Mourinho fala sobre o futuro próximo

Com a SuperTaça Europeia em falta no palmarés, José Mourinho falou ao UEFA.com sobre o regresso ao Chelsea e o desafio que constituiu o jogo com o Bayern, em Praga.

José Mourinho ganhou todas as competições de clubes em que participou – excepto uma.

Apesar de ter ganho campeonatos e todas as taças possíveis em Portugal, Inglaterra, Espanha e Itália, mais a UEFA Champions League e a Taça UEFA, ainda falta a SuperTaça Europeia no palmarés. Na edição de 2003, o FC Porto por si orientado perdeu com o AC Milan no Mónaco e, após ter ajudado os "dragões" e o FC Internazionale Milano a conquistarem a UEFA Champions League, saiu de cada um deles antes deste jogo em Agosto frente ao outro campeão continental da época.

Na sexta-feira, tem a oportunidade de corrigir essa falha quando liderar o Chelsea FC frente ao FC Bayern München, em Praga. Novamente escolhido para treinar o Chelsea, este Verão, Mourinho falou ao UEFA.com sobre o regresso, a importância da SuperTaça Europeia e o desafio que constitui o jogo com o Bayern.

UEFA.com: Como se sente por regressar ao Chelsea?

José Mourinho: Estou no clube onde queria estar. Estou no país onde queria estar, por isso penso que isso é um privilégio, pois por vezes preferimos um clube ou país, mas as circunstâncias não permitem ter ambos, por isso após a minha experiência em diferentes países, não podia estar mais feliz.

UEFA.com: O que é que a SuperTaça Europeia significa para si?

Mourinho: O que significa para nós, é um troféu. Normalmente, as SuperTaças Europeias são os troféus diferentes, vocês compreendem isso, não é o mesmo que ganhar uma competição onde se realizam bastantes jogos. É uma competição a um só jogo, por isso em termos futebolísticos, não significa muito, mas é um troféu com prestígio, que cada clube gostaria de acrescentar ao seu palmarés. Por isso temos de tentar ganhá-lo.

UEFA.com: Como aconteceu consigo no Inter, há três anos, o Bayern conquistou a "tripla" de troféus na época anterior …

Mourinho: Com o Bayern, o que me impressionou foi sempre a dificuldade de conquistar a "tripla" de troféus, e apenas grandes equipas, com uma mentalidade forte, qualidades futebolísticas fantásticas – e não apenas qualidades futebolísticas – conseguem isso. Manter esse nível e ambição nas três competições foi fantástico, um trabalho notável e inacreditável de Heynckes. Como é óbvio, fiquei impressionado com a forma como se exibiram ao longo de toda a temporada.

Defrontar a melhor equipa do Mundo na época anterior, porque foi fantástica nesse período, é um grande desafio para nós, pois é bom sabermos em que ponto estamos frente aos melhores. Nesse dia ficaremos ainda a conhecer os nossos adversários na fase de grupos da Champions League, e esse é outro desafio de peso, o de garantir o apuramento para a fase a eliminar.

Topo