Barcelona de volta ao topo

O Barcelona venceu a UEFA Youth League pela segunda vez ao derrotar sem grande dificuldade o Chelsea na final.

O Barcelona festeja o seu segundo título
©Getty Images

Vencedor da edição inaugural da prova, cinco anos antes, o Barcelona ergueu op troféu pela segunda vez depois de um fantástico fim-de-semana de futebol na fase final jogada no Estádio Colovray, cenário perfeito para a conclusão de um torneio que contou com a participação de clubes de 43 diferentes países - mais três do que na temporada de 2016/17.

Célebre pelo seu futebol ofensivo, a turma orientada por Francisco García Pimienta acabou por se destacar por sofrer apenas um golo na sua caminhada até à "final four" - marcado por Rafael Leão, do Sporting. Impressionante, tendo em conta que nos oitavos-de-final e quartos-de-final teve de afastar Paris e Atlético Madrid, respectivamente.

Se essas vitórias foram alcançadas com relativa tranquilidade, o triunfo nas meias-finais sobre o Manchester City, já em Nyon, foi tudo menos tranquila. Carles Pérez e Alex Collado colocaram por duas vezes o Barça em vantagem no marcador, com Joel Latibeaudiere e Lukas Nmecha a responderem e empatarem para os "citizens". Um fantástico livre de Ricard Puig recolocou os catalães na frente e dois golos no espaço de dois minutos à beira do intervalo - assinados por Pérez e Alejandro Marqués numa altura em que o City estava já reduzido a dez elementos - colocaram o Barça a vencer por 5-1 no final dos primeiros 45 minutos.

Resumo da final: Barcelona 3-0 Chelsea
Resumo da final: Barcelona 3-0 Chelsea

Tudo parecia decidido, mas a formação inglesa reagiu e Rabbi Matondo, vindo do banco, reduziu a desvantagem com um remate de longa entes de Nmecha bisar na partida a cinco minutos do apito final e proporcionar um final de jogo emocionante. O conto-de-fadas acabaria por não se concretizar, contudo, para a turma orientada por Simon Davies.

Na outra meia-final, o Chelsea, duas vezes vencedor da prova, derrotou o estreante em fases finais Porto no desempate por penalties depois de um jogo emocionante. A formação portuguesa esteve a perder, virou o resultado e colocou-se em vantagem a dez minutos do fim, mas viu o capitão do Chelsea, Joshua Grant, fixar o resultado em 2-2, antes de o guarda-redes dos londrinos, Jamie Cumming, defender três grandes penalidades nos penalties e colocar a sua equipa na final.

A final foi menos equilibrada, com o Barcelona a dominar o Chelsea. Um golo em cada parte de Marqués – que assim marcou nos quartos-de-final, meias-finais e final – e outro de Abel Ruiz já ao cair do pano ditaram um triunfo catalão por 3-0.

Ethan Ampadu, do Chelsea, estreou-se pelo País de Gales
Ethan Ampadu, do Chelsea, estreou-se pelo País de Gales©Getty Images

Mas o sucesso numa UEFA Youth League não se mede apenas em termos de troféus. Num torneio desenhado para servir de ponte entre as equipas jovens e as equipas principais dos clubes, foi encorajador ver que nove jogadores alinharam tanto na como na UEFA Champions League (fase de grupos até à final) em 2017/18.*

Phil Foden e Brahim Díaz, do Manchester City, acabaram mesmo por deixar de ser elegíveis para as meias-finais da UEFA Youth League por terem participado em três jogos da UEFA Champions League. Diogo Dalot, do Porto, estreou-se na UEFA Champions League no empate 0-0 dos "dragões" no terreno do Liverpool, na segunda mão dos oitavos-de-final, enquanto Ethan Ampadu, do Chelsea, que se estreou na UEFA Youth League em Setembro, dois dias antes do seu 17º aniversário, chegou à selecção principal do País de Gales em Novembro, fazendo o seu primeiro jogo na Premier League inglesa no mês seguinte.

*Jogadores que actuaram na UEFA Youth League e na UEFA Champions League em 2017/18 (fase de grupos à final)
Fabrizio Caligara (Juventus)
Diogo Dalot (Porto)
Brahim Díaz (Manchester City)
Phil Foden (Manchester City)
Alexander Isak (Dortmund)
Khetag Khosonov (CSKA Moscovo)
Tyrell Malacia (Feyenoord)
Kazaiah Sterling (Tottenham Hotspur)
Dylan Vente (Feyenoord)

Topo