O UEFA.com funciona melhor noutros browsers
Para a melhor experiência possível recomendamos a utilização do Chrome, Firefox ou Microsoft Edge.

City e Chelsea vitoriosos, Anderlecht trava Arsenal

Manchester City e Chelsea mantiveram o registo de vitórias, enquanto o Arsenal perdeu o seu e o Barcelona recuperou de desvantagem para empatar com o Ajax.

Mykola Matviyenko (No4) cabeceia a bola no triunfo do Shakhtar sobre o BATE, por 4-1
Mykola Matviyenko (No4) cabeceia a bola no triunfo do Shakhtar sobre o BATE, por 4-1 ©Aliaksandr Kakshynski

Manchester City FC e Chelsea FC mantiveram o seu registo 100 por cento vitorioso, enquanto o Arsenal FC perdeu o seu, com a terceira ronda da fase de grupos da UEFA Youth League a começar com o campeão FC Barcelona a realizar uma recuperação frente ao AFC Ajax e o FC Bayern München a prosseguir a sua série de maus resultados.

Grupo D
RSC Anderlecht 4- 3 Arsenal FC
• Aaron Leya Iseka colocou o Anderlecht em vantagem, logo aos dois minutos, mas Daniel Crowley marcou dois golos rapidamente e parecia encaminhar o Arsenal rumo a um terceiro triunfo consecutivo. No entanto, Iseka empatou, e os tentos de Franck Mikal e Andy Kawaya colocaram o Anderlecht a vencer por 4-2 ao intervalo. Crowley completou o seu "hat-trick", mas o Anderlecht passa a ter os mesmos seis pontos que o Arsenal.

Grupo E
PFC CSKA Moskva 0-2 Manchester City FC
• O City prolongou o seu início perfeito, já que um bis de José Ángel Pozo deu uma vitória merecida, num jogo em que registou 16 remates, contra apenas dois do CSKA.

AS Roma 1-0 FC Bayern München
• O golo madrugador de Matteo Adamo condenou o Bayern à sua terceira derrota seguida e colocou a Roma no segundo posto, com três pontos de vantagem sobre o CSKA.

Grupo F
FC Barcelona 2-2 AFC Ajax
• O Barcelona recuperou de dois golos de desvantagem para permanecer no topo do grupo, juntamente com o Ajax, e com mais quatro pontos que APOEL FC e Paris Saint-Germain. O Ajax dominou os instantes iniciais e Adham El Idrissi marcou aos três minutos. Forte no contra-ataque, Robert Murić conquistou um penalty que Damian van Bruggen transformou no 2-0. O Barcelona ganhou moral com a expulsão de Nathan Leyder, aos 62 minutos, e Xavi Quintillà assistiu para os golos de Lionel Enguene e Álex Carbonel, que garantiram um ponto.

Grupo G
Chelsea FC 2-0 NK Maribor
• Um bis de Jeremie Boga na primeira parte manteve o registo perfeito do Chelsea, combinando com Izzy Brown nos dois lances para deixar o Maribor ainda sem qualquer ponto.

FC Schalke 04 3-0 Sporting Clube de Portugal
• O Schalke ficou com três pontos de vantagem sobre o Sporting na luta pelo segundo lugar. Num campo difícil e molhado, o Schalke chegou a uma vantagem madrugadora, quando Vladimir Stojkovic, guarda-redes do Sporting, saiu da baliza e fez um mau alívio, permitindo a Felix Schröter finalizar a 20 metros de distância. A equipa da casa continuou a dominar perante a chuva inclemente, e Maurice Multhaup assistiu Leroy Sané para o segundo, e apesar de Stojkovic ter defendido um penalty de Schröter, o suplente Hendrik Lohmar fez o terceiro, na parte final. Um triunfo em Portugal, daqui a duas semanas, garante o apuramento do Schalke, a menos que o Maribor vença o Chelsea.

Grupo H
FC BATE Borisov 1-4 FC Shakhtar Donetsk
• O Shakhtar continua na liderança, em igualdade pontual com o FC Porto, após infligir ao BATE a sua terceira derrota. Oleksandr Zubkov e Vasyl Shtander fizeram o 2-0 antes de Aleksandr Dzhigero reduzir para o BATE. Denys Arendaruk restabeleceu os dois golos de diferença, com um espectacular chapéu, e depois Zubkov selou o resultado final.

FC Porto 2-0 Athletic Club
• O canto de Sérgio Ribeiro, rumo ao poste mais distante, encontrou Leonardo Ruiz, que fez o 1-0 à boca da baliza. E apesar de Clever ter sido expulso aos 51 minutos, obrigou o Porto a recuar e a apostar no contra-ataque, que não o impediu de sentenciar a partida, à beira do fim, através do suplente Bruno Costa. O Athletic está agora a quatro pontos de Porto e Shakhtar.

Repórteres: Marco Ghighi, Eugene Ravdin, Jamie Reid, Steffen Potter, Vladimir Bogachov e Carlos Santos