O UEFA.com funciona melhor noutros browsers
A partir de 25 de Janeiro, o UEFA.com já não vai suportar o Internet Explorer.
Para obter a melhor experiência possível, recomendamos que use Chrome, Firefox ou Microsoft Edge.

Gerrard aclamado no Mónaco

O médio internacional inglês do Liverpool foi distinguido como o Jogador Mais Valioso da última época, na cerimónia dos Prémios Anuais da UEFA, que teve lugar no Mónaco.

Os jogadores a actuar em Inglaterra dominaram por completo a cerimónia dos Prémios Anuais da UEFA, realizada esta noite no Mónaco. Na véspera da realização da SuperTaça Europeia, o tradicional evento que marca o início da nova temporada europeia, que decorreu logo após o sorteio desta tarde para a fase de grupos da UEFA Champions League, distinguiu o capitão do Liverpool FC, Steven Gerrard, com o prémio de Jogador Mais Valioso. A dupla do Chelsea FC constituída por Petr Cech e John Terry recebeu os galardões de Melhor Guarda-Redes e Melhor Defesa, respectivamente.

Golos cruciais
Gerrad inspirou o Liverpool na caminhada para a conquista da Liga dos Campeões 2004/05, apontando o golo frente ao Olympiacos CFP, em Dezembro, que colocou a turma de Rafael Benítez nos oitavos-de-final da competição. O médio internacional inglês coroou uma extraordinária campanha com o primeiro golo do Liverpool na final contra o AC Milan, em Istambul, que marcou o início de uma fantástica recuperação de uma desvantagem de 3-0 até ao empate e à vitória nas grandes penalidades.

O primeiro capitão
O jogador de 25 anos torna-se, assim, no primeiro capitão de uma equipa vencedora da Liga dos Campeões a receber o prémio de Jogador Mais Valioso, embora David Beckham, Fernando Redondo (2000), Stefan Effenberg (2001), Zinedine Zidane (2002) e Deco (2004) tenham sido distinguidos com o galardão no mesmo ano em que ajudaram as respectivas equipas a conquistar a mais importante competição de clubes da Europa.

Terry fantástico
O companheiro de Gerrard na selecção inglesa, John Terry, também viveu uma excelente temporada de 2004/05, ao capitanear o Chelsea na conquista do seu primeiro título inglês em 50 anos (o segundo no total) e ao apontar o golo que afastou o FC Barcelona da Liga dos Campeões. A equipa de José Mourinho chegou às meias-finais da prova, onde perdeu para o Liverpool. Terry, de 24 anos, falhou apenas dois encontros da Premiership, ajudando a sua equipa a vencer a competição com 12 pontos de vantagem.

Cech intransponível
Outro elemento fundamental no sucesso do Chelsea foi o guarda-redes internacional checo, Peter Cech, que sofreu somente 13 golos em 35 jogos da Premier League e apenas ficou de fora em um dos 12 encontros da equipa na Liga dos Campeões. O guardião de 23 anos tornou-se no segundo jogador da República Checa a receber um prémio nesta cerimónia, após Pavel Nedved ter sido distinguido como o Melhor Médio em 2003.

A classe de Kaká
Os restantes dois vencedores foram brasileiros. Apesar de a sua equipa ter baqueado nos momentos finais da Liga dos Campeões e da Serie A, o jogador do Milan, Kaká, arrebatou o prémio de Melhor Médio. Kaká apontou sete golos no principal campeonato transalpino e esteve em todas as eliminatórias da caminhada até à final de Istambul.

O génio de Ronaldinho
O compatriota de Kaká, Ronaldinho, foi eleito o Melhor Avançado. O jogador foi, surpreendentemente, o primeiro do Barcelona a receber um galardão neste evento. Aos 25 anos, Ronaldinho foi o génio responsável pelo primeiro título de campeão espanhol que o Barça conquistou em seis anos, com nove golos apontados. O internacional brasileiro foi também autor de quatro tentos na Liga dos Campeões, com destaque para dois monumentais apontados ao Milan e ao Chelsea.

Treinadores campeões
Por outro lado, foram atribuídos vários galardões especiais. O prémio Treinador Campeão foi entregue a Benítez e Valeri Gazzaev, os homens por detrás dos sucessos do Liverpool na Liga dos Campeões e do PFC CSKA Moskva na Taça UEFA de 2004/05, respectivamente.