Eriksson honrado em arbitrar a SuperTaça Europeia

O árbitro Jonas Eriksson conversou com o UEFA.com sobre o orgulho que sente por ter sido nomeado para dirigir a SuperTaça Europeia e contou o que o levou a enveredar pela arbitragem.

Jonas Eriksson esboça um sorriso durante um jogo da fase de grupos da UEFA Champions League 2012/13, em Amesterdão
Jonas Eriksson esboça um sorriso durante um jogo da fase de grupos da UEFA Champions League 2012/13, em Amesterdão ©Getty Images

Depois de já ter dirigido jogos das meias-finais da UEFA Champions League e da UEFA Europa League, Jonas Eriksson está habituado aos grandes embates e é com naturalidade que encara a sua escolha para arbitrar, na noite desta sexta-feira, o embate da SuperTaça Europeia entre FC Bayern München e Chelsea FC.

Em conversa com o UEFA.com, o árbitro sueco revelou a honra que sentiu ao saber da nomeação para tão prestigiado encontro e falou das razões que o levaram a enveredar pela arbitragem.

UEFA.com: Jonas Eriksson, está muito ansioso por ir arbitrar a SuperTaça Europeia?

Jonas Eriksson: Bastante, naturalmente. Arbitro desde os meus 14 ou 15 anos e desde então que sonho dirigir grandes finais.

UEFA.com: Já arbitrou alguns jogos muito importantes ao longo da sua carreira. Onde enquadra esta final europeia nos momentos mais importantes da sua carreira?

Eriksson: Uma final é sempre uma final e ser designado para a dirigir tem sempre algum significado, mas eu procuro não diferenciar os jogos em termos de importância. Estou, simplesmente, feliz por a UEFA ter depositado a sua confiança em mim para este encontro.

UEFA.com: O que o inspirou a ser árbitro e quais os seus modelos quando era jovem?

Eriksson: Quando era jovem e jogava à bola sentia que muitos árbitros não tinham nem as capacidades de comunicação nem as capacidades físicas necessárias. Sentia que a qualidade da arbitragem não era boa e achava que podia fazer melhor. Disseram-me, então, para fazer o curso e foi o que fiz. Passei muito tempo com Anders Frisk, um árbitro sueco de topo, até 2005, mas também olhava para outros árbitros, como Pierluigi Collina, Markus Merk ou Hugh Dallas. Todos eles tinham qualidades diferentes que procurei adoptar e desenvolver.

UEFA.com: Como é que você e os seus árbitros auxiliares se estão a prepara para este jogo?

Eriksson: Soubemos desta nomeação há poucos dias. Temos vindo a estudar as duas equipas, realizámos uma conversa preparatória esta manhã e vamos realizar outra na manhã do jogo. Conhecemo-nos bem, pois já dirigimos vários jogos juntos, mas vamos treinar mais um pouco juntos. Vamos aquecer, andar um pouco pelo relvado e olhar para várias posições, procurando potenciar ao máximo a nossa cooperação durante o jogo.

Topo