O UEFA.com funciona melhor noutros browsers
Para a melhor experiência possível recomendamos a utilização do Chrome, Firefox ou Microsoft Edge.

Dier dá toque português à selecção de Inglaterra

O defesa Eric Dier, jogador do Sporting, explicou ao UEFA.com que está a desfrutar da estreia na selecção de Inglaterra e quer que a aventura da sua equipa continue até à final.

O defesa Eric Dier no quartel-general de Inglaterra
O defesa Eric Dier no quartel-general de Inglaterra ©Sportsfile

A Inglaterra vai defrontar a Grécia nas meias-finais do Campeonato da Europa de Sub-19 e o defesa Eric Dier acredita que os britânicos poderão discutir o título.

A equipa treinada por Noel Blake bateu a França por 2-1 na segunda-feira e garantiu a terceira presença nas meias-finais nas últimas quatro edições da prova. Os ingleses venceram o Grupo B e Dier, que é um produto da formação do Sporting, já definiu o objectivo dos finalistas de 2009.

"Queremos ganhar e continuar a evoluir", explicou o jogador de 18 anos ao UEFA.com. "Jogámos bem frente à França. Tínhamos uma missão e executámos bem o nosso plano. Atingimos o nosso objectivo, que era garantir o primeiro lugar do grupo. Temos a noção que ainda podemos jogar melhor e queremos fazer uma exibição ainda com mais qualidade na meia-final."

Dier é o único elemento da selecção da Inglaterra que joga no estrangeiro e já está habituado a explicar a forma como chegou ao futebol português. "A minha família decidiu ir viver para o Algarve quando eu tinha sete anos e a mudança não teve nenhuma relação com o futebol", explicou. "Somos uma família grande e o tempo no Sul de Portugal é melhor para viver. Depois mudámo-nos para Lisboa, porque a minha mãe conseguiu um emprego relacionado com o UEFA EURO 2004."

Dier adaptou-se à vida na capital e o talento que tem para o futebol chamou a atenção de um professor de educação física, que conseguiu que fosse treinar à experiência no Sporting, durante dois dias. "Decidi experimentar e não me arrependi, embora tivesse sido complicado ao início", explicou. "Quando tinha nove ou dez anos senti dificuldades em ser aceite pelo grupo. Estive quase a desistir, mas a minha família convenceu-me a ficar e ainda bem que o fizeram."

"Após duas épocas, comecei a falar bem português. Passei a capitão de equipa e os outros jogadores começaram a ver-me como um deles, o que tornou tudo mais fácil. Viam-me como um português."

Dier jogou as duas últimas épocas por empréstimo no Everton FC, da Premier League, e gostou da experiência, apesar de nunca ter representado a equipa principal. "Algumas pessoas pensaram que fui infeliz, mas a verdade é que não estava à espera de jogar", explicou. "Sabia qual era o meu papel no Everton e foi uma experiência muito positiva para mim."

"O empréstimo terminou e vou regressar ao Sporting com o objectivo de ganhar um lugar na equipa B e tentar impressionar o Ricardo Sá Pinto, o treinador da equipa principal."

Um treinador que já está impressionando é o seleccionador Noel Blake, que descreveu Dier como "brilhante". "Gosto da maneira como trabalha com toda a gente. Comunica bem com os os jogadores. Somos capazes de cumprir o que o treinador pede tacticamente. Trabalhamos bem em equipa." A Grécia está avisada.