O UEFA.com funciona melhor noutros browsers
Para a melhor experiência possível recomendamos a utilização do Chrome, Firefox ou Microsoft Edge.

Escolhas da UEFA Youth League

O campeão Chelsea, o goleador Dominic Solanke, assistência recorde, o Shakhtar e os desempates por penalties estão em destaque nas escolhas da época do UEFA.com.

Os jogadores do Chelsea comemoram depois de Isaiah Brown apontar o primeiro golo na final com o Shakhtar
Os jogadores do Chelsea comemoram depois de Isaiah Brown apontar o primeiro golo na final com o Shakhtar ©Getty Images

Equipa: Chelsea FC
Poderosa, requintada e goleadora são alguns dos adjectivos que podem ser aplicados à equipa do Chelsea que venceu a UEFA Youth League de 2014/15. Com um meio-campo de luxo a servir o goleador Dominic Solanke, os londrinos venceram nove dos dez jogos disputados, com 36 golos marcados e apenas seis sofridos.

A única derrota, por 2-0 frente ao FC Schalke 04, surgiu quando os ingleses já tinham garantido o apuramento para a fase a eliminar, onde FC Zenit, Club Atlético de Madrid, AS Roma e FC Shakhtar Donetsk não tiveram capacidade para travar a equipa de Adi Viveash. As conquistas podem não ter ficado por aqui, nove dos onze jogadores que foram titulares na final de Nyon poderão defrontar o Manchester City FC na segunda-feira, na primeira mão da final da FA Youth Cup de 2014 (Taça de Inglaterra de Jovens).

Jogador: Dominic Solanke
Um dos melhores marcadores do Campeonato da Europa de Sub-17 da UEFA que a Inglaterra venceu em Malta há 11 meses, Solanke foi coroado o rei dos goleadores na edição deste ano da UEFA Youth League com o impressionante registo de 12 golos em nove jogos. O jovem de 17 anos, uma das estrelas de 2014 do UEFA.com, só ficou em branco num desafio e marcou, em média, um golo a cada 64 minutos.

Veja: Roma 0-4 Chelsea
Veja: Roma 0-4 Chelsea

Solanke é o típico goleador de área, aparecendo em jogo sempre que surge a mínima oportunidade. Este oportunismo ficou bem patente na goleada de 4-0 à Roma, nas meias-finais, um resumo que poderá ver, incluindo os dois golos de Solanke, ao clicar na caixa de vídeo à direita.

Número: 13.162
O embate dos quartos-de-final entre o RSC Anderlecht e o FC Porto provocou uma enchente recorde no Constant Vanden Stock Stadium. Os adeptos foram recompensado com um goleada de 5-0 da promissora equipa belga, com Aaron Leya Iseka a ser a figura do jogo ao fazer um “hat-trick”.

©Getty Images

Reis das reviravoltas: FC Shakhtar Donetsk
O Shakhtar esteve por três vezes em desvantagem na fase a eliminar e conseguiu sempre vencer, com dois dos triunfos a serem garantidos no desempate. O instinto de sobrevivência dos ucranianos ficou bem patente quando marcaram três golos depois dos 76 minutos na reviravolta frente ao Anderlecht na meia-final que teve transmissão televisiva. A inspiração não durou até ao fim, com a equipa de Valeriy Kryventsov a perder por 3-1 na final com o Chelsea

Desempates
Cinco dos 12 encontros dos oitavos e dos quartos-de-final foram decididos da marca de grande penalidade, com o Shakhtar a eliminar desta forma Olympiacos FC e SL Benfica.

Promoções
Treze jogadores participaram esta época em jogos da UEFA Youth League e da UEFA Champions League, com destaque para Andy Kawaya, extremo do Anderlecht, Solanke, goleador do Chelsea, Almamy Touré, defesa do AS Monaco FC, e Leroy Sané, promissor atacante do Schalke.

A ideia que UEFA Youth League é a escola ideal para os jovens se prepararem antes de serem chamados a participar na mais prestigiada competição de clubes da Europa foi personificada por Sané, que foi o jogador que agarrou melhor a oportunidade. Na estreia na UEFA Champions League, no Santiago Bernabéu, o avançado marcou um golo sublime e foi decisivo no sensacional triunfo do Schalke sobre o Real Madrid CF, por 4-3, na segunda mão dos oitavos-de-final, um resultado que não evitou a eliminação dos alemães.

Veja o sensacional golo de Pellegrini
Veja o sensacional golo de Pellegrini

À terceira foi de vez: AS Roma
Quando não conseguimos à primeira, não devemos desistir de tentar. Foi esta atitude que permitiu à Roma chegar até às meias-finais após três duelos com o Manchester City. Os italianos perderam os dois jogos com a equipa de Patrick Vieira na fase de grupos, mas os comandados de Alberto De Rossi surpreenderam aos afastar os ingleses nos quartos-de-final. O capitão dos romanos, Lorenzo Pellegrini, marcou apenas um golo em nove jogos, mas foi decisivo ao desferir um disparo de longa distância, no triunfo por 2-1, que teria deixado orgulhos o lendário Francesco Totti.