O UEFA.com funciona melhor noutros browsers
Para a melhor experiência possível recomendamos a utilização do Chrome, Firefox ou Microsoft Edge.

Força mental foi a chave, diz Hélio Sousa

Hélio Sousa disse que a "qualidade e força mental" apuraram Portugal nos penalties, enquanto Veljko Paunović saudou o "adversário fenomenal" da Sérvia.

Força mental foi a chave, diz Hélio Sousa
Força mental foi a chave, diz Hélio Sousa ©UEFA.com

Hélio Sousa, seleccionador de Portugal
Foi um grande jogo. Os jogadores deram tudo o que tinham e conseguimos a qualificação nas grandes penalidades. Digo sempre aos meus jogadores que é a competência e não a sorte – é a qualidade e a força mental que vencem nas grandes penalidades. Tivemos as nossas oportunidades, tal como a Sérvia, apesar de pensar que fomos um pouco mais fortes ao longo da partida. A Sérvia fez também um bom jogo e a nossa vitória é ainda mais merecida por isso, pois eles também foram magníficos.

Ambas as equipas jogaram para vencer, [atacaram] e foi graças aos guarda-redes que ficou 0-0. O jogou levou-nos para as grandes penalidades e nelas fomos capazes de garantir o apuramento. Fomos fortes e o nosso guarda-redes também. Os nossos jogadores merecem a nossa gratidão; bateram-se e lutaram em todos os escalões de formação e mereceram o que conseguiram aqui.

A final vai ser um grande jogo e, infelizmente, hoje terminámos muito tarde. Com prolongamento e grandes penalidades não temos muito tempo para recuperar fisicamente, mas a motivação por estar na final vale a pena. É a recompensa pelo trabalho que a Federação Portuguesa de Futebol tem vindo a fazer com a selecção Sub-19, não apenas neste ano mas também nos anteriores – é a quarta vez em cinco anos que atingimos a fase final do Campeonato da Europa. A Alemanha vai ser um adversário forte e difícil mas esperamos vencer – e fazer história.

Veljko Paunović, seleccionador da Sérvia
Estou muito satisfeito com o que conseguimos. Fizemos o nosso melhor para defender o título conquistado no ano passado. Este era um projecto de dois anos. Esta meia-final foi um jogo fenomenal contra um adversário fenomenal e a quem desejo toda a sorte na final. Foi uma verdadeira batalha desportiva até ao fim, o que é uma das razões desta competição.

Demos o nosso melhor, jogámos até ao fim. Os penalties decidiram e no futebol é assim. Penso que  representámos da melhor maneira o nosso país com o nosso futebol e a nossa atitude dentro e fora de campo. A Sérvia tem uma grande equipa Sub-19, a qual temos de cuidar e promover as suas carreiras pelo que esta será uma grande experiência para todos.

A posse de bola foi partilhada, assim como os domínios de ambas as equipas. Os quatro melhores países na competição mereceram atingir as meias-finais. Nesta partida vimos duas equipas com qualidade semelhante, com uma filosofia de futebol parecida. No final venceu o futebol, conjuntamente com a atitude de ambos perante o jogo. Parabéns a Portugal pela vitória. Quando se perde contra um adversário assim desta forma não se pode guardar rancor.

[O Campeonato do Mundo] era o nosso principal objectivo. É o primeiro na história da nossa selecção nacional. É um grande desafio para nós e conseguimos algo histórico, tal como há um ano o fizemos ao vencer o Campeonato da Europa. Foi um objectivo mas, mais importante para esta equipa, é a progressão para a selecção A. Estamos no caminho certo. Todos estes jogadores poderão um dia estar a disputar um lugar na selecção principal.