Combata a COVID-19 seguindo as indicações da Organização Mundial de Saúde e os cinco passos da FIFA para travar a propagação da doença.

1. Lavar as mãos 2. Tossir para o antebraço 3. Não tocar no rosto 4. Manter a distância física 5. Ficar em casa.
Mais informação >
 

Mehmedi destaca química suíça

Admir Mehmedi disse ao UEFA.com que nem ele mesmo era capaz de explicar o sucesso da Suíça na prova até ao momento, depois de bisar no terceiro triunfo consecutivo na prova.

Admir Mehmedi foi a principal estrela da Suíça no triunfo sobre a Bielorrússia
Admir Mehmedi foi a principal estrela da Suíça no triunfo sobre a Bielorrússia ©Getty Images

Distinguido com o Prémio Desportivo Melhor em Campo Carlsberg, Admir Mehmedi destacou que nem ele mesmo era capaz de explicar o sucesso da Suíça na prova até ao momento, depois de bisar na vitória sobre a Bielorrússia e ajudar a selecção helvética a seguir para as meias-finais com um registo 100 por cento vitorioso.

Os pupilos de Pierluigi Tami concluíram o Grupo A com um convincente triunfo por 3-0 sobre a selecção bielorrussa, que ainda assim também se apurou para a próxima fase. A Suíça, porém, mostrou estar um patamar acima dos restantes adversários no torneio até ao momento, embora Mehmedi não consiga encontrar uma razão para explicar a notável confiança que tem permitido à equipa exibir-se em grande estilo.

"Não sei de onde vem esta nossa confiança, mas é fantástico que tudo esteja a correr tão bem", destacou o avançado do FC Zürich, cujos dois golos na primeira parte do encontro deste sábado abriram caminho ao triunfo suíço. "Foi extraordinário ver as coisas correrem bem para mim, mas tenho de felicitar toda a equipa. Jogámos bem esta noite e merecemos voltar a não sofrer golos. Vencemos o grupo com nove pontos e sem golos sofridos. Era difícil pedir mais".

Tal como havia sucedido no segundo jogo, frente à Islândia, a Suíça cedo ganhou vantagem no encontro disputado em Aarhus. Mehmedi inaugurou o marcador na transformação de uma grande penalidade, antes de bisar na partida a dois minutos do intervalo. Vindo do banco, Frank Feltscher fez o terceiro tento da selecção helvética já nos descontos, mas o defesa Timm Klose - naturalmente - fez questão de salientar o orgulho sentido pelo terceiro jogo consecutivo sem sofrer golos.

"Mantivemo-nos muito compactos enquanto equipa. Estivemos sempre muito concentrados em campo e não concedemos muitas oportunidades de golo, pelo que há que felicitar todo o conjunto, não apenas o sector defensivo", realçou o central de 23 anos. "Quando não se sofre golos, tudo começa no trabalho dos avançados. As coisas resultaram bem para o nosso lado".

No encontro das meias-finais, agendado para quarta-feira, em Herning, a Suíça terá agora pela frente o segundo classificado do Grupo B. O adversário apenas ficará definido este domingo, mas Tami sabe que a equipa terá de o enfrentar sem o contributo do médio Granit Xhaka, castigado após ver, frente à Bielorrússia, o segundo cartão amarelo na fase de grupos.

"Fiquei com muita pena por ele; é um elemento muito importante da nossa equipa", reconheceu Klose. "É triste para ele, mas nós temos bons jogadores no banco, ansiosos por mostrar o seu valor nas meias-finais, e penso que temos capacidade para substituir qualquer jogador".

Topo