Hulk ansioso por defrontar o Barça

O avançado Hulk, do FC Porto, está ansioso por defrontar o Barcelona na SuperTaça Europeia e diz: "Qualquer jogo é um teste e uma oportunidade para provarmos o nosso valor."

Na época passada, Hulk exibiu-se a um nível tão alto que, por vezes, até foi aplaudido pelos adeptos das equipas adversárias. O melhor jogador da da Liga portuguesa 2010/11 só pensa em continuar a somar títulos, a começar já na SuperTaça Europeia, frente ao FC Barcelona.

O FC Porto possui um palmarés rico na Europa. Qual foi a sensação de contribuir para mais um capítulo dessa história no triunfo sobre o Sporting de Braga, em Dublin, na final da UEFA Europa League?

Hulk: Foi um privilégio. Fizemos uma temporada fantástica, mas já estamos concentrados na nova época e sabemos que temos de trabalhar ainda mais para ter o mesmo sucesso que conseguimos em 2010/11. Vamos voltar a disputar a UEFA Champions League e isso obriga-nos a estar ao nosso melhor nível.

Que recordações guarda da final de Dublin?

Hulk: As recordações começam muito antes do final. Na verdade, tudo começou no primeiro jogo na prova, pois desde o início que acreditámos que era possível conquistar o troféu. Aquela noite em Dublin foi o ponto alto, mas para mim toda a campanha foi especial. Se tivesse de destacar um momento especial da nossa participação na UEFA Europa League, provavelmente escolheria o jogo em casa do Beşiktaş [triunfo por 3-1 na fase de grupos]. Foi inacreditável ser aplaudido pelos adeptos turcos depois de marcar um golo. Foi uma grande surpresa para mim.

O que sentiu quando pegou no troféu pela primeira vez?

Hulk: Foi um momento de pura glória. Foi como receber um presente de valor incalculável. Quando se ganha uma competição europeia com a importância da UEFA Europa League, sabemos que é uma sensação que vamos recordar até ao final da nossa vida. Quando levantei o troféu, só agradeci a Deus pela oportunidade de ter realizado um sonho. Quis imediatamente partilhar aquele momento com todas as pessoas que contribuíram para a nossa vitória.

Qual foi o segredo do sucesso da equipa?

Hulk: Penso que a união de todos os que fazem parte do grupo. Não há segredos no futebol, quando os jogadores chegam a todos os treinos dispostos a dar o máximo em prol da equipa, isso conduz ao sucesso.

Até que ponto está motivado para defrontar o Barcelona?

Hulk: Estou muito feliz por ter a oportunidade de disputar uma competição com a importância da SuperTaça Europeia. Eu e os meus colegas não poderíamos estar mais motivados para o jogo contra o Barcelona, uma das melhores equipas do Mundo, e vamos fazer tudo para voltar a trazer troféu para Portugal.

Até que ponto é importante fazer um teste frente aos melhores antes de iniciar a participação na UEFA Champions League?

Hulk: Todos os jogos são testes importantes, oportunidades para mostrarmos o nosso valor. Não escondo que este confronto com o Barcelona vai ser muito importante, porque vamos discutir um troféu e porque temos pela frente os actuais campeões da Europa. O objectivo é sempre o mesmo: ganhar. Já conquistámos a SuperTaça de Portugal e vamos tentar fazer o mesmo no Mónaco, mas, se as coisas não saírem bem, só temos de levantar a cabeça e continuar a trabalhar. O futebol é assim.

E quanto à motivação de jogar esta época na UEFA Champions League?

Hulk: Estamos a falar dos melhores jogadores e das melhores equipas do Mundo, por isso só posso sentir uma enorme satisfação por jogar numa competição como esta. As melhores equipas, os melhores jogadores e os melhores estádios; o que poderia pedir mais?

O FC Porto tem um novo treinador esta época. Vítor Pereira trouxe muitas mudanças?

Hulk: Penso que nada mudou. O novo treinador já trabalhava connosco na época passada e teve um papel importante na equipa, deu conselhos muito importantes a todos os jogadores. Já conhecíamos os seus métodos de trabalho, o que tornou tudo mais fácil. Não considero que a equipa tenha mudado o seu estilo de futebol.

Que tipo de treinador é ele?

Hulk: Escuta os jogadores e conversa para os ajudar. É muito exigente e todos os jogadores sabem que têm de dar o máximo para lhe agradar. Esta forma de trabalhar cria bons problemas, pois ele tem sempre dois ou três jogadores para escolher para cada posição.

Este artigo faz parte do programa oficial da SuperTaça Europeia. Adquira aqui o seu exemplar (em inglês).

Conteúdos relacionados

Topo