O UEFA.com funciona melhor noutros browsers
Para a melhor experiência possível recomendamos a utilização do Chrome, Firefox ou Microsoft Edge.

Holanda resiste à reacção suíça

Suíça 1-2 Holanda
A selecção "laranja" aguentou a forte reacção dos helvéticos no segundo tempo e garantiu um lugar na final, agendada para segunda-feira.

Shabir Isoufi (camisola 7 da Holanda) abriu caminho à vitória da selecção "laranja"
Shabir Isoufi (camisola 7 da Holanda) abriu caminho à vitória da selecção "laranja" ©Getty Images

A Holanda vai estar na final do Campeonato da Europa de Sub-17, depois de ter batido a Suíça, por 2-1, em Grimma, apesar da forte reacção da selecção helvética na segunda parte.

Reacção
A selecção "laranja" parecia caminhar para um triunfo confortável, após ter chegado ao intervalo a vencer por 2-0, graças a golos de Shabir Isoufi e Luc Castaignos. Contudo, a Suíça dominou por completo o segundo tempo e viu Janick Kamber reduzir a desvantagem, mas, apesar da forte pressão adversária, a Holanda segurou o lugar na final de segunda-feira e espera agora pelo desfecho da outra meia-final, em Magdeburgo, entre a Alemanha e a Itália, para conhecer o seu adversário.

Isoufi inaugura o marcador
O seleccionador da Suíça, Dany Ryser, apostou no mesmo "onze" que terminou invicto os três encontros da fase de grupos, enquanto na Holanda Bob Schepers foi titular na ala esquerda, no lugar habitualmente ocupado por Nygel Velder. Depois de um início algo cauteloso, a Holanda ganhou vantagem aos 18 minutos, durante um período de maior pressão. Um cruzamento largo de Schepers foi cortado de forma deficiente pela defesa suíça e a bola chegou a Oguzhan Özyakup que, de primeira, serviu Isoufi na esquerda. Melhor marcador da Holanda na fase de qualificação, Isoufi mostrou toda a sua qualidade ao rematar para o fundo da baliza, sem hipóteses de defesa para o guardião suíço Benjamin Siegrist.

Suíça desperdiça, Holanda marca
Foi a primeira vez que a Suíça se encontrou em desvantagem na competição, mas a sua resposta revelou-se positiva. Aos 26 minutos, uma boa iniciativa de Granit Xhaka deu origem a um pontapé de canto, na sequência do qual Charyl Chappuis cabeceou para golo, mas a bola foi afastada sobre a linha fatal. Um minuto depois, Kofi Nimeley desmarcou Nassim Ben Khalifa, mas Mats van Huijgevoort efectuou um corte providencial e evitou o remate do camisola 10 dos helvéticos. Xhaka viu, depois, um forte remate ser parado por Patrick ter Mate, mas a Holanda continuava também a ser muito perigosa no ataque e, à beira do intervalo, voltou a marcar. Schepers bateu um livre ao primeiro poste, Castaignos desviou a bola, esta ressaltou no joelho de Siegrist, subiu sobre o guarda-redes da Suíça e, apesar dos esforços de Chappuis, ultrapassou mesmo a linha de baliza.

Mudança de Kamber
Kamber tinha sido uma das principais armas da Suíça na fase de grupos e, depois de o treinador o ter mudado para o flanco esquerdo no início do segundo tempo, esteve de imediato em evidência, ao corresponder a um cruzamento rasteiro do lateral-direito André Goncalves, mas Ter Mate defendeu a bola para cima da trave. Determinado, Kamber continuou a levar a sua equipa para a frente e, depois de boa combinação com Xhaka, ladeou o guardião da Holanda e reduziu a desvantagem.

Susto perto do final
Castaignos e Isoufi estiveram perto de voltar a dar dois golos de vantagem à Holanda, aproveitando o adiantamento da selecção suíça no terreno, enquanto na outra área Xhaka ficou a centímetros de empatar a partida a dez minutos do apito final, quando o seu remate na transformação de um livre foi salvo sobre a linha de golo. A Suíça, vencedora do Grupo A, desesperava em busca da igualdade e esteve muito perto de o conseguir no último instante da partida, momento em que Roman Buess desperdiçou uma fantástica ocasião de golo, pelo que a Holanda segurou mesmo o triunfo.