Eficácia embala sonho

Portugal 2-0 Bulgária
Golos de João Moreira e Carlos Saleiro mantêm vivas as esperanças portuguesas no Grupo 3.

Antunes foi titular do lado de Portugal
Antunes foi titular do lado de Portugal ©Getty Images

Portugal continua na luta pela presença no "play-off" de apuramento para o Campeonato da Europa de Sub-21 de 2009, após ter batido esta quarta-feira a Bulgária, por 2-0, em partida do Grupo 3. João Moreira e Carlos Saleiro decidiram a partida de Guimarães.

Búlgaros perigosos
Apesar de ocupar o último lugar do grupo, a Bulgária apresentou-se no Estádio D. Afonso Henriques disposta a repetir o excelente desempenho evidenciado no primeiro despique entre as duas equipas, que lhe valeu mesmo os seus únicos três pontos da campanha. Algo lenta, a selecção portuguesa só "apareceu" no encontro aos nove minutos, quando um remate de Paulo Machado obrigou o guarda-redes búlgaro Nikolay Mihaylov a uma defesa apertada. Ainda mais perigosa revelou-se a resposta dos visitantes, com Atanas Kurdov a cabecear ligeiramente ao lado quatro minutos volvidos, na sequência de um cruzamento de Nikolay Dimitrov.

Mihaylov brilha
Denotando algumas dificuldades para penetrar no último reduto búlgaro, Portugal voltou a causar perigo através de dois remates de Manuel Fernandes, aos 15 e 21 minutos, mas Mihaylov correspondeu com outras tantas intervenções. No entanto, o momento de maior brilhantismo do guarda-redes visitante aconteceu aos 21 minutos. Bruno Gama fez tudo bem no lado esquerdo e cruzou para João Moreira, com o dianteiro português a assinar um excelente pontapé de bicicleta e a ver Mihaylov negar-lhe o golo com uma soberba defesa para canto. Contudo, o vistoso lance acabou mesmo por constituir o derradeiro momento de perigo dos primeiros 45 minutos.

Vontade não chega
Insatisfeito com o rumo dos acontecimentos e ciente da obrigatoriedade de vencer, o seleccionador Rui Caçador não hesitou e trocou Bruno Gama por Carlos Saleiro, conferindo maior poder de choque ao ataque português. Balanceada no ataque à procura de se colocar em vantagem, a selecção portuguesa esteve muito perto de ver a Bulgária marcar, estavam decorridos 51 minutos. Dimitrov apareceu desmarcado no lado esquerdo e rematou cruzado, com a bola a não sair longe do poste da baliza à guarda de Ricardo Batista. Pese embora toda a vontade patenteada, a verdade é que Portugal continuava presa de ideias e movimentos.

Golos de rajada
O cenário manteve-se até ao minuto 65, altura em que Manuel Fernandes foi chamado a cobrar um livre descaído na esquerda. O cruzamento do médio do Everton FC foi defendido para a frente por Mihaylov, com João Moreira a não perdoar e a facturar com um remate que fez a bola passar por baixo das pernas do guardião búlgaro. O 2-0 surgiu três minutos depois, quando Paulo Machado iniciou um contra-ataque com um passe longo para Carlos Saleiro. O avançado progrediu no terreno, flectindo para o meio antes de rematar forte e rasteiro de fora da área, sem hipóteses de defesa para Mihaylov.

Jogo decisivo
Conseguido o mais difícil, Portugal limitou-se então a gerir o resultado e o esforço até ao apito final, perante um adversário que procurou sempre chegar, pelo menos, ao tento de honra.  O triunfo faz com que Portugal passe a somar 13 pontos em seis jogos no Grupo 3, menos seis que a líder Inglaterra (que contabiliza mais uma partida). As duas equipas vão medir forças em solo inglês a 5 de Setembro, sendo que os britânicos precisam apenas de um empate para assegurarem o primeiro posto.

Topo