Bale: Final em Cardiff pode impulsionar País de Gales

Quando Real Madrid defrontar o Sevilha, Gareth Bale viverá a emoção de jogar a SuperTaça Europeia em Cardiff, a sua cidade-natal, onde espera que o jogo deixe marcas.

Para o País de Gales é uma honra receber pela primeira vez uma final europeia, neste caso a SuperTaça Europeia de 2014, mas ganhou especial relevo quando ficou claro que Gareth Bale participaria no jogo a realizar no Cardiff City Stadium.

Bale nasceu em Cardiff e estará de regresso com o Real Madrid CF quando defrontar o Sevilla FC na capital galesa, a 12 de Agosto. O extremo falou com o UEFA.com sobre o significado da partida para Cardiff e de que forma vai ajudar ao desenvolvimento do futebol num país onde existe uma forte concorrência de outra modalidade.

UEFA.com: É muito importante para a próxima geração de futebolistas galeses poder assistir aos grandes jogadores mundiais 'in loco'?

Gareth Bale: Sim, sem dúvida. Penso que é importantíssimo para a cidade. Há muito tempo que não tínhamos nada tão grande assim e, sim, é algo que vai fazer maravilhas pela cidade. Penso que ficará demonstrado que o futebol galês pode conseguir grandes feitos.

UEFA.com: O que podem esperar os adeptos quando rumarem a Cardiff?

Bale: Provavelmente, tempo frio! Não, é uma cidade bonita. Penso que tem melhorado, em especial nos últimos cinco a dez anos. É, obviamente, um grande país do râguebi mas o Cardiff alinha na Premier League, tal como Swansea, o que aumenta o nível do futebol galês. É uma cidade em desenvolvimento e espero que assim continue.

UEFA.com: Não muito longe de Cardiff, em Newport, a Federação Galesa de Futebol (FAW) construiu um novo centro de treinos. Que impacto irá ter daqui para a frente no futebol galês, no desenvolvimento dos jovens jogadores?

Bale: É fantástico dispor de uma estrutura como essa. Penso que todos os escalões etários a poderão utilizar e, sim, ter o nosso próprio centro de treinos é muito importante. Todas as grandes nações dispõem de um e é um passo em frente no futebol galês. Queremos continuar a desenvolver-nos e a ser melhores na expectativa de vir a conseguir algo no futebol internacional.

UEFA.com: Pensa que a existência desse centro de treinos se traduzirá num melhor desempenho para a selecção nacional?

Bale: Sim, penso que vai melhorar tudo. Desde os Sub-15, Sub-16 até à primeira equipa, todas vão poder usá-lo. E espero que tenha um efeito positivo, algo que nos possa ajudar no futuro.

UEFA.com: Obviamente que como galês se sente orgulhoso. Quão orgulhoso está pelo facto de ser um modelo a seguir pelos jovens futebolistas do seu país?

Bale: É muito importante. Quando era criança era importante ter referências. Encoraja as pessoas, os miúdos a praticarem futebol, a desenvolverem-se e espero que possa ajudar no futuro a produzir jovens e os bons jogadores.

UEFA.com: Que significado tem para o futebol galês desenvolver mais modelos para as gerações futuras, mais pessoas como você?

Bale: É importante ter jogadores-referência, em particular no futebol. Este é uma pais do râguebi mas penso que o futebol sempre teve importância em Gales. Talvez há cinco ou dez anos fosse mais o futebol do que o râguebi mas é um cenário que muda de vez em quando. Temos de produzir mais jogadores e espero que isso possa inspirar mais pessoas em Gales a jogar futebol e a serem melhores no futuro.

UEFA.com: Falando sobre a sua evolução, como se compara actualmente ao tempo em que, adolescente, se estreou no Southampton FC?

Bale: Há muitas diferenças. Penso que, acima de tudo, fisicamente. Quando comecei a jogar era um rapaz magro. Naturalmente cresci, fui ficando mais atlético, tornando-me mais poderoso e mais forte. À medida que os anos passaram foi o que aconteceu comigo. Mantenho-me a trabalhar agora todas as parte do meu jogo. Espero continuar a melhorar no futuro.

Topo