Experiência fala mais alto

Inglaterra 2-1 Finlândia
Apesar de jogarem quase uma hora com menos um jogador, os ingleses tiveram a melhor estreia no Grupo B, mercê do golo de Micah Richards.

Experiência fala mais alto
©UEFA.com

A Inglaterra, que jogou quase uma hora com menos um jogador, bateu a Finlândia por 2-1 no jogo inaugural do Grupo B do Campeonato da Europa de Sub-21 de 2009, disputado no Estádio Örjans vall, em Halmstad. Lee Cattermole e Micah Richards assinaram os tentos ingleses, de nada valendo o penalty convertido por Tim Sparv.

Finlandeses surpreendem
Apesar de partir para este encontro como grande favorita, a Inglaterra encontrou muitas dificuldades desde o apito inicial, isto frente a um adversário que alinhou de início com nove jogadores que já fizeram a sua estreia pela selecção principal finlandesa. Os primeiros dez minutos revelaram mesmo um maior domínio dos nórdicos, mas dois pontapés de canto inócuos foi o melhor que a equipa orientada por Markku Kanerva conseguiu apresentar.

Cattermole não perdoa
Os ingleses pareciam algo nervosos nesta sua estreia na competição, mas o talento do seu ataque acabou por fazer a diferença na primeira oportunidade de golo digna desse nome. Decorria o minuto 15 quando um lançamento longo para as costas da defesa finlandesa proporcionou um erro do central Jonas Portin, que se viu ultrapassado por Gabriel Agbonlahor. O dianteiro do Aston Villa FC cruzou na perfeição para a entrada vitoriosa deCattermole, cujo remate de pé esquerdo tornou inútil a estirada do guardião Anssi Jaakkola.

Penalty, expulsão e empate
A Finlândia acusou o toque e demorou alguns minutos a recompor-se, mas acabou por ser a defesa inglesa (que tão boa conta de si tinha dado na fase de apuramento) a estar na origem do tento do empate, aos 33 minutos. Michael Mancienne hesitou na abordagem a um lance na sua grande área e deixou-se antecipar por Berat Sadik, antes de derrubar o avançado finlandês. O central do Chelsea FC recebeu ordem de expulsão na sequência do lance e Tim Sparv não falhou na conversão da correspondente grande penalidade, ditando o 1-1 que se registava ao intervalo.

Richards marca
Muito apagado durante o primeiro tempo, Theo Walcott foi rendido por Fraizer Campbell ao intervalo, com o treinador inglês Stuart Pearce a tentar dinamizar a sua frente de ataque. Os frutos dessa mudança começaram por produzir um perigoso livre directo cobrado por James Milner que Jaakkola desviou para canto aos 53 minutos, mas isso apenas adiou por segundos o 2-1. Milner, novamente ele, chamou a si a cobrança do canto na direita, com o seu cruzamento a proporcionar um excelente cabeceamento a Micah Richards, que atirou a contar.

Sem capacidade
A Finlândia tentou voltar a ripostar, mas o último reduto inglês não revelou a mesma inconsistência dos primeiros 45 minutos, tapando todos os caminhos para a baliza defendida por Joe Hart. A maior experiência dos jogadores ingleses ditou mesmo a lei até ao apito final, pelo que os comandados de Stuart Pearce vão partir moralizados para o embate da segunda jornada, na quinta-feira, em Gotemburgo, diante da Espanha. No mesmo dia, a Finlândia mede forças com a Alemanha em Halmstad.

Topo