinco golos marcados e nenhum sofrido, números que falam por si. A Espanha teve muitas dificuldades para furar a muralha bielorrussa, em especial depois de se encontrar a perder. Foi precisa a entrada de Capel, Jeffren e Bojan Krkić para dar à Espanha a profundidade necessária.

"Para ser honesto, estamos muito contentes", disse o extremo do Sevilla FC, de 23 anos. "Não apenas com os jogadores que jogaram, mas também com os que ficaram no banco, que trabalharam muito para estar aqui." A Espanha atingiu o primeiro objectivo para esta fase final. "Sim, conseguirmos o apuramento para os Jogos Olímpicos era fundamental. Vamos agora jogar a final e esperamos trazer o título de volta para Espanha."

O tento de Jeffren no minuto 113 foi a cereja no topo do bolo, mas tal como o jogador do FC Barcelona afirmou, por pouco não teve oportunidade para tal. "Depois do golo, eles jogaram muito atrás", disse o avançado de 23 anos, cujo cruzamento para o primeiro golo de Adrián foi, provavelmente, a sua contribuição mais importante. "Conseguimos dar a volta no prolongamento, onde fizemos o que sabemos fazer melhor, e fizemo-lo bem."

Apesar do sofrimento, Adrián achou que a Espanha mereceu o triunfo. "Fizemos 20 remates à baliza e eles apenas dois, pelo que acho que o futebol foi leal connosco esta noite", disse o avançado que, com cinco golos, é o melhor marcador da prova.

Essa foi uma opinião partilhada por Jeffren. "Estávamos a sofrer no banco. Controlámos o jogo desde o início e a bola não queria entrar, mas, no final, ela lá acabou por encontrar a rede." Assim, de quase eliminada pela Bielorrússia, a Espanha continua no seu caminho, com a final, ante a Suíça, em Aarhus, a ser o último destino da caminhada rumo ao terceiro título.

Topo