O UEFA.com funciona melhor noutros browsers
Para a melhor experiência possível recomendamos a utilização do Chrome, Firefox ou Microsoft Edge.

Gerard brilha no adeus português

Espanha 2-0 Portugal
O triunfo dos espanhóis eliminou o vizinho ibérico e apurou-os para as meias-finais como líderes do Grupo A.

José Campaña (Espanha) e João Carlos (Portugal) em acção no jogo do Grupo A
José Campaña (Espanha) e João Carlos (Portugal) em acção no jogo do Grupo A ©Sportsfile

Portugal foi eliminado do Campeonato da Europa de Sub-17 de 2010, a decorrer no Lietchenstein, ao perder frente à Espanha por 2-0, em desafio da terceira e última jornada do Grupo A, disputado esta segunda-feira no Estádio Rheinpark, em Vaduz.

A formação treinada por Rui Bento entrou na derradeira ronda empatada com a França a três pontos – ambas as selecções a outros tantos da líder Espanha –, mas em desvantagem no confronto directo pois perdera com os gauleses, pelo que para evitar sobressaltos e garantir o apuramento estava obrigada a derrotar a vencedora da prova em 2007 e 2008 por dois ou mais tentos de diferença. No entanto, dois golos de Gerard Deulofeu no espaço de quatro minutos da segunda parte (69 e 73 minutos) ditaram o afastamento português e confirmaram a qualificação do conjunto de Ginés Meléndez para as meias-finais como primeiro classificado do agrupamento, com três vitórias em outros tantos encontros, oito remates certeiros e nenhum golo sofrido.

Portugal dispôs de excelente ocasião para inaugurar o marcador aos dez minutos, quando o guarda-redes Adrián Ortolá defendeu o remate de Ricardo Esgaio e a recarga de Sancidino Silva saiu por cima da barra. A resposta surgiu célere e Aitor Castro testou a atenção de André Pereira logo a seguir, antes de uma boa jogada individual de Jesé Rodríguez, que flectiu do flanco esquerdo para o centro do terreno, terminar num pontapé a que o guardião lusitano se opôs a preceito, aos 18 minutos.

A precisar apenas de empatar para confirmar o topo do grupo, a Espanha ganhou algum ascendente a meio da etapa inicial e voltou a criar perigo aos 34 minutos, num lance de entendimento entre Paco e Rodríguez que acabou com um remate à meia-volta do primeiro, por cima do alvo. Bruma atirou de cabeça ao lado da baliza espanhola e Silva viu o seu remate ser detido por Ortolá, mas a formação de Meléndez podia ter chegado a vencer ao intervalo caso Pereira não tivesse voado para a esquerda e negado o pontapé de Gerard ao ângulo, mais em jeito do que em força, nos descontos.

Com a Suíça a ganhar à França ao intervalo, o nulo satisfazia os dois países vizinhos, mas a reviravolta dos gauleses na segunda metade da partida de Eschen deixou os portugueses a precisar de vencer por dois golos de diferença. Esgaio atirou a rasar o poste três minutos após o reatamento e Betinho viu o seu livre directo sair também perto da trave aos 62 minutos, poucos segundos após ter substituído Silva.

O desvio de Betinho, a cruzamento do recém-entrado Mateus Fonseca, saiu fraco e à figura de Ortolá pouco depois, antes de Gerard confirmar o fim do percurso do conjunto português, vencedor da prova em 2003 e de volta ao torneio após seis anos de ausência. O camisola 17 passou pelos opositores na esquerda e bateu Pereira com um remate rasteiro cruzado a dez minutos do fim, antes de bisar num canto directo. Nos descontos Bruma, de cabeça e com a baliza à sua mercê na pequena área, acertou na barra e não conseguiu o tento de honra português.