Real Madrid e Sevilha lutam pela SuperTaça Europeia

Real Madrid e Sevilha vão procurar erguer a SuperTaça Europeia pela segunda vez na sua história quando medirem forças no Cardiff City Stadium, no País de Gales.

O troféu da SuperTaça Europeia
©UEFA

Real Madrid CF (2002) e Sevilla FC (2006) têm uma vitória na SuperTaça Europeia

Real Madrid marca presença como vencedor da UEFA Champions League após ter conquistado o décimo título em Lisboa

Sevilha venceu a UEFA Europa League pela terceira vez ao derrotar o Benfica no desempate por grandes penalidades

Quarta edição da SuperTaça Europeia entre equipas do mesmo país, após 1990, 1993 e 2006

Jogo representa regresso a casa para Gareth Bale, jogador do Real Madrid nascido em Cardiff

A SuperTaça Europeia de 2014 vai ter um sabor espanhol, com o Real Madrid CF a medir forças com o Sevilla FC em Cardiff. Os dois clubes vão procurar erguer o troféu pela segunda vez na sua história, num encontro que terá significado especial para Gareth Bale.

• Bale nasceu em Cardiff, em Julho de 1989, mas nunca representou a formação local do Cardiff City FC. O internacional galês iniciou a sua carreira no Southampton FC, antes de rumar ao Tottenham Hotspur FC e, depois, em Agosto de 2013, ao Real Madrid. Apontou, contudo, quatro golos em dez jogos pela selecção principal do País de Gales no Cardiff City Stadium.

• O Real Madrid vai disputar a SuperTaça Europeia pela quarta vez na sua história, enquanto vencedor da UEFA Champions League. Os "merengues" bateram o rival Club Atlético de Madrid, por 4-1, após prolongamento na final disputada no Estádio do Sport Lisboa e Benfica, conquistando assim o seu décimo título de campeão europeu de clubes. Golos de Sergio Ramos (90+3), Bale (110), Marcelo (118) e Cristiano Ronaldo, este de penalty (120), deram a volta ao marcador após um cabeceamento certeiro de Diego Godín ter colocado o Atlético na frente à passagem do minuto 36.

• O Sevilha, por seu lado, necessitou de recorrer ao desempate por penalties para bater o SL Benfica na final da UEFA Europa League, disputada em Turim. A turma da Andaluzia venceu por 4-2 nos pontapés da marca de grande penalidade, depois de um empate sem golos ao cabo de 120 minutos. Beto defendeu os penalties cobrados por Óscar Cardozo e por Rodrigo, enquanto o Sevilha não desperdiçou qualquer tentativa e conquistou assim o troféu pela terceira vez em nove anos, depois das vitórias de 2006 e de 2007 na Taça UEFA.

Presenças na SuperTaça Europeia
• Esta é a quarta vez que o Real Madrid vai disputar a SuperTaça Europeia; as três anteriores foram jogadas no Stade Louis II, no Mónaco. O seu registo é de 1V 2D:
1998: Chelsea FC 1-0 Real Madrid CF
2000: Galatasaray AŞ 2-1 Real Madrid CF (após prolongamento)
2002: Real Madrid CF 3-1 Feyenoord

O Sevilha venceu a SuperTaça Europeia em 2006
O Sevilha venceu a SuperTaça Europeia em 2006©Getty Images

• O Sevilha esteve já envolvido na discussão de duas SuperTaças Europeias, ambas disputadas no Mónaco, vencendo uma e perdendo outra:
2006: Sevilla FC 3-0 FC Barcelona
2007: AC Milan 3-1 Sevilla FC

• Carlo Ancelotti orientava o Milan quando a formação italiana levou a melhor sobre o Sevilha em 2007, num jogo ensombrado pela morte de Antonio Puerta, jogador do Sevilha, três dias antes.

• Esta será a quarta SuperTaça Europeia disputada por dois clubes do mesmo país. Para além do triunfo do Sevilha sobre o Barcelona em 2006, o Milan bateu a UC Sampdoria em 1990 (num jogo em que Ancelotti alinhou os 180 minutos da final, então disputada a duas mãos), mas perdeu contra o Parma FC três anos mais tarde.

Frente-a-frente
• As duas equipas enfrentaram-se, ao todo, 172 vezes no conjunto de todas as competições, com o Real Madrid a somar 90 vitórias, contra 53 do Sevilha. Registaram-se ainda 29 empates.

• Enfrentaram-se também já numa eliminatória europeia, nos quartos-de-final da Taça dos Campeões Europeus de 1957/58. O Real Madrid venceu a primeira mão por 8-0 (registo que constitui ainda hoje um recorde nessa fase da prova, com Alfredo Di Stéfano a apontar quatro golos) antes de empatar 2-2 em Sevilha.

• Encontraram-se já igualmente numa final, em 1962, na Taça de Espanha; o Real Madrid saiu vencedor, ao triunfar por 2-1 no Santiago Bernabéu.

Os jogadores do Real Madrid com o troféu da UEFA Champions League em Lisboa
Os jogadores do Real Madrid com o troféu da UEFA Champions League em Lisboa©Getty Images

Retrospectiva
• Ambas as equipas já conquistaram troféus da UEFA frente a outras formações espanholas. Para além do triunfo de 24 de Maio, em Lisboa, sobre o Atlético, o Real levou igualmente a melhor naquela que foi a primeira final da UEFA Champions League entre clubes do mesmo país, ao bater o Valencia CF, por 3-0, no Stade de France, em 2000.

• O Sevilha, por seu lado, depois de derrotar o Barcelona na SuperTaça Europeia de 2006, levou a melhor sobre o RCD Espanyol na final da Taça UEFA do ano seguinte. Após um empate 2-2 ao fim de 120 minutos no Hampden Park, em Glasgow, o Sevilha venceu por 3-1 nos penalties.

• Ao todo, o Real Madrid venceu oito dos 15 jogos que disputou frente a equipas espanholas nas provas europeias, tendo empatado quatro e perdido três. Marcou 34 golos nesses encontros e sofreu 16.

• O Sevilha ganhou apenas três dos dez jogos em que mediu forças com outras equipas da Liga espanhola na Europa; perdeu quatro e empatou os outros três. Tal como o Real Madrid, o Sevilha também bateu o seu principal rival citadino nas competições europeias da última época, ao levar a melhor sobre o Real Betis Balompié no desempate por penalties, nos oitavos-de-final da UEFA Europa League, depois de as duas equipas trocarem vitórias fora de casa, por 2-0.

Ligações entre as equipas  
 
• Unai Emery enfrentou o Real Madrid por 13 vezes como treinador, ao leme de UD Almería, Valencia CF e Sevilla, tendo somado três vitórias e sofrido nove derrotas.

• Sergio Ramos iniciou a carreira no Sevilha, estreando-se pela equipa principal do clube numa derrota por 1-0 na Liga espanhola em casa do RC Deportivo La Coruña, em 2004. Marcou dois golos em 39 jogos no escalão principal do futebol espanhol ao serviço do clube da sua cidade natal antes de rumar ao Real Madrid, em 2005.

• Depois de, em Maio último, ter recebido uma medalha de ouro da cidade de Sevilha, Ramos foi igualmente homenageado em campo no Ramón Sánchez Pizjuán durante o triunfo por 2-0 da Espanha sobre a Bolívia, em jogo amigável disputado nesse mesmo mês.

• Diego López trocou o Sevilha pelo Real Madrid em Janeiro de 2013, depois de Iker Casillas ter fracturado um polegar. Produto das camadas jovens do Real, López disputou 11 jogos no conjunto de todas as competições com a camisola do Sevilha, clube ao qual chegou em 2012, proveniente do Villarreal CF.

• Ronaldo marcou três ou mais golos em quatro ocasiões frente ao Sevilha ao longo das últimas cinco temporadas. Ao todo, soma 16 golos marcados ao Sevilha, contra quem regista, até à data, nove vitórias e duas derrotas em 11 jogos.

• Ronaldo, Pepe, Fábio Coentrão e Beto fizeram, todos eles, parte da convocatória de Portugal para o Campeonato do Mundo de 2014.

• José Antonio Reyes conquistou a Liga espanhola em 2005/06 ao serviço do Real Madrid, por empréstimo do Arsenal FC.

James Rodríguez chegou do Mónaco
James Rodríguez chegou do Mónaco©AFP

Factos
Real Madrid
  
  Transferências de Verão
Entradas: Keylor Navas (Levante UD), Toni Kroos (FC Bayern München), James Rodríguez (AS Monaco FC)
Saídas: Álvaro Morata (Juventus), Casemiro (FC Porto, empréstimo)

Mundial 2014
• Keylor Navas ajudou a Costa Rica a chegar pela primeira vez à fase a eliminar. O guarda-redes de 27 anos defendeu duas grandes penalidades no desempate vitorioso dos oitavos-de-final contra a Grécia e sofreu apenas dois golos em 510 minutos na caminhada dos "ticos" até aos quartos-de-final.

• Iker Casillas, Sergio Ramos e Xabi Alonso (suspenso para esta partida) fizeram parte da selecção da Espanha que falhou o apuramento para a fase a eliminar. Marcelo (Brasil), Pepe, Fábio Coentrão, Cristiano Ronaldo (Portugal), Karim Benzema, Raphaël Varane (França) e Luka Modrić (Croatia) também actuaram no Brasil.

• Kroos marcou dois golos – ambos frente ao Brasil nas meias-finais – e jogou de início na vitória da Alemanha sobre a Argentina na final, após prolongamento. Sami Khedira lesionou-se no aquecimento e não participou no triunfo de 1-0. Ángel Di María, autor do golo da vitória argentina sobre a Suíça na segunda jornada, não saiu do banco no encontro decisivo.

• James terminou como melhor marcador da fase final, com seis golos, numa prova em que a Colômbia chegou aos quartos-de-final.

Ivan Rakitić rumou ao Barcelona
Ivan Rakitić rumou ao Barcelona©AFP/Getty Images

Sevilha  
  Transferências de Verão
Entradas: Mariano Barbosa (UD Las Palmas), Aleix Vidal (UD Almería), Alejandro Arribas (CA Osasuna), Grzegorz Krychowiak (Stade de Reims), Denis Suárez (FC Barcelona, empréstimo), Iago Aspas (Liverpool FC, empréstimo)
Saídas: Ivan Rakitić (FC Barcelona)

Mundial 2014
• Beto foi titular em dois dos três jogos de Portugal. Carlos Bacca participou num encontro pela Colômbia, como suplente utilizado na derrota frente ao Brasil, por 2-1, nos quartos-de-final.

Topo