Mourinho e Guardiola apontam à glória

José Mourinho acredita que o Chelsea pode competir com o Bayern, cujo treinador Josep Guardiola apelidou o técnico português de "mestre" da táctica.

José Mourinho dirige o treino do Chelsea no Stadion Eden
José Mourinho dirige o treino do Chelsea no Stadion Eden ©Getty Images
O Inter de Mourinho bateu o Bayern em 2010
O Inter de Mourinho bateu o Bayern em 2010©Getty Images

Quando o campeão europeu FC Bayern München entrar em campo esta sexta-feira para medir forças com o Chelsea FC, detentor da UEFA Europa League, na SuperTaça Europeia, estará a pensar em mais do que uma simples desforra da dolorosa derrota sofrida em casa diante da equipa de Londres na final da UEFA Champions League de 2012.

Efectivamente, muita coisa se passou já desde que o Chelsea ergueu o mais cobiçado dos troféus europeus de clubes em plena Fußball Arena München. Enquanto o Bayern recuperou com o triunfo na final da edição da época seguinte da prova, frente ao Borussia Dortmund, o Chelsea redimiu-se da decepcionante campanha na fase de grupos com a conquista da UEFA Europa League. Estava, assim, traçado o caminho de um reencontro entre as duas formações agora em Praga, no Stadion Eden.

Ambos os clubes mudaram de treinador após os êxitos da temporada transacta: o Bayern apostou em Josep Guardiola e o Chelsea recebeu de volta José Mourinho. Os dois viveram uma saudável rivalidade em Espanha, ao leme dos gigantes FC Barcelona e Real Madrid CF, respectivamente, mas Guardiola garante que o reencontro desta sexta-feira entre os dois é, simplesmente, mais um jogo em que está em discussão a atribuição de um troféu.

"Assim que o árbitro der o apito inicial as atenções vão centrar-se nos jogadores", salientou o técnico espanhol, vencedor da SuperTaça Europeia em 2009 e 2011. "A razão de estarmos aqui e pela qual milhões de pessoas em todo o mundo se colam às televisões é para ver dois grandes clubes a defrontarem-se e não os seus treinadores."

Guardiola, que se referiu à capital da República Checa como "uma cidade bonita", acrescentou que tem "o maior dos respeitos pela carreira de Mourinho" e elogiou as capacidades tácticas do técnico português, capaz de criar equipas muito fortes defensivamente e muito rápidas no contra-ataque: "É um verdadeiro mestre nisso."

Mourinho guiou os "blues" à conquista de dois títulos de campeão de Inglaterra durante a primeira passagem pelo leme do clube, entre 2004 e 2007, e acredita que defrontar um adversário tão grande calibre numa fase ainda muito prematura da temporada pode constituir uma vantagem. "É bom para nós jogarmos com o Bayern antes do início da Champions League, porque não quero que os meus jogadores pensem que podem ganhar a Europa League, continuar a jogar ao mesmo nível e darem-se bem na Champions League", frisou.

Mourinho tem um misto de bons e maus resultados no historial de embates com o Bayern, tendo-o derrotado à frente do Chelsea nos quartos-de-final da UEFA Champions League 2004/05 e pelo FC Internazionale Milano na final de 2009/10, mas perdeu ao leme do Real Madrid nas meias-finais da edição de 2011/12.

"Nunca é fácil defrontar o Bayern", acrescentou. "A sua principal força é o colectivo. Os seus jogadores encontram-se no pico das respectivas carreiras. [Franck] Ribéry, [Arjen] Robben, [Bastian] Schweinsteiger – todos estão habituados a jogar as grandes competições ano após ano, tanto a nível de clubes como a nível de selecções. Mostraram ser uma equipa perfeita no ano passado ao conquistarem a tripla de troféus e tem uma personalidade extraordinária."

Apesar da disparidade existente entre as duas equipas em termos de experiência, Mourinho acredita que o Chelsea, muito renovado nesta nova época, pode repetir a vitória de 2012 sobre o Bayern e conquistar assim um troféu que até agora lhe tem fugido. "A SuperTaça Europeia do ano passado terminou 4-1 [para o Club Atlético de Madrid], por isso nunca se sabe. Temos capacidade para competir com o Bayern. A vitória é uma possibilidade e acreditamos que a vamos alcançar."

Topo