Título decide-se em Malmo

Uma semana depois do empate a uma bola na fase de grupos, Inglaterra e Alemanha voltam a medir forças, mas agora na final do Campeonato da Europa de Sub-21 de 2009, em Malmo.

Título decide-se em Malmo
Título decide-se em Malmo ©UEFA.com

Uma semana depois de terem empatado 1-1 em jogo do Grupo B, Inglaterra e Alemanha voltam a encontrar-se, com o título do Campeonato da Europa Sub-21 de 2009 em disputa.

Embate clássico
A decisão do torneio acontecerá com um clássico do futebol europeu, uma prova que teve início há 15 dias, em Halmstad, e que vibrou de emoção no Novo Estádio de Malmö, com a goleada impressionante da Suécia sobre a Bielorrússia, por 5-1. Apesar de a participação da selecção anfitriã ter terminado frente à Inglaterra, na sexta-feira, a possibilidade de dois velhos rivais lutarem pela conquista do título garante um final de cpmteição cativante. Não que o treinador da Inglaterra, Stuart Pearce, estivesse preparado para debater a rica história futebolística das duas nações.

"Não há favoritos"
"O que se passou antes é irrelevante", afirmou Pearce na conferência de imprensa conjunta com o seu homólogo, Horst Hrubesch. "A única história que queremos criar é a de amanhã à noite". O treinador alemão foi mais expansivo quando se pronunciou sobre o empate da passada segunda-feira, mas tal como Pearce, acredita que não vai ter relevância na final. "A Inglaterra tem alguma vantagem em relação a nós nos lances de bola parada, mas não creio que isso vá ter influência", disse. "Numa final, nenhuma das formações é favorita. Estou convencido que vamos vencer, mas acaba por haver 50 por cento de hipóteses para cada equipa".

Atenção de Pearce
Se Hrubesch estava encantado com o terceiro jogo da Alemanha sem sofrer golos, depois da vitória por 1-0 sobre a Itália, nas meias-finais, Pearce viveu uma tarde emocionante em Gotemburgo. A Inglaterra desperdiçou uma vantagem de 3-0 frente à Suécia, antes de se impor no desempate por grandes penalidades. Depois de ter sobrevivido a esse susto, pretende terminar o serviço da melhor maneira. "Como grupo sentimos como se não tivéssemos triunfado. A única maneira de o conseguir é vencendo amanhã.É o tudo ou nada. Não há sucesso com vitórias morais".

"Expectativas elevadas"
Com a presença anunciada dos treinadores das respectivas selecções principais, Joachim Löw e Fabio Capello, para assistir à final, o sucesso também vai ser medido por aquilo que fizerem nos próximos anos. Uma contribuição decisiva neste torneio pode deixar uma boa impressão. Os dois países também estiveram envolvidos na final de 1982, com a Inglaterra a levar a melhor no conjunto das duas mãos, antes de conquistar o outro título na categoria Sub-21 do seu palmarés dois anos depois. A Alemanha, de forma surpreendente, nunca venceu esta competição, e não há oportunidade melhor do que esta para completar um triplo de conquistas, depois dos triunfos nos Sub-17 e Sub-19 nos últimos dez meses. "Os jogadores deram o seu melhor ao longo do torneio e partem para este jogo com expectativas elevadas", disse Hrubesch.

Castigos
É provável que Hrubesch coloque em campo o avançado Sandro Wagner, para o lugar do castigado Ashkan Dejagah, enquanto o capitão de equipa, Sami Khedira, deve estar de regresso, após lesão. No entanto, Marko Marin não se treinou no domingo devido a um problema num tornozelo. Pearce também se debate com alguns problemas, por culpa dos castigos do guarda-redes Joe Hart e dos avançados Gabriel Agbonlahor e Fraizer Campbell. Com as opções atacantes limitadas, Theo Walcott pode aparecer numa posição central pouco habitual, como ponta-de-lança, seja como único atacante ou acompanhado por James Milner e Adam Johnson nos flancos, no esquema de 4-3-3 utilizado por Pearce. O técnico recusou-se a adiantar se vai ser Joe Lewis ou Scott Loach a ocuparem o lugar na baliza, depois de cada um deles ter alinhado 45 minutos frente à Alemanha, em Halmstad.

"Equipa forte"
O golo de Jack Rodwell nesse jogo foi o único que a Alemanha sofreu até ao momento. "É uma equipa muito forte, com qualidades excepcionais, especialmente a nível individual", disse Hrubesch. "Praticámos bom futebol em certos períodos, e esta talvez seja uma das selecções mais fortes de sempre da Alemanha nesta categoria". E podem prová-lo ao serem a primeira equipa a conquistar o título. No entanto, os seus velhos rivais vão ter uma palavra a dizer sobre o assunto.