Espanha experiente é obstáculo para glória suíça

A Espanha espera sagrar-se tricampeã europeia Sub-21 quando defrontar uma selecção suíça que procura o seu primeiro troféu, na final de sábado, em Aarhus.

Adrián López tem liderado o ataque espanhol
Adrián López tem liderado o ataque espanhol ©Getty Images

A Espanha espera alcançar o terceiro título de campeã europeia de Sub-21 quando defrontar uma selecção suíça que procura o seu primeiro troféu, na final de sábado, em Aarhus.

• A Espanha já tinha ganho em 1986 e 1998, e possui o mesmo número de títulos que URSS, Holanda e Inglaterra. Novo triunfo coloca a equipa de Luis Milla em segundo lugar do ranking, só atrás da Itália, que já venceu o torneio cinco vezes.

• No entanto a Suíça de Pierluigi Tami tem outras ideias, e parte para a sua primeira final de Sub-21 plena de confiança, depois de quatro vitórias consecutivas na Dinamarca. A vencedora do Grupo B ainda não sofreu golos e pode fazer história se for a primeira equipa a conquistar o troféu nessa condição.

• Quanto à Espanha, vencedora do Grupo A, chega à final com três vitórias e um empate.

• A Espanha joga em Aarhus pela primeira vez, enquanto a Suíça já lá tinha actuado numa ocasião, vencendo a Bielorrússia por 3-0 na última jornada da fase de grupos.

Retrospectiva
• Esta é a quinta final de Sub-21 da Espanha, registando duas vitórias e duas derrotas:
1998 Vitória ante a Grécia 1-0
1996 Derrota ante a Itália 1-1 (4-5 pen)
1986 Vitória ante a Itália 1-2 f, 2-1 c (total 3-3, 3-0 pen)
1984 Derrota ante a Inglaterra 0-1 c, 0-2 f (total 0-3)

• A Espanha espera repetir a vitória sobre a Suíça no único jogo realizado antes a contar para um Campeonato da Europa Sub-21, no "play-off" de acesso à edição anterior, na Suécia. Foi uma partida renhida, com a selecção espanhola, treinada por Juan Ramón López Caro, a vencer à justa a Suíça de Pierre-André Schürmann, com um resultado total de 4-3.

• Os suíços venceram a primeira mão por 2-1, em Aarau, a 11 de Outubro de 2008. Sergio Busquets colocou a Espanha em vantagem (18), mas Johan Vonlathen empatou (27) e o golo de Adrian Nicki, aos 51 minutos, deu a vitória aos anfitriões.

• As equipas iniciais foram as seguintes (*presentes na fase final de 2011):
Suíça
: Sommer*, Thiesson, Ziegler, Barmettler, Ferati, Schwegler, Crettenand, Lustenberger* (Stocker 63), Zambrella, Nikci, (Feltscher* 90) Vonlanthen (Ural 89).

Espanha: Asenjo, Miguel Torres, Canella, Piqué, Javi García, Raúl García, Sisi, Busquets (Mario Suárez), Bojan*, Jurado (Xisco), Mata*.
César Azpilicueta was an unused substitute.

• Três dias depois, em Lorca, a Espanha deu a volta ao resultado de forma dramática. Shkelzen Gashi (25) parecia ter desfeito as esperanças do conjunto da casa, mas Xisco, entrado ao intervalo, fez o 1-1 (51), e já em tempo de compensação Sisi empatou a eliminatória. Raúl García deu o apuramento à Espanha quando faltavam oito minutos para o final do prolongamento.

• As equipas iniciais foram:
Espanha: Asenjo, Miguel Torres (Canella 59), Piqué, Chico, Azpilicueta*, Raúl García, Sisi, Javi García (Busquets 76), Mata*, Bojan*, Jurado (Xisco 46).

Suíça: Sommer*, Thiesson, Ziegler, Barmettler, Ferati, Zambrella, Lustenberger*, Gashi (Basha 84, Ural 115), Crettenand, Nikci, (Feltscher* 76) Vonlanthen.

• As equipas vão defrontar-se na fase de qualificação do próximo Europeu Sub-21, com embates agendados para Espanha, a 14 de Novembro deste ano, e Suíça, a 6 de Setembro de 2012.

• A Espanha tem dominado a Suíça a nível sénior, vencendo 15 dos 19 jogos, registando-se ainda três empates. A única derrota foi no Campeonato do Mundo de 2010, quando um golo de Gelson Fernandes, aos 52 minutos, valeu à equipa de Ottmar Hitzfeld uma vitória por 1-0, a 16 de Junho, em Durban. Xherdan Shaqiri, da Suíça, foi suplente não-utilizado, tal como os espanhóis Juan Mata e Javi Martínez.

• O jogo mais recente entre ambos nos escalões jovens foi no dia 31 de Maio, na Ronda de Elite Sub-19, em Lausanne, com a Espanha a vencer por 2-1, a caminho do apuramento para a fase final do torneio que começa no próximo mês, na Roménia. Benjamin Siegrist defendeu a baliza suíça antes de viajar para a Dinamarca.

• Defrontaram-se em mais três jogos nos Sub-19, com a Suíça a vencer por 2-0, a 7 de Outubro de 2008, em Minsk, e a Espanha a vencer por 2-0 em casa e perdendo por 3-1 fora, na ronda preliminar da época 2001/02.

• Nesse encontro de 2008/09, Diego Mariño defendeu a baliza da selecção espanhola treinada por Milla, com David de Gea a ficar no banco de suplentes, enquanto o onze da Suíça incluía Philippe Koch e Amir Abrashi. Esse resultado apurou as duas equipas, e no final acabaram por vencer os respectivos grupos na Ronda de Elite, disputando a fase final do torneio na Ucrânia.

• Na fase final Sub-17, na Alemanha, em 2009, a selecção suíça incluía Nassim Ben Khalifa, Siegrist e Granit Xhaka, que ajudaram a empatar a Espanha (0-0), garantindo a presença nas meias-finais à custa do adversário ibérico. As duas equipas apuraram-se para o Mundial Sub-17, na Nigéria, onde a Suíça se sagrou campeã e a Espanha terminou no terceiro lugar.

• Os suíços Siegrist, Ben Khalifa, Kasami e Xhaka fizeram parte do plantel que se sagrou campeão mundial Sub-17.

• Milla procura conquistar o seu segundo título de selecções ao serviço da Espanha, depois de ter vencido o Europeu Sub-19 em 2010.

• Os seguintes jogadores espanhóis estiveram presentes em equipas vencedoras de competições de selecções (*não jogou):
Mundial, 2010 (África do Sul): Javi Martínez*, Juan Mata*
Sub-19, 2007 (Áustria): Daniel Parejo, César Azpilicueta, Mikel San José, Emilio Nsue, Javi Martínez*
Sub-19, 2006 (Polónia): Juan Mata, Diego Capel, Jeffrén
Sub-17, 2008 (Turquia): Thiago Alcántara, Martín Montoya
Sub-17, 2007 (Bélgica): Bojan Krkić, David de Gea

Finalistas vencidos
Mundial Sub-17, 2007: Bojan Krkić, David de Gea, Diego Mariño*
Sub-19, 2010 (França): Martín Montoya, Thiago Alcántara, Iker Muniain

• Na Ronda de Elite Sub-17 de 2007 a Espanha bateu a Suíça por 1-0, com um golo de Bojan Krkić, a caminho de se apurar e conquistar o título na Bélgica. De Gea defendeu a baliza espanhola.

• Em 2005, o empate a um golo entre os dois países, em Sa Pobla, Maiorca, revelou-se crucial para o apuramento da Suíça para a fase final Sub-17 – enquanto a Espanha falhou o torneio pela primeira vez desde a sua mudança de Sub-16 para Sub-17, em 2001. Yann Sommer defendeu a baliza suíça – substituído por Kevin Fickentscher – e Daniel Pavlović também foi titular, com Moreno Costanzo e Gaetano Berardi a serem suplentes-utilizados. Diego Capel jogou pela Espanha, tal como o suplente Javi Martínez. Emilio Nsue não saiu do banco de suplentes.

• O treinador da Espanha, Milla, foi três vezes internacional sénior como jogador, a segunda das quais num triunfo por 2-1 sobre a Suíça, em Tenerife, a 13 de Dezembro de 1989.

• Milla defrontou equipas suíças em eliminatórias a duas mãos com a camisola do Real Madrid CF – goleadas por 6-1 sobre o FC Lugano, na Taça das Taças, em Setembro de 1993, e por 4-0 sobre o Grasshopper-Club, na UEFA Champions League, em Setembro de 1995.

• Mario Gavranović marcou o segundo golo do FC Schalke 04 na vitória por 3-1 sobre o Valencia CF, de Mata, na segunda mão dos oitavos-de-final da edição 2010/11 da UEFA Champions League.

• Xavier Hochstrasser defrontou Javi Martínez e Iker Muniain quando os respectivos clubes, BSC Young Boys e Athletic Club, mediram forças na terceira pré-eliminatória da edição 2009/10 da UEFA Europa League. Apesar de o Young Boys ter ganho a primeira mão por 1-0, em Bilbau, o Athletic venceu a segunda por 2-1, com Muniain a apontar o segundo e decisivo golo, dois minutos depois de ter entrado em campo. François Affolter, ausente desta final devido a lesão, foi suplente-utilizado na primeira mão.

• Affolter, Hochstrasser e o suplente Moreno Costanzo participaram na vitória caseira do Young Boys por 2-0 sobre o Getafe CF, onde figurava o suplente Daniel Parejo, na fase de grupos da edição 2010/11 da UEFA Europa League. Os três jogadores suíços voltaram a alinhar no jogo da segunda volta, uma derrota por 1-0 em Getafe, enquanto Parejo esteve ausente.

• Koch fez parte da equipa do FC Zürich derrotada por 5-2 em casa e 1-0 fora frente ao Real Madrid CF, na edição 2009/10 da UEFA Champions League. Admir Mehmedi foi suplente-utilizado em Madrid, entrando aos 86 minutos.

• Patjim Kasami fez parte da equipa do US Città di Palermo que derrotou o SSC Napoli de Victor Ruiz por 2-1, em jogo da Serie A realizado na Sicília, a 23 de Abril deste ano.

• Jogadores elegíveis para o Europeu Sub-21 em 2011/13:
Suíça– Amir Abrashi, François Affolter, Nassim Ben Khalifa, Fabio Daprelà, Pajtim Kasami, Philippe Koch, Admir Mehmedi, Xherdan Shaquiri, Benjamin Siegrist, Granit Xhaka
Espanha– Thiago Alcántara, David de Gea, Bojan Krkić, Diego Mariño, Martín Montoya, Iker Muniain

Notícias da Suíça
• Mehmedi marcou a seis minutos do fim do prolongamento e apurou a Suíça para a final, às custas da República Checa, com a vitória por 1-0 em Herning.

• Depois de cumprir um jogo de castigo na meia-final, devido a dois cartões amarelos vistos na fase de grupos, Xhaka novamente disponível. O defesa-central Affolter, habitual suplente, é baixa confirmada, depois de ter sofrido uma lesão na coxa na manhã da meia-final.

• A selecção suíça deve direito a um raro descanso depois da viagem de 1h30 de regresso ao hotel em Herning. Xavier Hochstrasser, Jonathan Rossini e Admir Mehmedi, auto do golo na meia-final, falaram aos jornalistas na quinta-feira à tarde, antes de o treinador Pierluigi Tami se dirigir à comunicação social. Fabian Lustenberger e Timm Klose, que sofreram pequenos toques na perna frente aos checos, vão estar aptos para a final de sábado.

• O triunfo da Suíça na meia-final significa que vai disputar o torneio de futebol dos Jogos Olímpicos de 2012, em Londres – 84 anos depois da sua última participação, no evento realizado em Amesterdão, em 1928. Vai ser apenas a terceira vez que os suíços participam no torneio de futebol dos Jogos Olímpicos, depois de também terem chegado à final em Paris, em 1924.

• O registo imaculável da Suíça na fase de grupos é um bom presságio. Nos dois torneios conquistados anteriormente somaram um registo semelhante na fase de grupos – no Mundial Sub-17, em 2009, e no Europeu Sub-17, em 2002.

• Esse último torneio realizou-se na Dinamarca, e tal como agora os suíços marcaram um, dois e três golos na fase de grupos – apesar de há nove anos ter sido por ordem diferente.

• As selecções podem convocar três jogadores nascidos depois de 1989, a data-limite dos convocados para os Jogos Olímpicos. "[Yann] Sommer e [Fabian] Lustenberger vão sem dúvida estar presentes", disse o treinador Tami, deixando uma vaga por preencher. Nove jogadores do actual plantel vão ultrapassar a data-limite.

• A equipa suíça passa o seu tempo livre a jogar ténis de mesa e matraquilhos.

Notícias da Espanha
• A Espanha deixou o resgate da sua campanha para os instantes finais, quando Adrián López empatou 1-1 aos 89 minutos do jogo das meias-finais, frente à Bielorrússia. Fez o segundo já no prolongamento, antes de Jeffren Suárez selar o resultado final.

• Com dois golos frente à Bielorrússia, Adrián está bem colocado para vencer a Bota de Ouro adidas. O avançado do RC Deportivo La Coruña tem agora cinco golos, mais dois que Mehmedi, com o colega de equipa Mata a ser um de quatro jogadores com dois golos. Desse quarteto, apenas o inglês Danny Welbeck já foi eliminado.

• O presidente da Federação Espanhola de Futebol (RFEF), Ángel María Villar Llona, e o director-desportivo, Fernando Hierro, estiveram presentes na ligeira sessão de treino de quinta-feira, destinada aos jogadores não-utilizados frente à Bielorrússia. Os que jogaram ficaram-se pelo spa em Herning. Da parte da tarde, o capitão Javi Martínez, Diego Capel e Alberto Botia participaram numa conferência de imprensa, a sua mais movimentada na fase final.

• Fiel ao seu estilo de jogo baseado na circulação de bola, a Espanha registou mais posse de bola nos seus jogos do que qualquer outra equipa – 59 por cento frente à Inglaterra, 66 por cento com a República Checa e 64 por cento frente à Ucrânia. Os 73 por cento averbados na meia-final com a Bielorrússia foi a percentagem mais elevada na fase final até ao momento.

• O treinador Milla escolheu o mesmo "onze" inicial nas três últimas partidas.

Topo