Portugal perde com Espanha na estreia

Espanha 1-0 Portugal
Num jogo em que dispôs de ocasiões suficientes para obter o empate, a selecção perdeu mercê de um golo de Sandro Ramírez na primeira parte.

Portugal perde com Espanha na estreia
©UEFA.com

Portugal abriu com uma derrota a participação no Grupo A do Campeonato da Europa de Sub-19. A perder desde muito cedo, a equipa lusa dispôs de boas ocasiões para chegar ao empate, mas pagou a falta de pontaria na primeira parte e a falta de força e de imaginação na segunda metade, frente a uma Espanha que chega ao torneio como hexacampeã.

O equilíbrio na partida reinou até que uma perda de bola de Rudinilson Silva permitiu a Álvaro Vadillo um remate perigoso que saiu perto do poste. Aos 18 minutos, Sandro Rámirez surgiu isolado na cara de Bruno Varela a inaugurar o marcador para a Espanha.

Portugal reagiu de pronto e, aos 28, já Alexandre Guedes cabeceava ao lado, assistido por João Cancelo, numa fase da partida em que os jogadores de Emílio Peixe haviam garantido o controlo do meio-campo. Com a Espanha a ensaiar algumas jogadas de ataque para tentar dilatar a vantagem, foi Alexandre Guedes quem esteve em foco nos minutos finais, desperdiçando duas ocasiões soberanas para conseguir o empate.

Após o intervalo foi Jaime Sánchez o primeiro a criar perigo, numa cabeçada que saiu junto ao poste esquerdo, surgindo Portugal a jogar muito adiantado e a pressionar alto. Cancelo, em lance individual, driblou três adversários e rematou de pé esquerdo para desvio de Rubén Blanco.

Nova desatenção defensiva lusa e Ramírez cabeceou para fora. Com o passar dos minutos, a selecção portuguesa perdeu gás e, ao continuar a não acertar com o último passe, facilitava a vida aos espanhóis que, jogando no erro de Portugal, geriam o esforço e apostavam no contra-ataque.

Não obstante a derrota averbada, a equipa de Emílio Peixe mostrou qualidade para discutir, agora com a Holanda e a Lituânia, o apuramento para as meias-finais. Héctor Bellerín (88') viu o cartão vermelho após carga sobre Ricardo Horta.

Topo