O UEFA.com funciona melhor noutros browsers
Para a melhor experiência possível recomendamos a utilização do Chrome, Firefox ou Microsoft Edge.

Perfil do semifinalista: Anderlecht

Derrotado na primeira jornada, o Anderlecht não mais escorregou e teve em Aaron Leya Iseka, um dos melhores marcadores com nove golos, o jogador que abriu caminho até Nyon.

Aaron Leya Iseka leva nove golos marcados em sete partidas esta temporada
Aaron Leya Iseka leva nove golos marcados em sete partidas esta temporada ©Getty Images

Os sucessivos recordes da assistência no Estádio Constant Vanden Stock para ver esta época a equipa do RSC Anderlecht na UEFA Youth League mostram quão entusiasmados estão os adeptos com o futuro da equipa.

A academia que formou jogadores como Vincent Kompany e Romelu Lukaku fornece a espinha dorsal da equipa principal, com Dennis Praet e Youri Tielemans a chamarem a atenção de toda a Europa. O sucesso na UEFA Youth League leva os adeptos a recordar o auge europeu de Anderlecht na década de 1970 e com razões para acreditar que os bons tempos poderão estar novamente ao virar da esquina.

O Anderlecht iniciou a temporada a disputar as partidas em casa no pequeno Estádio Van Roy, em Denderleeuw, mas quando lhes coube defrontar o campeão FC Barcelona, nos oitavos-de-final, o interesse foi tão grande que o jogo acabou transferido para Bruxelas. A vitória por 1-0 no Constant Vanden Stock foi então presenciada por um máximo de 12.871 pessoas e depois fixado em 13.162 na goleada por 5-0 frente ao FC Porto nos quartos-de-final.

“A UEFA Youth League é muito importante para o desenvolvimento do jogador”, disse o treinador Mohamed Ouahbi que esta época viu o atacante Aaron Leya Iseka estrear-se na equipa principal e o médio Andy Kawaya impressionar na UEFA Champions League. “Jogar contras as melhores equipas da Europa é algo que não acontece todos os dias na Liga belga. Jogar contra diferentes estilos é particularmente importante. Deste grupo, três ou quarto jogadores vão atingir o plantel sénior.”

E tem sido isso, ultimamente, o que tem acontecido. "[Atingir as meias-finais] é um prémio para todos os que trabalharam diariamente longe dos holofotes com estes rapazes”, disse o Director geral Herman Van Holsbeeck. “Nos últimos anos, fizemos um esforço enorme para levar os nossos jovens até este nível. Isto prova que estamos no caminho certo”.

Número
9: O nº 9 do Anderlecht, Leya Iseka, é o co-líder dos marcadores, com nove golos, após ter marcado um “hat-trick” nos quartos-de-final contra o Porto.

©UEFA.com

Treinador
Nome: Mohamed Ouahbi
Data de nascimento: 07/09/1976
Ouahbi jogou futebol amador e foi treinador de formação no Anderlecht durante 11 anos, percorrendo todos os escalões. “A nossa filosofia é de querermos ter a posse de bola e de fazer algo positivo com ela”, disse. “Estes são momentos bonitos, mas o nosso objectivo de produzir jogadores para a equipa principal mantém-se. Estas experiências, claro, vão ajudar a consegui-lo.”

Destaque da academia
A moderna academia do Anderlecht, em Neerpede, abriu em 2011 e está a menos de dois quilómetros do estádio principal. O guarda-redes Mile Svilar, de 15 anos, disputou todos os oitos jogos europeus esta época e é um dos jogadores promissores da equipa.

Caminhada até às meias-finais

O guarda-redes de 15 anos do Anderlecht, Mile Svilar
O guarda-redes de 15 anos do Anderlecht, Mile Svilar©UEFA.com

Fase de grupos
Galatasaray 3-0 Anderlecht
Anderlecht 5-0 Dortmund
Anderlecht 4-3 Arsenal
Arsenal 1-2 Anderlecht
Anderlecht 3-0 Galatasaray (partida adiada)
Dortmund 1-1 Anderlecht

Oitavos-de-final
Anderlecht 1-0 Barcelona

Quartos-de-final
Anderlecht 5-0 Porto