O UEFA.com funciona melhor noutros browsers
Para a melhor experiência possível recomendamos a utilização do Chrome, Firefox ou Microsoft Edge.

Sonho continua vivo

Espanha 1-1 Portugal
A selecção portuguesa continua na luta pelo apuramento para as meias-finais, com Daniel Carriço a estar no melhor e no pior do jogo de Steyr.

Portugal continua a sonhar com o apuramento para as meias-finais do Campeonato da Europa de Sub-19, que está a decorrer na Áustria, na sequência do empate a uma bola frente à Espanha. A selecção portuguesa ainda esteve em desvantagem, mas um cabeceamento certeiro de Daniel Carriço garantiu o primeiro ponto no Grupo A.

Espanha ameaça
Portugal não entrou bem na partida disputada em Steyr sob intenso calor, facto que ficou bem evidente logo aos oito minutos, com o capitão espanhol, Javi Martínez, a acertar com estrondo na barra da baliza à guarda de Hugo Ventura. Denotando muitas dificuldades para chegar com perigo ao último reduto do adversário, a selecção portuguesa teve de esperar até ao minuto 24 pelo seu primeiro remate à baliza, com Daniel Candeias a ver o guarda-redes Felipe Ramos deter o seu disparo com segurança.

Ventura providencial
Apesar de também não ter assinado uma exibição por aí além durante os primeiros 45 minutos, a verdade é que foi a Espanha a ter as melhores e únicas oportunidades de golo. A campeã em título chegou mesmo a introduzir a bola na baliza portuguesa aos 27 minutos, por intermédio de Martínez, mas o lance foi prontamente anulado devido ao facto de o jogador espanhol ter utilizado o braço para ajeitar o esférico. Portugal passou por novo calafrio apenas dois minutos volvidos, altura em que uma defesa providencial de Hugo Ventura impediu Modrego de fazer o 1-0.

Golo a abrir
O cenário manteve-se no arranque da etapa complementar, com a Espanha a ganhar sistematicamente a posse de bola a meio-campo. Essa tendência acabou finalmente por render frutos aos 54 minutos, quando Daniel Carriço derrubou Aarón no interior da área portuguesa. Chamado a cobrar a correspondente grande penalidade, o mesmo Aarón não perdoou e inaugurou o marcador. O tento espanhol teve o condão de acordar a equipa de Edgar Borges, sendo que o empate só não surgiu um minuto depois porque Felipe Ramos efectuou uma excelente defesa, na sequência de um potente remate de pé direito de André Monteiro.

Carriço redime-se
Portugal continuou a pressionar o adversário e foi premiado pela sua coragem aos 71 minutos. Ivan Santos cobrou um canto no lado esquerdo e colocou a bola no coração da área espanhola, aparecendo Daniel Carriço a cabecear para o fundo da baliza. A igualdade não teve o efeito desejado na formação portuguesa, já que a Espanha voltou a pegar no jogo e a criar lances de perigo. Aarón teve uma oportunidade soberana para fazer o 2-1 aos 76 minutos, voltando Hugo Ventura a brilhar e a negar o triunfo espanhol. A Espanha partilha o primeiro lugar com a Grécia, ambas com quatro pontos ao cabo de duas jornadas, enquanto Portugal soma apenas um, encontrando-se no terceiro posto. A equipas das "quinas" entra novamente em campo no sábado, desta feita para medir forças com a Áustria.