Factos e estatísticas: Espanha - Itália

Os dois países com mais sucesso na historia do EURO Sub-21 defrontam-se na meia-final em Cracóvia, quando a quatro vezes campeã Espanha encontrar a cinco vezes vencedora Itália.

A Espanha derrotou a Itália por 4-2 na final de 2013
©Getty Images

Os dois países com mais sucesso na história do EURO Sub-21, Espanha e Itália, encontram-se de novo em Cracóvia, na terça-feira, na luta por um lugar na final de 2017.

Encontros anteriores
• A Espanha derrotou a Itália por 4-2 no encontro mais recente, na final de 2013 em Jerusalém. Thiago Alcántara apontou um "hat-trick" (6 31 38pen) e Isco marcou na segunda parte de penalty (66), com os golos dos italianos a surgirem por Ciro Immobile (10) e Fabio Borini (80).

• As equipas iniciais na final de 18 de Junho de 2013 foram:
Itália: Bardi; Donati, Caldirola, Bianchetti, Regini; Florenzi (Saponara 58), Rossi, Verratti (Crimi 76), Insigne; Immobile (Gabbiadini 58), Borini.
Espanha: De Gea; Montoya, Bartra, Martínez, Moreno; Illarramendi, Koke (Camacho 86), Thiago; Tello (Muniain 71), Isco; Morata (Rodrigo 80).

• O registo no confronto directo nos oito jogos oficiais disputados é de três triunfos para a Espanha, três para a Itália e dois empates. Um desses empates foi um 1-1 na final de 1996 em Barcelona, com a Itália a levar a melhor por 4-2 nos penalties, depois de Raúl González ter empatado a partida após Francesco Totti ter inaugurado o marcador.

• Os países também se encontraram na final de 1986, com a Espanha a ganhar 3-0 nos penalties depois de um total de 3-3.

• A Espanha venceu o encontro mais recente, um particular disputado a 27 de Março deste ano em Roma – triunfo por 2-1 com tentos de Saúl Ňíguez (34) e Borja Mayoral (38). Lorenzo Pellegrini (74) marcou o tento da Itália.

• As equipas foram:
Itália: Scuffet; Ferrari, Biraschi, Madragora (Calabria 58), Masina (Barreca 85); Benassi (Grassi 73), Cataldi (Locatelli 58), Pellegrini (Verre 85); Berardi (Ricci 90+2), Cerri (Favilli 58), Chiesa (Di Francesco 73).
Espanha: Pau; Bellerín, Álvarez (González 54), Meré, Jonny; Llorente, Ňíguez; Asensio (Odriozola 86), Suárez, Williams (Oyarzabal 86); Mayoral (Ceballos 72).

Retrospectiva

Espanha
• A Espanha procura o quinto triunfo na categoria depois das vitórias em 1986, 1998, 2011 e 2013.

• Esta é a oitava meia-final de um EURO Sub-21 que a Espanha disputa e o seu registo até agora é de V6 D1.

Denis Suárez marcou o tento da vitória da Espanha contra a Sérvia
Denis Suárez marcou o tento da vitória da Espanha contra a Sérvia©Getty Images

• A Espanha atingiu a meia-final como vencedor do Grupo B, tendo averbado três triunfos consecutivos sobre ARJ Macedónia (5-0), Portugal (3-1) e Sérvia (1-0).

• Marco Asensio, Dani Ceballos, Rodrigo Hernández, Borja Mayoral, Mikel Merino, Jorge Meré e o capitão Jesús Vallejo alinharam juntos na selecção espanhola que venceu a França por 2-0 nas meias-finais do Campeonato da Europa Sub-19 da UEFA de 2015. Asensio marcou os dois golos.

• Cinco outros jogadores espanhóis - Kepa Arrizabalaga, Jonny, Saúl Ňíguez, Denis Suárez e Gerard Deulofeu - já disputaram uma meia-final, nesse mesmo torneio em 2012, quando derrotaram a França por 4-2 nos penalties, após um empate a três golos, com Deulofeu a bisar para o futuro campeão.

• Héctor Bellerín, José Gayà e Sandro Ramírez fizeram parte da selecção espanhola que perdeu por 2-1 com a França nas meias-finais do EURO Sub-19, em 2013.

Itália
• A Itália procura o primeiro título europeu em 13 anos. Os seus cinco triunfos anteriores foram em 1992, 1994, 1996, 2000 e 2004.

• Para a Itália, esta é a 11ª meia-final nos Sub-21 (V6 D4).

• Os "azzurrini" apuraram-se para a meia-final como vencedores do Grupo C, depois de uma vitória sobre a Alemanha por 1-0, surgida após uma derrota por 3-1 com a República Checa e um triunfo na partida inaugural por 2-0 sobre a Dinamarca.

• Manuel Locatelli e Giuseppe Pezzela alinharam pela selecção italiana que venceu a Inglaterra por 2-1 nas meias-finais do EURO Sub-19, na época passada.

Ligações entre treinadores e jogadores
• No primeiro encontro contra conjuntos italianos, Albert Celades ajudou o Celta Vigo a derrotar a Juventus por um total de 4-1 na quarta eliminatória da Taça UEFA de 1999/2000.

• O seu registo completo contra equipas transalpinas nas provas de clubes da UEFA é de V2 E2 D2.

• Luigi Di Biagio defrontou a Espanha duas vezes em jogos particulares como jogador da equipa principal da Itália – empate 2-2 em casa, em Novembro de 1998, e uma derrota fora 2-0, em Março de 2000.

• Como jogador da Roma, Di Biagio marcou na visita ao Atlético Madrid numa derrota por 2-1 na Taça UEFA em 1998/99. Depois ajudou o Internazionale a derrotar o Valência nos quartos-de-final da edição de 2002/03 da UEFA Champions League na última temporada que disputou as provas de clubes da UEFA. O seu registo contra equipas espanholas em jogos de clubes com Roma e Inter foi de V2 E3 D5.

A Itália derrotou a Espanha no UEFA EURO 2016
A Itália derrotou a Espanha no UEFA EURO 2016©Getty Images

• Héctor Bellerín e Federico Bernardeschi foram suplentes não utilizados quando as equipas principais da Espanha e Itália se encontraram a 27 de Junho do ano passado nos oitavos-de-final do UEFA EURO 2016 – encontro que os "azzurri" ganharam 2-0.

• Deulofeu foi colega de Davide Calabria, Gianluigi Donnarumma e Manuel Locatelli quando esteve emprestado ao Milan, na segunda metade da temporada transacta.

• Iñaki Williams jogou contra Lorenzo Pellegrini quando a equipa do avançado da Espanha, o Athletic Club, derrotou o Sassuolo de Pellegrini por 3-2, em partida da fase de grupos da UEFA Europa League, em Novembro.

Perfil dos treinadores

Albert Celades, Espanha
Médio-defensivo nos tempos de jogador, Celades teve uma carreira de 15 anos recheada de êxitos, durante a qual ganhou quatro títulos da Liga espanhola, a UEFA Champions League e a SuperTaça Europeia da UEFA. Ingressou no Barcelona com 14 anos e estreou-se sob as ordens de Johan Cruyff em 1995/96. Após ter disputado 101 jogos pelos "blaugrana", Celades mudou-se para o Celta, antes de tornar-se num dos poucos jogadores a ter actuado por Barça e Real Madrid, quando se mudou para a capital espanhola em 2000.

Cinco anos mais tarde, após ter sido emprestado ao Bordéus, assinou pelo Saragoça e, antes de pendurar as chuteiras, passou ainda uma temporada na Major League Soccer, dos Estados Unidos, ao serviço do New York. Em 2013, quatro anos após a retirada, assumiu os destinos dos Sub-16 da Espanha. A chegada ao comando dos Sub-21 aconteceu quando Julen Lopetegui, actualmente seleccionador principal, deixou o cargo para rumar ao Porto em 2014.

O seleccionador da Itália, Luigi Di Biagio
O seleccionador da Itália, Luigi Di Biagio©Getty Images

Luigi Di Biagio, Itália
Formado nas escolas da Lázio, Di Biagio tornou-se conhecido no Foggia de Zdeněk Zeman, no começo dos anos 90, regressando depois à capital para representar a Roma. Após quatro temporadas com os "giallorossi", seguiram-se mais quatro no Inter e três no Brescia, com o médio a retirar-se em 2007, depois de uma curta passagem pelo Ascoli. Internacional 31 vezes pela Itália, Di Biagio falhou o penalty decisivo quando os "azzurri" caíram ante a anfitriã França nos quartos-de-final do Campeonato do Mundo de 1998. Dois anos depois, ajudou a Itália a chegar à final do UEFA EURO 2000, onde, de novo, a França levou a melhor.

Di Biagio abraçou a carreira de treinador em 2008 nas camadas jovens de pequenos clubes em Roma. Em 2011 foi escolhido para treinar a equipa italiana de Sub-21 e, em 2013, foi promovido aos Sub-21. Levou a equipa ao Campeonato da Europa de Sub-21 em 2015, mas os "azzurrini" não chegaram às rondas a eliminar, apesar de terem terminado com os mesmos pontos da Suécia no seu grupo.

Topo