O UEFA.com funciona melhor noutros browsers
Para a melhor experiência possível recomendamos a utilização do Chrome, Firefox ou Microsoft Edge.

Unai Emery sobre o duelo com o Chelsea, os títulos na Europa League e a ambição do Villarreal

"Querer mais e trabalhar" é o que o treinador de 49 anos espera do Villarreal, vencedor da UEFA Europa League, para manter a boa forma recente.

Unai Emery, treinador do Villarreal
Unai Emery, treinador do Villarreal UEFA via Getty Images

Mestre da UEFA Europa League, com cinco finais e quatro títulos ganhos, ao serviço de Sevilha e Villarreal, Unai Emery não se satisfaz com o que já tem e pretende mais, numa altura em que o Submarino Amarelo se prepara para enfrentar o Chelsea na Supertaça Europeia, em Belfast.

O treinador de 49 anos já perdeu um título europeu frente ao Chelsea, quando o Arsenal foi batido na final da UEFA Europa League de 2019, e está determinado a fazer melhor frente ao mesmo adversário. Emery fala ao UEFA.com sobre os seus dias mais gloriosos e sobre a paixão pela vitória que o mantém sempre atento e a evoluir.

Chelsea - Villarreal: cobertura ao minuto


Sobre o duelo com o Chelsea na Supertaça Europeia

Glória do Villarreal: veja todos os golos na Europa League 2021/22
Glória do Villarreal: veja todos os golos na Europa League 2021/22

Quando se relaxa em demasia costuma dar mau resultado, por isso há que querer mais e trabalhar. Um treinador deve pensar sempre em novos objectivos e não viver do passado no presente. O pensamento tem que ser no futuro.

Já disputei duas Supertaças Europeias mas nunca ganhei. Esta prova é uma óptima oportunidade para mostrarmos do que somos capazes, e logo frente a um enorme oponente como é o Chelsea.

O campeão europeu costuma ganhar?

O Bayern, vencedor da UEFA Champions League, ergueu o troféu em 2020, mas nem sempre é assim. De facto, o detentor da Taça UEFA/UEFA Europa League venceu 20 das últimas 45 edições.

Sobre o seu título favorito na UEFA Europa League

Aquele com o Villarreal, talvez por ser o mais recente e porque representou um desafio diferente. Quando cheguei ao Sevilha, o clube já tinha ganho dois títulos, e por isso até houve quem dissesse que era o Sevilha que estava a dar-me a oportunidade de ganhar. Mas depois, ao ganhar três vezes, acabei por construir a minha reputação como treinador.

Com o Villarreal foi mais complicado pois o clube não tinha o mesmo estatuto. Ainda assim batemos um adversário de renome como é o Manchester United para ganhar o título num torneio que é cada vez mais difícil.

Sobre o que retira de cada final com o Sevilha

Resumo da final de 2016: Sevilha 3-1 Liverpool
Resumo da final de 2016: Sevilha 3-1 Liverpool

Do triunfo de 2014 tenho a destacar o facto de ter sido o meu primeiro título, e quando se conquista um troféu europeu ganha-se um certo estatuto. No ano seguinte, como detentor do título e após eliminar equipas fortes, esperavam muito do Sevilha e consideravam-no favorito frente ao surpreendente Dnipro. Isso fez com que encarássemos a final de forma ainda mais séria. Em 2016 foi o cimentar de um estatuto, frente a um adversário, o Liverpool, que foi talvez o mais forte que encontrámos em finais.

Sobre a derrota com o Chelsea em 2019

Sentimos que cada equipa tinha 50 por cento de hipóteses de vencer, até pelo percurso semelhante que tinham tido no campeonato. Tivemos uma excelente primeira parte mas não conseguimos marcar. Nessa noite o [Eden] Hazard foi incrível e fez a diferença. E por isso o Chelsea venceu de forma merecida.

Sobre as ambições do Villarreal para 2021/22

Resumo: Villarreal 1-1 Man. United (11-10 pen)
Resumo: Villarreal 1-1 Man. United (11-10 pen)

A nossa ambição deve ser infinita. Mas na verdade, ela define-se pelos adversários e os desafios com que nos cruzarmos. Se conseguirmos chegar aos oitavos-de-final da UEFA Champions League, será o primeiro passo para atingir o objectivo de querermos ser cada vez melhores. Não somos candidatos ao título, estamos cientes disso, mas é possível fazermos uma boa campanha.

Descarregue a app da Champions League!