O UEFA.com funciona melhor noutros browsers
Para a melhor experiência possível recomendamos a utilização do Chrome, Firefox ou Microsoft Edge.

Sérvia e Portugal de olhos postos na final

A Sérvia perdeu as quatro meias-finais do EURO Sub-19 que já disputou, mas Ljubinko Drulović está esperançado em "fazer história", frente ao Portugal "humilde" de Emílio Peixe.

Portugal está a realizar um Europeu acima da média
Portugal está a realizar um Europeu acima da média ©Saulius Čirba

Os seleccionadores de Sérvia e Portugal antecipam um embate renhido, à medida que se prepararam para o primeiro jogo oficial entre ambos, nas meias-finais do Campeonato da Europa Sub-19.

Nenhuma das equipas conquistou o troféu, apesar de esta ser a quarta meia-final da Sérvia – e terceira nos últimos cinco anos – enquanto Portugal marca presença nesta fase pela primeira vez desde 2003, altura em que viria a ser derrotado pela Itália na final. No entanto, ambas mostraram a sua qualidade na Lituânia até ao momento, com a Sérvia a vencer o Grupo B, do qual fazia parte a França, invicta. Quanto a Portugal, recuperou de uma derrota inaugural para marcar quatro golos nas duas partidas seguintes, garantindo o segundo lugar do Grupo A.

Os dois técnicos têm uma ideia razoável sobre o que esperar do adversário. "Por aquilo que ouvi, Portugal pode muito bem ser uma das equipas mais fortes em prova", disse o sérvio Ljubinko Drulović, que passou 11 anos em Portugal como jogador, e ganhou cinco campeonatos consecutivos ao serviço do FC Porto, entre 1995 e 1999, para além de ter representado o SL Benfica. "Conheço a mentalidade portuguesa e os seus jogadores, mas vamos respeitar o adversário, preparar-nos bem e tentar dar o nosso melhor."

Emílio Peixe também reconheceu a ameaça que a Sérvia representa, destacando o facto de Aleksandar Mitrović já ter representado a selecção principal como prova da sua qualidade. "Estamos muito felizes por estar nas meias-finais", explicou. "Nunca fomos favoritos neste torneio, mas vamos enfrentar a Sérvia da mesma forma humilde com que disputámos cada jogo até ao momento."

A força ofensiva de Portugal tem sido bastante evidente nos dois últimos jogos, apesar de ser o aspecto defensivo que preocupa Peixe. "Estamos satisfeitos com os oito golos marcados em três jogos da fase de grupos, é um bom sinal para as meias-finais, mas também sofremos quatro golos, por isso teremos que trabalhar a componente defensiva da equipa", disse. "Vamos trabalhar muito para evitar cometer os mesmos erros frente à Sérvia, que é uma equipa muito forte, por isso é necessário melhorar – devemos jogar de forma mais segura e organizada se quisermos ter hipóteses de seguir em frente."

Enquanto Portugal não tem qualquer baixa, a Sérvia recebe com agrado o regresso de Andrija Luković, após cumprir um jogo de suspensão, apesar de Milan Vojvodić ficar de fora por motivos disciplinares, devido ao amarelo visto no empate a um frente à França, na sexta-feira. "Conseguimos dar descanso a alguns jogadores e o moral na equipa é fantástico", disse Drulović. "O nosso primeiro objectivo para este torneio era chegar às meias-finais. Para um país pequeno como o nosso, estar nesta fase, juntamente com selecções de renome, é um grande sucesso – mas como é óbvio, esperamos chegar à final. Nunca conseguimos isso, disputámos algumas meias-finais, mas desejamos fazer história."