O UEFA.com funciona melhor noutros browsers
A partir de 25 de Janeiro, o UEFA.com já não vai suportar o Internet Explorer.
Para obter a melhor experiência possível, recomendamos que use o Chrome, o Firefox ou o Microsoft Edge.

Gutor feliz por ver a sorte sorrir à Bielorrússia

Aleksandr Gutor, guarda-redes da Bielorrússia, desempenhou um papel importante na passagem da sua equipa às meias-finais, mas admitiu que o apuramento da sua selecção se ficou a dever, igualmente, "a muita sorte".

A Bielorrússia agradeceu à sorte a sua passagem às meias-finais
A Bielorrússia agradeceu à sorte a sua passagem às meias-finais ©Getty Images

Aleksandr Gutor, guarda-redes da Bielorrússia, desempenhou um papel importante na passagem da sua equipa às meias-finais, mas admitiu ao UEFA.com que o apuramento da sua selecção se ficou a dever, igualmente, "a muita sorte".

O guardião do FC BATE Borisov tem-se afirmado como uma das principais figuras da turma bielorrussa na Dinamarca, em especial com um punhado de brilhantes intervenções no triunfo sobre a Islândia, no encontro inaugural. Depois de ter perdido por 2-1 diante da selecção da casa, na segunda jornada, uma derrota por 3-0 em Aarhus, no derradeiro encontro, frente à Suíça, vencedora do Grupo A, levou Gutor a reconhecer que a sorte tinha estado do lado da Bielorrússia no apuramento para as meias-finais, fruto de uma melhor diferença de golos no confronto directo com dinamarqueses e islandeses.

"Claro que é inesperado perder 3-0 - e ainda mais perder dois jogos com um total de 1-5 em golos - e ainda assim seguir em frente na prova. Penso que tivemos muita sorte", destacou o Nº1 bielorrusso, de 22 anos, que viu o seu país chegar pela primeira vez às meias-finais de um Campeonato da Europa de Sub-21, ao fim de três tentativas. "Não posso dizer que se trata de uma compensação pelas vezes em que a nossa selecção nacional alcançou bons resultados mas acabou eliminados. Não devemos comparar os anteriores torneios com este. Esta noite a história é outra. Vivemos no presente e estamos felizes por as coisas terem acabado por correr bem para o nosso lado".

O desenlace teria, contudo, sido outro se a Islândia não tivesse conseguido marcar ao cair do pano em Aalborg, frente à anfitriã Dinamarca. "Sabia que, lá, o resultado estava em 2-0, depois 2-1", referiu o capitão da Bielorrússia, Mikhail Sivakov. "Quando o nosso jogo terminou percebi, ao olhar para a reacção dos meus colegas e equipa técnica, que as coisas tinham acabado por correr bem para nós. Primeiro custou a acreditar, mas depois veio a confirmação".

Pela frente nas meias-finais, quarta-feira, em Viborg, os bielorrussos terão pela frente os vencedores do Grupo B. Os pupilos de Georgi Kondratyev vão assistir atentamente aos jogos deste domingo, que definirão o seu próximo adversário, com a possibilidade de verem carimbado desde já o passaporte para os Jogos Olímpicos de Londres 2012, caso a Inglaterra garanta um lugar entre os quatro semi-finalistas.

"Estamos muito satisfeitos por chegar às meias-finais, pois trata-se de algo de inédito. Perdemos 3-0 mas vamos dar tudo para vencer a nossa semi-final e marcar presença na final", garantiu Gutor. "Seria bom se a Inglaterra passasse o seu grupo, pois assim teríamos já assegurada a presença nos Jogos Olímpicos. Tirando isso, não tenho preferências em relação a quem siga em frente. Basta-nos a satisfação de ainda continuarmos em prova".