O UEFA.com funciona melhor noutros browsers
Para a melhor experiência possível recomendamos a utilização do Chrome, Firefox ou Microsoft Edge.

Ucrânia festeja em casa

A oitava edição do Europeu de Sub-19 terminou da melhor maneira para a Ucrânia que, perante 25 mil adeptos, bateu a Inglaterra na final e tornou-se a primeira equipa anfitriã a erguer o troféu.

A Ucrânia festeja o triunfo em Donetsk
A Ucrânia festeja o triunfo em Donetsk ©Sportsfile

Neste período festivo, o uefa.com faz uma retrospectiva dos torneios da UEFA disputados em 2009. Hoje é a vez do Campeonato da Europa de Sub-19.

A oitava edição do Campeonato da Europa de Sub-19 terminou da melhor maneira para a Ucrânia que, perante 25 mil adeptos, bateu a Inglaterra na final e tornou-se na primeira equipa anfitriã a erguer o troféu.

Itália afastada
A maior surpresa da fase de apuramento foi a eliminação da Itália, finalista vencida de 2008, com Rússia e Letónia a assegurarem os dois primeiros lugares do Grupo 3. A Alemanha, detentora do título, fez pouco melhor e caiu ante a Espanha, quatro vezes vencedora da prova, na Ronda de Elite, onde Inglaterra e Turquia ganharam os três encontros disputados. França e Sérvia, participantes regulares, também se apuraram, tal como Suíça e a estreante Eslovénia. O sorteio da fase final colocou estas duas selecções no Grupo A, juntamente com a equipa da casa e a Inglaterra, enquanto Espanha, Franca, Sérvia e Turquia ocuparam o Grupo B.

Jornada emotiva
A primeira jornada do Grupo A viu os dois encontros terminarem empatados, com um tento de Sébastien Wüthrich, já nos descontos, a fazer o 1-1 para a Suíça no encontro com a Inglaterra, enquanto a Eslovénia empatou a zero com os anfitriões. Dois tentos na parte final de Alexandre Pasche e Orhan Mustafi contribuíram para o triunfo de 2-1 dos helvéticos ante a Eslovénia, na segunda jornada, ao passo que os dois tentos de Kyrylo Petrov foram decisivos no 2-2 final entre Ucrânia e Inglaterra. Deste modo, os suíços apenas precisavam do empate diante dos homens da casa, mas Serhiy Rybalka desfez o nulo a cinco minutos do fim e apurou a Ucrânia, apesar de reduzida a dez jogadores. Por seu turno, os ingleses tiveram uma partida bem mais fácil, ao golearem a Eslovénia, por 7-1, naquele que constituiu o mais desequilibrado desfecho da história de todas as fases finais, no qual Danny Welbeck e Nathan bisaram.

Triunfos decisivos
No Grupo B, o francês Yacine Brahimi e o sérvio Danijel Aleksić fizeram os golos das suas equipas no empate (1-1), em Mariupol, na primeira jornada, enquanto a Espanha derrotou a Turquia por 2-1, com dois golos em três minutos de Iago Falqué e Joselu. Tudo mudou três dias depois, quando um remate certeiro em cada parte do sérvio Milan Milanović decidiu o triunfo ante a Espanha, por 2-1, com França e Turquia a empatarem a um golo. À entrada da última jornada as quatro equipas podiam apurar-se, mas foram a França e a Sérvia a seguir em frente graças aos triunfos por 1-0 ante Espanha e Turquia, respectivamente.

Meias-finais vitoriosas
As meias-finais juntaram Sérvia e Ucrânia, com França e Inglaterra a disputarem o outro lugar de acesso à final. Os “petits bnleus” começaram da melhor maneira em Donetsk, com Magaye Gueye a fazer o 1-0 logo aos oito minutos de jogo. Henri Lansbury empatou antes do intervalo e a expulsão do defesa-direito Sébastien Corchia, no minuto 71, revelou-se decisiva. Delfouneso bisou na primeira parte do prolongamento e a França terminou com oito jogadores, na sequência da expulsão de Ryad Boudebouz e Abdel El Kaoutari, já perto do final. Na outra meia-final, Yevgeniy Shakhov colocou a Ucrânia na frente logo no minuto inicial e, apesar de Aleksić ter empatado, Denys Garmash marcou no final de cada parte e apurou os anfitriões, para gáudio dos adeptos que encheram o Estádio Illychivets.

“Espírito certo”
Os adeptos da casa, que lotaram o Estádio RSC Olympiyskiy, em Donetsk, três dias depois, teriam ainda mais motivos para festejar, pois Garmash e Dmytro Korkishko marcaram os golos que deram o primeiro troféu à Ucrânia nos escalões de formação. "Tivemos o espírito certo durante toda a prova”, disse o treinador vitorioso, Yuriy Kalitvintsev. "A pressão dos adeptos criou-nos algum nervosismo no primeiro encontro, mas depois, jogo a jogo, melhorámos e praticámos bom futebol. Alguns dos jogadores estavam algo nervosos, mas ficarei feliz com a minha equipa se ganharem mesmo que cometam erros e joguem mal”.