Pedro volta a dar SuperTaça ao Barcelona

FC Barcelona 5-4 Sevilla FC (ap)Pedro Rodríguez marcou aos 115 minutos e decidiu pela segunda vez uma SuperTaça Europeia após um jogo extraordinário.

See how Barcelona beat Sevilla 5-4 in Super Cup thriller

Pedro Rodríguez marca no prolongamento o golo que decide o extraordinário encontro de Tbilissi
Barcelona iguala recorde do AC Milan com cinco vitórias na SuperTaça Europeia, apesar de desperdiçar vantagem de 4-1
Éver Banega abre o activo para o Sevilha com o golo mais rápido de sempre da prova
Lionel Messi não demora a empatar e depois faz o 2-1; três primeiros golos todos de livre directo
Rafinha, no lugar de Neymar, marca o terceiro do Barcelona, instantes antes do intervalo
Luis Suárez marca antes de José Antonio Reyes e Kévin Gameiro reduzirem para o Sevilha
Substituto Yevhen Konoplyanka empata, mas o Sevilha acaba por perder a segunda SuperTaça Europeia consecutiva

O campeão europeu, FC Barcelona, conquistou a Supertaça Europeia, ao impor-se, por 5-4, após prolongamento, sobre o detentor da UEFA Europa League, Sevilla FC, num frenético jogo disputado no estádio Boris Paichadze, em Tbilissi, capital da Geórgia, decidido com um golo de Pedro Rodríguez aos 115 minutos.

Menos de três minutos depois do apito inicial e o marcador já funcionara. E favoravelmente para o Sevilha. Éver Banega assumiu a cobrança de um livre directo em zona frontal, cobrando-o sobre a barreira e deixando Marc-André ter Stegen pregado no solo.

No lance de perigo seguinte e de forma tão inesperada como no golo anterior, o Barcelona chegou ao empate e também de livre directo. Messi rematou sobre a barreira, tornando infrutífera a estirada de Beto, titular na baliza dos sevilhanos.

Aos 16 minutos, colocou-se em vantagem no marcador, com Messi novamente a transformar um livre directo, tendo-o feito da mesma forma, mas cerca de cinco metros atrás relativamente à posição no golo do empate. Uma vez mais, sem hipóteses de defesa para Beto.

Veja: A espectacular cerimónia de abertura
Veja: A espectacular cerimónia de abertura

Os catalães partiram em busca do golo que tornasse mais confortável a sua vantagem e Luis Suárez colocou a bola no fundo das redes após passe de Jéremy Mathieu, mas o lance foi invalidado por fora de jogo do sul-americano. O Sevilha reagiu através de um remate de Kévin Gameiro bloqueado por Sergio Busquets, mas foi o Barça quem voltaria a marcar antes do intervalo. Suárez teve um forte remate defendido por Beto e recuperou a bola antes de encontrar Rafinha solto já na pequena-área para uma conclusão fácil.

O intervalo chegou dois minutos volvidos e dele veio um Barcelona mais pausado, mas, ainda assim, eficaz, que chegou ao quarto golo somente sete minutos após o reatamento. Benoit Trémoulinas fez um passe paralelo à sua área, que foi interceptado por Sergio Busquets. Este passou de imediato a Suárez, que não perdoou perante Beto.

Quando todos esperavam pela consagração do Barcelona até ao apito final, eis que o Sevilha arrancou uma notável recuperação, apontando três golos, que adiaram a decisão para o prolongamento. Assim, cinco minutos depois do golo de Suárez, o Sevilha reduziu para 4-2, com Reyes a surgir ao poste mais distante para emendar o cruzamento de Vítolo.

Aos 70 minutos, Vítolo voltou a estar em destaque, ao ser derrubado na área por Jéremy Mathieu. Chamado à conversão da grande penalidade, Kévin Gameiro não perdoou. Entretanto, Luis Enrique trocou Rafinha por Marc Bartra, recuando a equipa de imediato, apesar da entrada, também, de Pedro. Respondeu Emery com as entradas dos dianteiros Ciro Immobile e Yevhen Konoplyanka.

E foi de uma falha de Bartra que chegou o empate do Sevilha. Bartra perdeu a bola para o italiano, que cruzou de imediato para a boca da baliza e o ucraniano só teve de encostar, deixando os catalães atónitos.

Na primeira parte do prolongamento, Mariano teve um bom remate, bem defendido por Ter Stegen, mas foi na segunda parte que o marcador voltou a mexer e para o Barcelona. Messi cobrou um livre contra a barreira e recargou para excelente defesa de Beto. Pedro foi rápido a reagir e recargou com sucesso, voltando a dar o triunfo aos catalães numa SuperTaça Europeia, conforme fizera em 2009/10, frente ao FC Shakhtar Donetsk, mal-grado tentativas de novo empate desperdiçadas por Coke e Adil Rami.

Éver Banega festeja o seu golo apontado em tempo-recorde
Éver Banega festeja o seu golo apontado em tempo-recorde©Getty Images
Lionel Messi enfrenta o compatriota e também ele marcador, Éver Banega
Lionel Messi enfrenta o compatriota e também ele marcador, Éver Banega©Getty Images
Lionel Messi festeja o tento da igualdade
Lionel Messi festeja o tento da igualdade©Getty Images
Lionel Messi (à direita) marca o segundo golo, também de livre directo
Lionel Messi (à direita) marca o segundo golo, também de livre directo©Getty Images
Lionel Messi festeja com o companheiro de equipa, Daniel Alves
Lionel Messi festeja com o companheiro de equipa, Daniel Alves©AFP/Getty Images
Rafinha marca no final da primeira parte
Rafinha marca no final da primeira parte©Getty Images
Luis Suárez após apontar o 4-1
Luis Suárez após apontar o 4-1©Getty Images
José Antonio Reyes (à esquerda) não demora a reduzir para 4-2
José Antonio Reyes (à esquerda) não demora a reduzir para 4-2©Getty Images
Kévin Gameiro converte a sua grande penalidade
Kévin Gameiro converte a sua grande penalidade©Getty Images
Yevhen Konoplyanka empata para o Sevilha e leva decisão para o prolongamento
Yevhen Konoplyanka empata para o Sevilha e leva decisão para o prolongamento©Getty Images
Topo