Seleccionadores do Grupo A com objectivos diferentes

Andreas Heraf (Áustria) e Hélio Sousa (Portugal) esperam mais do mesmo dos seus pupilos, enquanto os seleccionadores de Israel e Hungria sabem que têm de melhorar.

Eli Ohana, seleccionador de Israel, espera mais dos seus pupilos na segunda jornada
©Sportsfile

Áustria - Israel
Depois de ter visto os seus pupilos levarem a melhor sobre a selecção da casa na jornada inaugural, Andreas Heraf – que poderá contar com os regressos de Lukas Gugganig, Michael Brandner e Florian Grillitsch após castigo – ainda não decidiu se vai mexer na equipa que tão boa conta deu de si diante da Hungria. "Jogamos sempre da mesma forma, pelo que a nossa equipa nunca muda muito", afirmou ao UEFA.com. "Os três jogadores que regressam de castigo fazem, habitualmente, parte do 'onze' inicial, mas os que actuaram no seu lugar realizaram um trabalho fantástico. Cabe ao treinador lidar com isso. São três jogadores de qualidade e estou muito feliz por poder contar com eles, pois conferem-me mais opções, mas para já ainda não sei o que vou fazer. Temos o nosso estilo de jogo e vamos procurar manter-nos fiéis a ele também frente a Israel".

Do lado israelita, o seleccionador Eli Ohana tem à sua disposição o médio Dor Peretz, que cumpriu castigo na jornada inaugural, e acredita que os seus pupilos apenas a espaços mostraram aquilo de que são capazes na derrota por 3-0 frente a Portugal. "Temos de estar mais concentrados, tanto no ataque como na defesa. Sei que podemos jogar melhor e mostrámo-lo nos primeiros 20 minutos da segunda parte. Vamos tentar ganhar confiança. Vou procurar motivar os meus jogadores, abraçá-los, e vamos, espero, jogar melhor frente à Áustria. Os meus rapazes são capazes de o fazer; são jovens e é natural que cometam erros. Há que aprender com eles e, se tal acontecer, já ganhámos algo".

Hungria - Portugal
Géza Mészöly é outro seleccionador em busca de uma melhoria por parte da sua equipa depois da primeira jornada e deverá optar por várias alterações, de forma a recolocar a Hungria no caminho certo em Felcsut. "A nossa equipa é capaz de fazer muito melhor e espero que o consigamos mostrar neste nosso segundo jogo no grupo", salientou o técnico, que viu a sua equipa empatar 3-3 ante Portugal num encontro amigável em Outubro de 2013. "É fundamental que nos apresentemos muito mais consistentes na defesa; precisamos de estar mais organizados e de assegurar que não concedemos espaços, pois Portugal conta com uma formação muito forte tecnicamente. Temos um plano especial para este jogo, mas para que ele funcione necessitamos de nos exibir a um melhor nível individualmente. Caso contrário não teremos hipóteses".

Portugal alargou para sete a sua série de vitórias consecutivas nesta edição do Campeonato da Europa de Sub-19 ao bater Israel, mas o seleccionador luso, Hélio Sousa, não dá nada como adquirido. "Temos de estar preparados para todos os jogos, para todos os cenários. Em algumas partes do jogo o nosso adversário vai atacar e nós teremos de nos saber adaptar ao longo dos 90 minutos. Por vezes teremos de recuar um pouco no terreno, ganhar confiança e, depois, responder com transições rápidas. Vamos ver como estão os jogadores para perceber se é necessário proceder a algumas alterações".

Topo