Decisões sobre EURO 2020 e SuperTaça

O Comité Executivo da UEFA aprovou o prazo de candidatura ao EURO 2020, atribuiu a organização da SuperTaça Europeia a Cardiff (2014) e Tbilissi (2015), e aceitou experimentar uma nova prova jovem.

O Comité Executivo da UEFA reuniu-se em Kiev
O Comité Executivo da UEFA reuniu-se em Kiev ©UEFA.com

O Comité Executivo da UEFA aprovou este sábado o prazo de candidatura para a organização do UEFA EURO 2020. A UEFA vai manter conversações com todas as suas federações-membro, que serão concluídas com a publicação dos regulamentos detalhados de candidatura, em Dezembro de 2012. A partir dessa data, as federações interessadas em candidatarem-se devem preparar a sua documentação de candidatura tendo em atenção o prazo-limite, em Setembro de 2013. As candidaturas submetidas serão depois avaliadas e o anúncio do(s) organizador(es) do UEFA EURO 2020 será feito em Maio de 2014.

O UEFA EURO 2020 vai assinalar o 60º aniversário desde a realização do primeiro Campeonato da Europa, em 1960. Por isso, o Comité Executivo também debateu o potencial formato organizativo da fase final da edição de 2020, onde um, dois ou mais países, até mesmo várias cidades-sede, podem ser considerados elegíveis, dependendo do exacto modelo proposto.

O Comité Executivo também aprovou uma nova forma de partilha de receitas para os clubes no ciclo de competições da UEFA para 2012-15. A divisão geral entre os clubes e a UEFA permanece igual, tal como o padrão entre "quantias fixas" e a "quota de mercado". No entanto, num sinal de cada vez maior solidariedade entre os clubes, uma contribuição de 40 milhões de euros da UEFA Champions League vai ser transferida para os clubes da UEFA Europa League, de modo a reduzir a diferença de valores entre as duas competições. Isto vai ser composto por cerca de 31,5 milhões de euros dos clubes da UEFA Champions League e de cerca de 8,5 milhões de euros da UEFA. As receitas das duas competições devem aumentar para o ciclo 2012-15: 22 por cento para a UEFA Champions League (lucro anual estimado de 1,34 mil milhões de euros) e 12 por cento para a UEFA Europa League (lucro anual estimado de 225 milhões de euros).

Também foram decididos os países organizadores da SuperTaça Europeia em 2014 e 2015. Em 2014, vai ter lugar no Estádio Cardiff City, no País de Gales, enquanto em 2015 o jogo vai realizar-se no Estádio Mikheil Meskhi, em Tbilisi, na Geórgia. O Comité Executivo também concordou em adoptar uma nova data para a realização da SuperTaça Europeia. A partir de 2014, vai decorrer em meados de Agosto, estando dependente da ratificação do novo calendário internacional de jogos pela FIFA (a partir de 2014). O palco da edição 2013 da SuperTaça Europeia já foi anunciado, cabendo a honra ao Estádio Eden, em Praga, a 30 de Agosto de 2013.

Foi aceite uma experiência de dois anos para uma nova competição jovem de clubes da UEFA, no escalão Sub-19. Esta vai começar em 2013/14 e o acesso será reservado às equipas dos 32 clubes participantes na fase de grupos da UEFA Champions League. As equipas vão disputar uma fase de grupos com a mesma composição e calendário da UEFA Champions League. A fase a eliminar será disputada a um só jogo, o que representa um máximo de dez jogos, com as meias-finais e a final a decorrerem em campo neutro.

O responsável pela arbitragem, Pierluigi Collina, informou o Comité Executivo sobre o desempenho dos árbitros-auxiliares adicionais (AARs). No total, 1000 jogos, incluindo 290 na UEFA Champions League, 615 na UEFA Europa League e 30 no UEFA EURO 2012, foram alvo da experiência, e com excepção para um erro no UEFA EURO 2012, esta tem-se revelado extremamente positiva. O Comité Executivo da UEFA deu o seu apoio unânime à utilização dos cinco elementos e pediu a realização de um debate alargado sobre o uso da tecnologia no futebol. A FIFA e o International Board devem dar a sua opinião sobre a tecnologia da linha-de-golo e o uso dos AARs a 5 de Julho.

Conteúdos relacionados

Topo